Novidades do Salão de Genebra 2019 para a segurança rodoviária

genebra

A cada ano, perto de chegar a primavera, chega também o Salão de Genebra. O evento suíço, juntamente com o Salão de Paris e com o de Frankfurt, é o escaparate de referência para os fabricantes no continente europeu. Apresentam anualmente as últimas tendências e novidades tecnológicas da indústria automóvel. Isto, na época em que vivemos, significa mais carros elétricos, novas tecnologias de conectividade e de condução autónoma.

São tecnologias que, de forma irremediável, afetarão a segurança rodoviária mais tarde ou mais cedo durante a próxima década. Assim o comprovámos no último Salão CES de Las Vegas 2019. Para o caso do Salão de Genebra 2019, a variedade concentra-se mais no âmbito do automóvel.

A Michelin apresenta o primeiro pneu conectado do mercado

genebra

A feira suíça serviu para descobrir três novos modelos de pneu da Michelin. O fabricante francês demonstra uma vez mais a utilidade das últimas tecnologias para aumentar o rendimento e a segurança dos seus pneumáticos.

Deste modo, ficámos a conhecer o Michelin Pilot Sport 4 SUV e o Michelin Pilot Sport Cup2 R. Ambos nascem com uma vocação clara para o desporto que acarretará benefícios em fatores como a aderência em toda a sua gama. Como terceiro convidado, encontramos o Michelin Track Connect. O primeiro pneu conectado do mercado.

O sistema de conectividade é herdeiro do que a Michelin usa nos seus pneus de competição. Este permite gerir, através de uma aplicação para smartphone, diferentes tipos de informação, como o estado do pneumático, a temperatura e a pressão. Os dados partem de uma série de sensores que se incorporam na roda. Além disso, a Michelin incorporou na sua app a possibilidade de partilhar a informação com outros utilizadores ou grupos. Graças a esta última experiência, o sistema pôde melhorar em provas realizadas nos Estados Unidos, Europa e China por diferentes utilizadores.

As tecnologias de conectividade dos pneus contribuem em muito para a melhoria da segurança rodoviária, ajudando a aumentar a sua versatilidade ou a prevenir situações como o desgaste dos pneus.

Mais carros elétricos do que nunca no Salão de Genebra

genebra

O Salão de Genebra foi testemunha da aceleração da transição que a mobilidade vide. Quase todos os fabricantes movem os seus peões, de forma estratégica, na direção do carro elétrico. Uma mudança tão estrutural que afeta a segurança rodoviária por muitos motivos.

Pudemos ver 23 novas soluções que se traduzem em diferentes tipos de motorizações, 100% elétricas, híbridas ou plug-in. Desde modelos inéditos (como o Seat el-Born, o primeiro 100% elétrico da marca; Fiat Centoventi; Peugeot e-208; o Audi Q4 e-tron ou o Honda e Prototype), até aos velhos conhecidos, que renovam a sua autonomia 100% elétrica para se prepararem para os novos tempos da mobilidade elétrica. Tal é o caso do Nissan Leaf e+ ou a última versão do Kia e-Soul. Estes aumentaram a capacidade energética das suas baterias de forma a superar a fronteira dos 400km de autonomia elétrica.

Até os modelos mais tradicionais, como o Renault Clio, já começam a introduzir motorizações que combinam as velhas com as novas tecnologias. Desta maneira, a quinta geração do modelo francês terá uma versão híbrida com uma tecnologia denominada E-Tech (que será incorporada também no Captur e no Mégane no futuro).

A Volvo limitará a velocidade para 180 km/h em 2020

A Volvo aproveitou o Salão de Genebra para se adiantar a uma medida de caráter legislativo que a Comissão Europeia está a preparar. A partir de 2020, os seus novos modelos não poderão ultrapassar a velocidade de 180km/h.

O fabricante sueco encaixa esta medida na sua estratégia Vision 2020, nascida de iniciativas como a Vision Zero e o Objetivo Zero. A meta final é erradicar todos os sinistros, graças em parte ao papel das novas tecnologias. Por isso a Volvo trata de adiantar várias soluções que têm de ser aplicadas pelos fabricantes.

genebra

Nesta linha também anunciaram uma tecnologia que junta um cruise control inteligente à geolocalização, capaz de limitar de forma automática a velocidade em determinadas áreas residenciais, escolares ou de hospitais.

Até à condução autónoma

A última fronteia que suscita estas mudanças que chegam da indústria é a condução autónoma. Esta tecnologia será a protagonista da próxima década. E os fabricantes, não só a Volvo, também aproveitou o Salão de Genebra para apresentar alguns dos seus avanços. É o caso, entre outros modelos, da última versão do Volkswagen Passat, que inclui um modo semi-autónomo.

Ainda que a condução autónoma plena ainda pareça estar longe, é um facto que os fabricantes têm já conquistados os níveis intermédios. São os passos prévio para a concretização da primeira. Nesse sentido, a Mercedes revelou em Genebra um simulador de tecnologia de condução autónoma. Funciona como um laboratorio e serve para demonstrar as incríveis vantagens que a mesma trará para a segurança rodoviária, de maneira a conseguir que os sinistros sejam meras exceções.

Imagens | Michelin, Nissan y Mercedes-Benz

Fonte: CirculaSeguro.Com