Artigos na etiqueta Seguro do automóvel

Fundação MAPFRE, muito mais que uma seguradora

A origem da MAPFRE remonta a 1933 e o seu nome é o acrónimo de “Mutualidad de la Agrupación de Proprietários de Fincas Rústicas de España”. É agora um grupo multinacional com cerca de 250 empresas e ativos no valor de 55 mil milhões de euros.

A seguradora MAPFRE está em Portugal desde 1986 e dispõe atualmente de mais de 70 escritórios, prestando um apoio próximo e personalizado aos seus clientes. Inicialmente chamava-se Corporación MAPFRE Resseguro, que passou a MAPFRE RE em 1995. Ler mais…

Travagem de emergência autónoma reduz acidentes em 28%

Volvo-City-Safety-1

As novas tecnologias ajudam a evitar acidentes e quando não evitam reduzem os efeitos e a gravidade dos mesmos para os indivíduos envolvidos. Um dos estudos científicos mais completos onde foram analisados os dados de sistemas anti-colisão revela que a tecnologia “City Safety” da Volvo reduz os pedidos aos seguros em 28 por cento, quando analisamos os embates traseiros.

Com base nos acumulados de reclamações de seguros nas seguradoras suecas, os dados revelam que o desempenho do “City Safety” é conclusivo e revela o valor na vida real deste sistema anti-colisão, que na verdade é uma travagem de emergência autónoma.
Ler mais…

Porque nos sentimos intimidados quando avistamos uma brigada da GNR-BT?

Porque nos sentimos intimidados quando avistamos uma brigada da GNR-BT?

Quando vamos para a estrada ao volante do nosso veículo, seja ele de que tipo for, fazemos-lo na busca de algum prazer, liberdade ou simplesmente obrigação de deslocação por motivos laborais ou outro tipo de compromissos.

Sabemos que por esses quilómetros fora, por menos que sejam aqueles que vamos percorrer, existe a possibilidade de virmos a encontrar brigadas da GNR-BT a fiscalizar o tráfego rodoviário ou simplesmente a vigiar e orientar em situações pontuais.

Ler mais…

Bateu e não tem declaração amigável?

não tem declaração amigável

O que fazer quando não existe acordo no preenchimento da declaração amigável? Ou quando nenhum dos acidentados tem em sua posse um impresso da Declaração Amigável de Acidente Automóvel? Saiba como pode agir.

Num acidente de automóvel, desde que não haja feridos, os intervenientes deverão preencher a declaração amigável no local do embate, neste preenchimento é importante identificar os intervenientes e suas seguradoras e a forma como ocorreu o acidente de forma factual.
Ler mais…

Sou dono de um veículo que não é meu

Sou dono de um carro que não é meu

Quando o nosso veículo, automóvel ou motociclo atinge uma determinada idade, por cada um de nós estabelecida como idade limite para ele ser o nosso veículo, ou porque ele já não se encontra de acordo com as nossas exigências, vendemo-lo ou, em muitos casos, mandamos abatê-lo.

Acontece que muitas dessas vendas são efectuadas a stands de beira de estrada, o que não nos garante, por si só, uma qualidade de tratamento da documentação, como acontece num stand de referência, normalmente, representantes de uma ou mais marcas de veículos.

Ler mais…

Fundo de Garantia Automóvel

Fundo de Garantia Automóvel

Já olhou com atenção para o recibo quando vai pagar o seu seguro de responsabilidade civil automóvel? Se verificar, existem umas quantas parcelas complementares que contribuem para “engordar” o valor final que vai ser pago. E uma dessas parcelas é a do Fundo de Garantia Automóvel. Esse fundo que muitos segurados se questionam do que realmente se trata e para que serve.

Como já aqui foi abordado no post “Seguro de responsabilidade civil, o que realmente tenho?“, todo o veículo motorizado ou seu reboque tem de estar seguro com um contrato de responsabilidade civil de uma qualquer seguradora. Este contrato vai garantir, salvo exceções, a reparação dos estragos efetuados a terceiros em caso de acidente.

Ler mais…

Seguro de Responsabilidade Civil, o que tenho?

seguroffice

Em Portugal, como em qualquer outro país da Europa, um veículo a motor ou o seu reboque, para circularem na via pública têm de estar segurados com um seguro de responsabilidade civil. Ou seja, para nos fazermos à estrada com um veículo motorizado temos de possuir um contrato com uma seguradora, seja ela qual for.

Segundo o código da estrada português, quem na via pública circular um veículo motorizado ou a ele atrele um reboque sem que estes estejam segurados, incorre numa contra-ordenação muito grave e terá como consequência a aplicação de uma coima, a inibição de conduzir pelo período que pode variar entre um mês e um ano, assim como a apreensão do veículo até à apresentação do documento comprovativo de seguro de responsabilidade civil.

Ler mais…

Dez conselhos para evitar que lhe roubem o carro

Dez conselhos para evitar os assaltos aos carros

Durante os duros e ferozes anos oitenta, no meu bairro, encontravam-se frequentemente carros roubados por ladrõezecos que retiravam os rádios para os venderem logo de seguida, ali nas redondezas. Também era comum ver carros aos quais, durante a noite, tinham sido trocados os quatro pneus por tijolos e cheguei a ver, inclusive, mais de um pobre desgraçado que, de manhã, ao sair de casa, dava de caras com um enorme vazio no local onde, na noite anterior, tinha estacionado o carro. Eram tempos em que estes assaltos faziam parte da nossa vida quotidiana.

Tenho a sensação de que este tipo de situações se tornou menos frequente durante os prósperos tempos de bonança económica, mas, agora, pela keynesiana lei da vida, sinto que com a crise os assaltos podem voltar, se é que ainda não voltaram. Até porque se vão vendo, cada vez mais, bocados de vidro partido na estrada, que são um sinal de ações de vandalismo nos veículos.

Talvez por isso não seja má ideia compilar uma série de conselhos para evitar ou dificultar ao máximo os assaltos aos carros.

Ler mais…