Marcha-atrás o meu martirio

Luzes de marcha-atrás

A condução de um automóvel é um conjunto de tarefas e procedimentos que permitem o seu controlo na circulação ou eventual realização de manobras. Para um individuo se tornar condutor tem de reunir capacidades psicofísicas minimas e determinadas em regulamento, assim como conhecimentos técnicos, leia-se formação adequada.

A capacidade técnica é adquirida com a pratica repetida, numa primeira fase nas escolas de condução para se consolidarem os conhecimentos e numa fase posterior em viatura própria e de forma progressiva.  Se assim for, conseguem-se compreender os conceitos e rotinar corretamente as tarefas associadas ao bom desenvolvimento da condução no seu todo.

A manobra que incomoda muita gente

Uma das manobras que se aprende na aquisição de competências técnicas na escola de condução é a “marcha-atrás“. Esta é uma manobra que permite ao futuro condutor conseguir dominar o seu veículo numa trajetória correta e alinhada, em caso de ter de recuar em alguma circunstância. Recordemos que estamos autorizados a efetuar a marca-atrás apenas como forma de auxilio ou recurso. Jamais como forma de comodidade.

Para se realizar bem uma marcha-atrás, deve o condutor perceber que a manobra se deve ser efetuada lentamente, uma vez que não só estamos a circular em direção contrária ao normal fluxo de trânsito, mas também que as rodas direcionais passam a estar no lado oposto à direção da marcha do veículo, fazendo com que a dinâmica deste se altere também.

Muitos, mas mesmo muitos, são os formandos que se mostram desconfortáveis quando estamos em prática desta manobra, num redondo de um passeio, alegando que jamais a realizarão quando forem encartados. Mas a realidade é outra. Num contexto real de trânsito onde o condutor, num estreitamento de via por motivos de obras, por exemplo, tenha de realizar a manobra de marcha-atrás, muitos são os que têm sérias dificuldades em o fazerem, atravessando o veículo na via o comprometendo a fluidez do trânsito.

Hoje em dia já existem sistemas eletrónicos de condução ativa, chamados sensores de estacionamento ou até mesmo de auto-estacionamento, que apoiam o condutor na realização da manobra. Existem automóveis que têm aplicadas cameras na sua retaguarda para combater os ângulos mortos traseiros. No entanto, ainda não realizam a manobra ao longo de um trajeto.

Fica o desafio; num local tranquilo experimente efetuar o contorno de um passeio, não se distanciando mais de 30 cm deste. Ah! não se esqueça de sinalizar a sua manobra com o pisca da direita. Boas práticas e boa condução.

Foto ¦ Pava