7 ruídos do carro que o deve preocupar

Subaru-H6

Nem sempre se pode detetar a tempo uma avaria grave no veículo, mas há muitas ocasiões em que é possível. O que tem de fazer é estar atento e ouvir o que o veículo lhe diz. 

Se aparecer algum ruído suspeito no seu carro, o melhor a fazer é ir de imediato à sua oficina de confiança para que vejam o que se passa, já que pode poupar bastante no futuro. Isto deve-se a que, em muitas ocasiões, ouvir os ruídos do carro pode ajudar a detetar uma falha incipiente em diversos sistemas. 

Para poder descrevê-los na oficina, convém estabelecer padrões que indiquem quando acontecem: com o motor frio, quente, e também de onde veem.

Em concreto, existem sete tipos de ruídos que costumam alertar os condutores e que têm a ver com diferentes tipos de avarias:

Ao arrancar o carro a frio, soa como se virasse a câmara lenta: o mais provável é que a bateria se esteja a esgotar, sobretudo se nunca foi substituída ou se já passou muito tempo desde que se mudou pela última vez. Também se o carro esteve parado muito tempo ou se a temperatura ambiente é baixa. Se depois de a mudar não se altera o som, convém ir à oficina.

O ralenti soa irregular com o motor em marcha: é possível que se tenha de mudar os filtros de ar e gasóleo, para além de se comprovar que não há obstruções.

– Ao arrancar em frio, o motor emite um ruído contínuo na parte superior, ao mesmo ritmo do motor: o mais provável é que haja um problema de folga das válvulas.

Com o carro em marcha, a parte dianteira emite um som estridente ( e bastante irritante): atenção porque isto indica que alguma correia, seja de distribuição ou de serviço, não se encontra em bom estado.

Ao pisar o pedal de travagem ouve-se um roçar: é possível que se tenha de substituir as pastilhas de travagem.

– Um assobio no turbo do carro: pode indicar uma falha ou fuga no sistema de sobrealimentação deste sistema.

Sons graves tipo “clonk”: costumam acontecer quando existe uma folga em algum elemento da suspensão ou direção. Como podem ser várias as implicações, é importante realizar um diagnóstico preciso.

Lembre-se de afinar o ouvido ao conduzir e, se detetar algum ruído diferente, procure verificar a sua origem: detectá-lo precocemente pode evitar problemas maiores no futuro.