Artigos na etiqueta Policia de segurança rodoviária

Aspetos que o condutor deve observar quando estaciona (2)

Aspetos que o condutor deve saber...

É sabido que muitos são os condutores que, preferencialmente, se fazem deslocar em motociclo. Dizem ser uma forma de estar na vida e desenvolvem essa forma de estar.

Se até à relativamente pouco tempo estes condutores eram, de alguma forma, discriminados relativamente aos condutores de automóveis no que ao estacionamento diz respeito, esse paradigma foi alterado. Ler mais…

PSP e GNR não são imunes nem impunes ao acidente rodoviário

PSP e GNR não estão imunes e impunes ao acidente

Os acidentes rodoviários são situações de tráfego que ocorrem quando algo falha no sistema de circulação, não escolhe actores e todos os que utilizam as estradas estão sujeitos a, directa ou indirectamente, se verem envolvidos em algum.

O mesmo acontece com as forças de fiscalização, GNR e PSP que, utilizando as estradas nacionais, também os agentes que conduzem as viaturas destas instituições, estão sujeitos a se verem confrontados com situações de sinistralidade rodoviária, muitas vezes com consequências graves.

Ler mais…

Prevenção de sinistralidade rodoviária ou caça à multa descarada?

Prevenção da sinistralidade rodoviária ou caça à multa descarada?

A prevenção rodoviária em Portugal tem como principal objectivo a diminuição da sinistralidade rodoviária grave e muito grave, para que as suas consequências passem a não existir. Sabemos que essa intensão é utópica, no entanto tudo deverá ser feito para que algo de positivo possa acontecer.

Uma das causas da sinistralidade rodoviária com consequências nefastas é a velocidade excessiva ou inadequada por parte dos condutores; é fácil dizer-se que a culpa é de quem transgride, que deverá ter outro comportamento, etc… No entanto, não bastará isso. Terá de fazer-se algo mais.

Ler mais…

Uma operação “Stop” em via rápida

Uma operação Stop em via rápida

Portugal tem em vigor uma legislação que regulamenta o tráfego rodoviário, assim como contempla as sanções inerentes ao não respeito das mesmas. Essa legislação chama-se Código da Estrada e, apesar de possuir algumas incongruências, está, mais ou menos, explicito.

Sempre ouvi dizer que o exemplo é a melhor formação que se pode ministrar. E se realmente assim é, esse exemplo deve estar presente nas forças de segurança e fiscalização rodoviária que circulam pelas estradas portuguesas.

Ler mais…

Quando a visibilidade é obstruída por objectos estranhos à circulação rodoviária

Quando a visibilidade é obstruída por objectos estranhos à circulação rodoviária

Um dos princípios da segurança rodoviária é ter boa visibilidade para conseguir recolher a maior quantidade de informação possível, para dessa forma o cérebro a poder processar, buscando uma resposta de reacção adequada à circunstancia. Para que isso possa acontecer, devem as vias de circulação estar “limpas” de objectos estranhos.

Numa intersecção, essa boa visibilidade é imperial. Apenas a tendo, o condutor poderá perceber se existem veículos a transitar na via onde pretende circular. Apenas a tendo, poderá o condutor perceber a distância a que estão esses veículos, analisando dessa forma se poderá dar inicio à sua marcha ou não.

Ler mais…

Penalização às transgressões, o que se deve mudar em Portugal

Penalização às transgreções, o que deve mudar em Portugal

A legislação portuguesa relacionada com a circulação rodoviária, o Código da Estrada, é um documento que está, em grande percentagem, bem elaborado. Haverão alguns pontos a adaptar ou modificar, mas grosso modo, não está mau e é exequível.

O grande problema da legislação penalizadora às regras do Código da Estrada, é que são muito pecuniárias e pouco ou nada sociais. Quem tem dinheiro vai pagando as transgressões que vai efectuando, vai recorrendo de sanções aplicadas e a morosidade da máquina fiscalizadora acaba por permitir que o prevaricador reincida nas transgressões.

Ler mais…

O exemplo será sempre a melhor formação

O exemplo será sempre a melhor formação

Quando um pai ralha com o seu filho porque ele fez algo de errado, esse pai deverá verificar, em primeiro lugar, se lhe deu o bom exemplo, o correcto, aquele que vai fazer com que o seu educando o imite, mostrando respeito por todos aqueles que com ele convivem ou dele dependem.

A formação, enquanto ferramenta para a disciplina do formando, é um dos caminhos que devem ser utilizados para moldar com bons comportamentos aqueles que queremos que sejam correctos e desta forma minimizar eventuais consequências de opções erradas.

Ler mais…

Estacionar erradamente dentro de localidade

Estacionar com respeito

Já aqui abordamos nalguns posts a questão do estacionamento, normalmente, do mau ou deficiente estacionamento. No entanto, muitas outras serão as vezes que aqui iremos trazer situações concretas deste tipo de deficiências, no sentido de alertar consciências para o perigo inerente à situação em concreto.

Quando decidimos estacionar o nosso veículo, devemos ter o cuidado de procurar o lugar mais adequado a fazê-lo, sem que com isso se possa vir a prejudicar os restantes utilizadores de uma determinada via de circulação. Acontece que, por mais que olhemos para o lado e assobiemos para o ar, a verdade é que se continua a transgredir, repetidamente, sem que nada seja feito.

Ler mais…

É urgente uma intervenção nacional de sensibilização rodoviária

É urgente uma acção de sensibilização rodoviária

Semanalmente a ANSR – Autoridade Nacional Segurança Rodoviária emite um  relatório relativo à sinistralidade rodoviária em Portugal, onde apresenta os valores relativos ao ano em avaliação, comparando-o com o mesmo período dos dois anos transactos. Nesses relatório semanal são apresentados os valores relativos ao número de acidentes, mortos, feridos graves e leves.

Estes valores apresentados semanalmente, normalmente, sofrem alterações, uma vez que a mortalidade é contabilizada, por orientação de diretriz europeia, a trinta dias, ou seja, se um dos feridos graves vier a morrer nos trinta dias após o acidente, será o seu valor passado do campo dos feridos graves para o campo dos mortos.

Ler mais…

Veículo de escola de condução não é invisivel

Carro de instrução não é invisivel

As estradas do país estão repletas de viaturas do ensino da condução automóvel pertencentes. Essas viaturas podendo ser iguais às demais, diferenciam-se, essencialmente, pela afixação de uma chapa rectangular com a letra “L” no seu interior e o nome do concelho pertencente. Este acessório serve, não apenas para indicar que aquele veículo está licenciado para ministrar o ensino, mas também para que os restantes condutores percebam esse facto.

Todos quantos circulam no meio rodoviário ou até mesmo na via publica, estão sujeitos às vicissitudes do tráfego automóvel, inclusive até, verem-se envolvidos numa situação de sinistralidade rodoviária. Acontece que uns estão mais sujeitos que outros.

Ler mais…