Artigos na etiqueta Transporte de mercadorias

A depressão dos motoristas de pesados é real

A depressão dos motoristas de pesados é real

A manhã acorda com um sol resplandescente que distribui energia por tudo quanto é lado, a noite anterior, tal como as restantes noites, foi de um sono bem passado, revigorante. O equilíbrio com o Planeta é perfeito mas, sem razão aparente o condutor do veículo pesado de mercadorias sente-se extremamente cansado e com a sensação que, afinal, o Mundo acordou para estar contra si.

A possibilidade de o condutor estar sob uma depressão não passa pela cabeça de ninguém, pois ninguém admite poder ser alvo de tal doença; afinal, é daquelas que só acontece aos outros ou ostentamos uma arrogância que nos faz pensar que não temos tempo para isso.

Ler mais…

Carga e descarga na rua ou planeamento?

Carga e descarga 2

Em cidades antigas, ou com mau planeamento urbano, as zonas comerciais existentes foram autorizadas sem se pensar nas necessidades de abastecimentos aos estabelecimentos lá licenciados e por isso ocorre um fenómeno comum, ao necessitar efetuar as descargas de material, essenciais à atividade económica que exercem, não conseguem parar para descarregar em nenhum local apropriado nas redondezas.

Por vezes é criado um embaraço ao normal fluir do trânsito quando são diversos os veículos a efetuarem reabastecimentos ao comercio, especialmente nas zonas de restauração e similares, parando na faixa de rodagem onde criam problemas para os automobilistas, motociclistas e ciclistas, ou então param em cima dos passeios, obstruindo-os, obrigando os peões a circular na estrada.
Ler mais…

A interminável ultrapassagem dos automóveis pesados

A interminável ultrapassagem dos automóveis pesados

Muitas são as conversas ou considerações que se vão emitindo aqui e ali, sobre os automóveis pesados, essencialmente de mercadorias, nas estradas portuguesas. A forma como utilizam a via, como a ocupam e do uso que dela fazem.

Alegam, alguns, que os automóveis pesados, principalmente os de mercadorias, deveriam ter vias próprias para circularem ou horas especificas, mais orientadas para o período nocturno do dia. Outros defendem que não deveriam circular em estradas nacionais e estarem unicamente direccionados para autoestradas.

Ler mais…

Carga mal acondicionada, uma morte anunciada

Carga mal acondicionada, morte anunciada

Toda a carga deve ser bem acondicionada, evitando desta forma poder vir a cair sobre a via, condicionando a segurança de todos os que utilizam o meio público. E quando se fala em carga bem acondicionada, referimos-nos a carga que, não apenas não caia sobre a via, mas que se mantenha não oscilante.

Existem diversos tipos de carga, no entanto todas elas condicionantes da segurança rodoviária, se vierem a cair sobre a via. Afinal, não nos poderemos esquecer que, em circulação e projectada, essa carga mal acondicionada venha a cair sobre a via, ter uma força de impacto superior àquela que tem em queda simples.

Ler mais…

É tudo uma questão de atitude positiva

É tudo uma questão de atitude positiva

A intensidade de trânsito nas estradas e auto-estradas portuguesas, varia, dependendo das zonas do país, cidades ou mesmo horários. Muitas são as cidades cujas vias de acesso que acarretam maior intensidade são estradas nacionais, o que faz com que em determinadas horas se torne mais dificultada a fluidez que se pretende.

Uma das cidades da zona centro do país onde se verifica tal ocorrência é a capital de distrito Coimbra, onde muitos são os condutores que utilizam a estrada nacional 111 para circularem com aquele destino. Estrada essa que não proporciona muitos locais de ultrapassagem e que em grande parte da sua extensão está sujeita a impedimento de ultrapassagem.

Ler mais…

Transporte de mercadorias a granel

Tramsporte de mercadorias a granel

Em Portugal é hábito nos cruzarmos com veículos pesados de transporte de mercadorias de transporte de madeiras. Isto acontece porque, essencialmente, o nosso país tem uma industria de celulose que exige uma permanente aquisição de madeira para a transformação em pasta de papel.

Estes veículos que transportam os toros de madeira, fazem-no de acordo com a legislação em vigor, ou seja devidamente acondicionados e dentro da área de carga desse veículo. Respeitam as normas de circulação, relativamente aos horários de circulação e repouso. Se assim não for, as entidades competentes, autuá-los-ão.

Ler mais…

Transporte de mercadorias

Transporte de marcadorias

Ainda que regulado por legislação, o transporte de mercadorias não é, em muitos casos, respeitado pelos condutores que o efectuam. Tal situação faz com que em muitas ocasiões a carga mal acondicionada intervenha na prestação da condução do próprio que efectua a carga ou, noutros casos mais extremos, de condutores terceiros.

Quando efectuamos uma carga, devemos ter o cuidado de a acondicionar devidamente pois, não o fazendo, soltando-se, ela pode ser projectada contra o habitáculo do próprio veículo, desequilibrando-o ou na pior da situações para fora do transportador, condicionando a segurança alheia.

Ler mais…

Transporte de mercadorias, transporte de risco

Transporte de mercadorias

Se à cinquenta ou sessenta anos atrás ter automóvel era algo que não estava ao alcance de qualquer pessoa, com o avançar dos anos começaram a surgir possibilidades económicas que permitiram a aquisição dos referidos veículos, mesmo por quem tivesse menos possibilidades financeiras. A evolução das economias, a necessidade de diminuir o espaço entre locais e o tempo que se demorava a percorrer entre esses locais, de uma forma “quase” natural  o parque automóvel  português foi crescendo exponencialmente.

As vias de comunicação terrestre tentaram acompanhar essa evolução. Surgiram as auto-estradas e os itinerários principais . Foram melhoradas algumas estradas nacionais e até a União Europeia  contribuiu com verbas para o melhoramento da rede rodoviária e sua ligação à Europa. Com a economia a crescer e a necessidade de se chegar e fazer chegar mercadorias cada vez em menos tempo ao seu destino, a concorrência entre empresas fez com que ploriferassem as empresas de transportes.

Ler mais…