Como funciona o carregamento do ar condicionado? Quanto custa?

Está um daqueles dias de calor abrasador, liga o ar condicionado e… nada! Sai ar quente, ou algo “meio fresco” e que rapidamente desaparece. O ar que vem das aberturas do seu carro já não é tão frio quanto costumava ser. O que se passa?

Provavelmente necessita de fazer o carregamento do ar condicionado. Ao longo do tempo, pequenas quantidades de gás de refrigeração vão escapando e isso provoca a degradação da performance de arrefecimento do seu sistema de ar condicionado. A solução é simples, voltar a colocar mais. Saiba como é feito e quanto pode custar.

Por regra o sistema de ar condicionado é estanque e não deverá necessitar de recargas ou “ajustes”. Porém como parte das tubagens são obrigatoriamente flexíveis, devido às vibrações dos veículos, existem com alguma frequência fugas do fluido de refrigeração.

Mas recarregar o seu aparelho de ar condicionado é relativamente barato e pode ser concluído em apenas alguns minutos. Esta é uma das tarefas fáceis de executar num automóvel. Mas tem o potencial de causar problemas, se feito incorretamente.

Devido a esse perigo é aconselhável que o serviço seja efetuado por profissionais. Pois os custos de “remediar” eventuais danos são geralmente elevados, além de morosos. Ou seja perde tempo e dinheiro.

Como funcionam os ar condicionados

Um aparelho de ar condicionado é composto por três partes. Um condensador, um compressor e um evaporador. O condensador e o evaporador são, mais ou menos, dois radiadores com uma ligação entre eles. O compressor está situado entre os dois, num dos lado do circuito.

O sistema é selado e cheio com um fluido, o que comummente chamamos de gás. O compressor usa o fluído de baixa pressão, em estado gasoso e comprime-o. Esta operação, na verdade, gera calor, devido a esse fato é enviado para o condensador.

No condensador o calor é dissipado para o exterior. Após o condensador, o refrigerante líquido viaja para o evaporador, localizado dentro do habitáculo, onde é permitido que se expanda, removendo o calor e refrigerando o evaporador.

O ventilador direciona o ar sobre o evaporador e, em seguida, envia-o pelas aberturas de ar no seu carro. Como o fluido é sujeito a grandes variações de temperatura, oscilando entre o muito quente e muito frio, é importante manter a humidade fora do sistema. A formação de gelo no compressor pode danificá-lo e a humidade provoca corrosão.

Processo de recarregamento do ar condicionado

Em primeiro lugar deverá ser verificado se o compressor está a funcionar corretamente. Com o motor em funcionamento ative o ar condicionado, regule-o para o máximo de frio, com o ventilador ajustado para a maior velocidade. Verifique se o compressor do ar condicionado está a funcionar.

Verifique a diferença entre ligado e desligado. Quando ligado, o centro da polia estará a girar. O compressor deve funcionar antes de poder verificar a pressão do refrigerante. Se não estiver a ligar-se frequentemente é porque não há líquido refrigerante no sistema.

Caso se suspeite que é esse o problema deverá ser adicionado algum gás e testado novamente o funcionamento do compressor. Caso não ligue, a origem do problema poderá ser o próprio compressor.

O técnico deverá localiza o bocal de serviço de baixa pressão do sistema de ar condicionado. Geralmente existem dois, mas como se sabe qual é? Saem dois tubos de metal do compressor, a porta de baixa pressão está no maior desses dois tubos.

Após remover a tampa de plástico do bocal convém guardá-la num local seguro, para que possa colocá-la de volta no lugar quando terminar. Nesta fase o técnico deverá ligar o aparelho de recarga ao bocal de serviço de baixa pressão.

Fases do carregamento do ar condicionado

Um carregamento poderá ser dividido várias fases. Numa primeira fase é retirado o resto de gás que existe no sistema. Após descarregar o gás “antigo”, é feito um teste de estanquecidade para verificar que não existem fugas detetáveis ao longo do sistema.

Depois é efetuada uma operação que pode ser designada de lubrificação do sistema com um produto específico. Atenção que, quando é carregado o gás também possui uma percentagem de “óleo”.

Esse lubrificante possui caraterísticas especiais que o tornam único. Para começar possui uma viscosidade muito baixa. Outra propriedade interessante é a capacidade de se associar ao fluído refrigerante, sem reagir quimicamente. Assim consegue lubrificar todo o sistema de forma eficaz

São lubrificados os pistões e as válvulas do compressor de ar. Este sistema é estanque, praticamente não sofre desgaste se tudo estiver correto. Outra caraterística importante é o facto de não congelar, mesmo a baixas temperaturas.

Na fase final é carregado no sistema o gás novo. A carga é medida em peso. Este valor varia de sistema para sistema. Deverá ser colocada a “dose” recomendada pelo fabricante. Se for colocado menos o sistema não funcionará corretamente, caso seja superior existirá excesso de pressão e poderá causar ruturas.

Poderá ainda ser efetuado uma operação de eliminação de bactérias. Um elemento físico que terá que ser verificado é o filtro do habitáculo. É aconselhada a sua troca a cada 3 anos.

Quais são os custos?

Os valores para a operação chamada de recarga do ar condicionado variam conforme a empresa que escolher para efetuar a recarga. Os preços mais baixos começam nos 35 euros, indo até perto de 50 euros. Caso seja incluído outro serviço poderá ser mais oneroso.

A chamada eliminação de bactérias poderá custar um adicional de 15 euros. A troca do filtro geralmente ronda outros 15 a 20 euros, mas pode variar um pouco de modelo para modelo.

Como os preços variam, é aconselhável que faça uma pesquisa de preços nas empresas que efetuam este serviço perto de si. Poderá poupar alguns euros com uma simples pesquisa.

Vantagens da utilização do ar condicionado

Graças ao bom funcionamento do ar condicionado, a concentração do condutor é maior. Além de, com isso, aumentar a segurança rodoviária, pois permite viajar mais confortavelmente.

Apesar de o ar condicionado aumentar o consumo, pode ser inferior a circular com as janelas abertas. Resumidamente as vantagens são:
– Melhora a qualidade do ar no interior do veículo;
– Assegura uma temperatura agradável quer seja verão ou inverno
– Permite uma condução mais confortável e segura;
– Evita o embaciamento dos vidros;
– Reduz os odores no interior do veículo.

Precauções a ter com o ar condicionado

Para prevenir problemas é aconselhado ligar regularmente o ar condicionado. Deverá ligá-lo por um período de cerca de 15 a 20 minutos uma vez por mês, mesmo no inverno. Isso irá fazer o gás e o líquido de arrefecimento circularem e lubrificarem diversas peças, ajudando a sair a água acumulada no filtro, o que evitará a corrosão.

Evite ligar e desligar o veículo com o ar condicionado ligado. Aumenta o risco de danos no compressor diminuindo a vida útil do equipamento. Ao fazer a manutenção do ar condicionado na viatura, garante-lhe um ar mais fresco no verão. Mas o ar condicionado não é útil somente no verão, pois permite eliminar o embaciamento dos vidros de forma eficaz durante o inverno.

Para quem sofre com alergias, sinusites e outros problemas respiratórios é também benéfico. O ar condicionado permite-lhe ter um habitáculo mais saudável através da renovação e puficação do ar, sem pólen e sem odores. Desde que corretamente mantido.

Fotos | Pexels, Wikimedia, Wikimedia