Car2Car: quais as vantagens de estar ligado aos outros carros?

v2vA partir de 2019, a comunicação entre veículos será algo cada vez mais palpável. No próximo ano, a Volkswagen irá começar a incorporar a tecnologia WLANp na sua frota. A intenção é levar esta tecnologia à maioria dos modelos, desde os compactos aos comerciais ou monovolumes. O objetivo principal: aumento da segurança e redução da sinistralidade nas estradas europeias através da interconexão de veículos entre si e o seu entorno. Será uma realidade ver os carros a comunicar entre si?

O que é um sistema de comunicação veícular?

Uma designação que pode criar grande confusão, mas é mais simples do que parece. O conceito parte de uma rede de comunicação na qual os veículos e alguns pontos concretos do ambiente em que se movem podem conectar-se e trocar informação, seja de tráfego ou de questões relacionadas com a segurança. O objetivo? Evitar acidentes e descongestionar o trânsito de forma cooperante.

Estes pontos concretos da estrada (módulos fixos) incorporam dispositivos de comunicação de curto alcance, denominados DSRC, com uma largura de banda que permite uma ampla gama de cobertura de cerca de 1 km. Ao comunicar com os veículos em circulação (módulos móveis), o conjunto resulta numa solução tecnológica (“ITS”, Intelligent Transportation Systems), que pretende melhorar a segurança no transporte terrestre, antecipando incidentes antes que estes aconteçam.

v2v

Dentro deste sistema de transporte inteligente encontramos o Car2Car (também chamado de Vehicle-to-Vehicle, V2V), desenhado com o propósito de «fazer falar» um automóvel com outro, ou seja, a comunicação entre dois módulos de que falámos.

A informação relacionada com o tráfego, a segurança, os acidentes, as obras e outros assuntos num raio de 500 metros ao redor do carro serão comunicadas e transmitidas ao resto dos veículos e aos pontos localizados na estrada em questão de milissegundos. Claro, outro objetivo importante, mas secundário, do Car3Car é o de reduzir a poluição, notificando quando estejam a ser superados os limites estabelecidos.

A segurança, a motivação principal do Car2Car

Funciona assim: um veículo descobre um perigo na estrada, seja por deterioração do piso, um acidente recente, animais na estrada, trânsito intenso, zona de passagem de peões, circunstâncias atmosféricas adversas (gelo, nevoeiro ou vento) entre outros, e notifica o resto dos veículos que possam estar localizados à sua volta.

O veículo é capaz de identificar as incidências importantes graças a sensores eletrónicos que registam alterações na trajetória ou na velocidade, de forma a informar os «vizinhos» caso aconteça alguma coisa. Qualquer movimento que os condutores anteriores estejam a realizar é enviado como recomendação aos restantes para que possam tomar a melhor decisão, quase como um semáforo antecipado. Outros avisos avançados do sistema dizem respeito à mudança de via, paragem repentina, advertência para saídas e entradas da estrada, obstáculos e até prioridades nos cruzamentos, para decidir quem tem direito de passagem.

A OMS assegura que os acidentes de trânsito são a causa de 1,2 milhões de mortes por ano em todo o planeta, além de cerca de 50 milhões de feridos. Sem dúvida, conduzir conquista o pódio das principais causas de morte e é prioritário arranjar soluções para que o preço de um acidente não seja uma vida.

No Grupo Volkswagen asseguram que a introdução desta tecnologia permitirá «aumentar significativamente a segurança rodoviária em toda a Europa. Estaremos um passo mais próximos da Vision Zero, a visão de uma condução sem acidentes”, de acordo com Ulrich Eichhorn, director de Investigação e Desenvolvimento. A interconexão WLANp standard já passou a fase de testes e está pronto para uso, tanto nas frotas (automóveis, veículos de emergência) como nas infraestruturas de trânsito (semáforos, por exemplo)

Outros ITS: Platooning em camiões

v2v

Os camiões também são um grupo vulnerável na estrada e a aplicação da conectividade e da condução autónoma pode ser uma solução de segurança para estes «comboios». A Daimler Trucks da América do Norte já está a realizar testes com camiões configurados em platooning há muito tempo, para garantir a segurança da proximidade entre estes veículos e o apoio entre eles.

O platooning, ou comboio de estrada, consiste em agrupar os camiões em redes eletrónicas que lhes permitam acelerar e travar de forma sincronizada, evitando o erro humano na distância de reação. Além disso, ao circular por vias automatizadas, é possível aproveitar melhor o espaço e colocar uma maior quantidade de veículos na estrada. A conectividade e a condução autónoma aumentam a segurança dentro do grupo, devido à existência de condutores de apoio, bem como melhoram a gestão do próprio cansaço do condutor.

Esta tecnologia é uma vertente do V2V, em desenvolvimento, que permite aos camiões interagirem, apoiando o condutor em cruise control, aviso de saída de via e travão ativo. Permite, além disso, poupança de combustível pela redução aerodinâmica ao circularem juntos, bem como o aumento dos tempos de reação do sistema por oposição ao tempo de resposta de um ser humano.

Assim, está cada vez mais próximo o objetivo geral rodoviário: nenhum morto nas estradas.

Imagens |Volkswagen iStock Rasica