Artigos na etiqueta Segurança Rodoviária nas estradas

A chuva provoca cheias e condicionantes rodoviárias

Conduzir com estradas alagadas

As cheias estão na ordem no dia. A muita chuva que se tem vindo a sentir provoca um aumento no caudal dos rios e afluentes, fazendo-os saltar das suas margens e inundarem os terrenos vizinhos que são, bastante vezes, estradas ou caminhos rurais.

O facto dos caudais dos rios serem maiores e condicionarem a circulação de certas vias de circulação, deve-se também ao facto das barragens terem de libertar enormes quantidades de metros cúbicos de água, associado ao mau planeamento territorial e débil construção de vias.

Ler mais…

A segurança rodoviária começa por um planeamento adequado

O planeamento dos sistemas de gestão de tráfego e a projeção adequada das estradas e acessos pedonais podem reduzir significativamente os acidentes e em consequência reduzir os ferimentos e mortes em caso de acidente.

Por exemplo, a implementação de rotundas pode reduzir as colisões graves até 40%, e as mortes em até 90%. Outras melhorias são possíveis, com cruzamentos controlados para os peões, colocação de bandas sonoras, sem esquecer uma iluminação pública adequada. Veja outras vantagens do planeamento adequado.
Ler mais…

10 fatos sobre segurança rodoviária

20108475181_16c5bba62a_k

Mais de 1.240.000 pessoas morrem todos os anos em acidente de viação, esta informação é o somatório dos dados sobre a segurança rodoviária de 182 países, representando quase 99% do total da população mundial, destes mortos 59% tinham entre os 15 e os 44 anos.

Por incríveis que pareçam estes dados, são apenas 28 países que têm leis abrangentes de segurança rodoviária, esses países somam somente 7% da população mundial, população essa “protegida” por leis que abrangem os cinco dos principais fatores de risco: álcool e condução, excesso de velocidade, uso de capacetes para motociclistas, uso de cintos de segurança e de sistemas de retenção.
Ler mais…

Carga mal acondicionada, uma morte anunciada

Carga mal acondicionada, morte anunciada

Toda a carga deve ser bem acondicionada, evitando desta forma poder vir a cair sobre a via, condicionando a segurança de todos os que utilizam o meio público. E quando se fala em carga bem acondicionada, referimos-nos a carga que, não apenas não caia sobre a via, mas que se mantenha não oscilante.

Existem diversos tipos de carga, no entanto todas elas condicionantes da segurança rodoviária, se vierem a cair sobre a via. Afinal, não nos poderemos esquecer que, em circulação e projectada, essa carga mal acondicionada venha a cair sobre a via, ter uma força de impacto superior àquela que tem em queda simples.

Ler mais…

Estradas secundárias com a segurança condicionada (1)

Vias secundárias com segurança reduzida

Portugal tem uma rede de estradas secundárias elevada, com ligação entre as mais diversas estradas nacionais. São estradas compostas por faixas de rodagem, muitas vezes sem as minimas condições de circulação e segurança.

Poderíamos aqui referências uma dúzia de estradas secundárias por esse país fora, mas não é essa a intenção deste artigo. Pretende-se que, com ele, cada um dos responsáveis pelas estradas do seu Concelho, o identifique com as estradas da zona de acção.

Ler mais…

Operação “Natal Tranquilo” da GNR

Operação Natal Tranquilo

Mais um ano que terminou e outro que se inicia, com promessas, muitas promessas de melhores atitudes e comportamentos sociais. Mas será que é mesmo assim? Será que essas promessas são proferidas com a real intensão de serem respeitadas, ou serão meras palavras atiradas ao vento num descampado de montanha?

Coloca-se a questão, uma vez que, após mais uma quadra natalícia, onde a GNR colocou milhares de efectivos na rua a controlar e orientar o trânsito, com mensagem diárias, nos meios de comunicação social, dissuasoras de qualquer infracção que pudesse condicionar a segurança dos utilizadores da via, os números registados e ainda provisórios são aterradores.

Ler mais…

Para grandes males, boas soluções rodoviárias

Para grandes males, boas soluções rodoviárias

A estrada nacional 111 sempre foi uma estrada que constituiu grande perigo para a circulação rodoviária. Isso acontece, porque é uma via com grande fluxo de trânsito e atravessa muitas localidades, algumas delas verdadeiros mini-centros de comercio.

Durante os anos 80, 90 e no inicio deste novo século, aquela estrada, principalmente na zona de Tentúgal, S. Silvestre e S. João do Campo, a taxa de sinistralidade rodoviária sempre foi elevada, tendo como causa principal as ultrapassagens mal efectuadas, velocidade elevada e mudanças de direcção.

Ler mais…

IC2 – uma estrada que cheira a morte

IC2 - Uma estrada que cheira a morte

Muitas são as estradas em Portugal, mais do que as desejáveis ou mesmo espectáveis, que apresentam troços de de risco elevado para os seus utilizadores, mas que, pomposamente, alguém resolveu utilizar a estática humana para os classificar, chamando-lhes de “pontos negros“.

Esses pontos negros são locais que, pela sua história marcam, indicam serem extremamente perigosos, uma vez que a sinistralidade rodoviária em que estão envolvidos e suas nefastas consequências, demonstram isso mesmo… são perigosos.

Ler mais…

Street Racer – Do espectáculo à realidade

Race wars - do espectáculo à realidade

A modalidade Street Racer, se é que lhe podemos chamar modalidade, é algo que atraí centenas de condutores, alguns equipados com máquinas de grande potência, transformadas, outros com viaturas mais modestas, no entanto igualmente demonstradoras de diferença rodoviária.

Há alguns anos atrás, em Portugal houve uma forte adesão às corridas espontâneas, supostamente não organizadas, ou pelo menos não oficialmente organizadas. Decorreram em diversas cidades, utilizando para tal vias urbanas e em muitos casos vias não urbanas, no entanto de tráfego elevado.

Ler mais…

Rails de… ‘segurança’?

Rails de segurança

Os rails protetores que vieram substituir os muros nos limites de muitas estradas, foram criados com o objetivo de evitar que os condutores fossem projetados por ravinas ou para proteger de quedas em pontes, essencialmente são um sistema de segurança passiva (obviamente) que amortecem o impacto do veiculo e impedem estes de serem atirados por ravinas que por vezes são muitos grandes.

Até aqui todos concordamos que os rails são um sistema muito bom que veio melhorar muito a proteção oferecida aos condutores, mas serão mesmo seguros, cumpriram o seu trabalhar como seria de esperar? A resposta à pergunta que coloco é sem dúvida muito difícil de responder, de certa forma eles são seguros já evitarem muitas mortes, mas por outro lado já provocaram outras tantas. Quantas vezes nos deparamos com notícias de motards que ficaram gravemente feridos graças aos rails, de facto são os condutores de motociclos que são os mais afetados.

Ler mais…