ESP obrigatório em veículos novos na União Europeia

ESP obrigatório em todos os veículos novos da UE

Esta poderá parecer uma simples novidade legislativa sem grande importância. No entanto, ela é mais do que isso. Esta é uma noticia que acarreta segurança rodoviária, menor sinistralidade e maior igualdade.

Desde o passado dia 1 de Novembro de 2014, todos os automóveis ligeiros fabricados e matriculados na União Europeia, estão obrigados a estarem equipados com o sistema de segurança activa ESP, garantindo desta forma que não serão apenas as gamas altas a disporem desta elevada segurança, mas todos por igual.

Que acréscimo na segurança proporciona o ESP

Fabricado em série desde 1995,, já são mais de 100 milhões as unidades que se encontram instaladas em automóveis e motociclos. Desde a sua implementação, estima-se que graças ao ESP já tenha evitado mais de 190.000 acidentes em toda a Europa e se tenham salvo mais de 6.000 vidas.

Segundo Gerhard Steiger, presidente da divisão de Sistemas de Controlo de Chassis da Bosch, o ESP «salva vidas» e « É uma história de sucesso sem paralelo que esperamos replicar, também, fora da Europa.» . Segundo ele, o ESP é o sistema de segurança mais importante após o cinto de segurança, uma vez que associado a si podem trabalhar outros sistemas, como por exemplo o ABS.

ESP obrigatório em todos os veículos da UE

Como funciona o ESP

O sistema ESP – Programa Electrónico de Estabilidade, tem a função de estabilizar a trajectória do veículo, sempre que detecta que esta sofre uma alteração. As condições das faixa de rodagem nem sempre são as mais convenientes à circulação. Lama, areias, água, etc.., provocam muitas vezes alterações na trajectória.

Utilizando os sensores inteligentes que equipam o sistema, este compara 25 vezes por segundo  a trajectória do veículo, tendo como referencia a direcção das rodas, a inclinação do volante e a oscilação do centro de gravidade. Se os valores medidos não se encontrarem de acordo com os determinados, o sistema ESP intervem, diminuindo o binário do motor.

Se esta acção não for suficiente, então intervirá sobre os travões, travando as rodas individualmente, posicionando-o. Deste modo evita uma sob-viragem ou sobre-viragem, que poderá levar ao sinistro.

Foto¦ Renault e Hyundai