Controlo da pressão dos pneus: há quem raramente faça isso

O controlo do estado e pressão dos pneus é um dos itens que muitos condutores negligenciam na manutenção das suas viaturas.

Em Espanha, a GiPA Automotive Aftermarket Intelligence e a Confederação Espanhola de Oficinas, CETRAA, apresentação um estudo sobre a evolução dos hábitos dos condutores e a respeito da importância da manutenção adequada dos veículos.

Apesar da análise destacar a importância de consciencializar os condutores acerca da necessidade de manutenção adequada dos veículos, elemento ainda mais importante devido ao envelhecimento do parque automóvel, verificou que aspetos essenciais são descurados por uma enorme quantidade de condutores.

38% mais avarias

Alguns dos dados mais interessantes é que um automobilista que não tem um comportamento de manutenção adequado sofrerá 38% mais avarias do que um condutor mais consciente. O que a princípio parece ser uma economia, prolongando a manutenção e evitando levar o carro à oficina, resultará numa maior taxa de falhas e, portanto, em gastos com o carro.

De acordo com os resultados do estudo, uma elevada percentagem de condutores circula com os elementos de segurança (pneus, travões, amortecedores e direção) muito desgastados. E esta situação piora à medida que os carros mais antigos são analisados.

Desta forma, mais de 70% dos veículos com 11 ou mais anos chegam à oficina com pneus e/ou amortecedores muito desgastados, algo que seria facilmente evitável se uma cultura de manutenção preventiva estivesse enraizada efetivamente.

Outro indicador do levantamento vai no sentido de que mais de 30% dos condutores não respeitar a revisão recomendada para o seu veículo, o que revela igualmente que ainda há um longo caminho a percorrer em termos de sensibilização dos cidadãos sobre o valor da manutenção preventiva dos seus veículos.

E, claro, embora este estudo tenha incidido em Espanha, a experiência diz-nos que dados equivalentes seriam encontrados em Portugal, devendo merecer reflexão.