O que precisa de saber antes de comprar um carro novo?

“Que carro escolho?”, esta é uma questão que muitos de nós fazemos quando decidimos comprar um carro novo. A compra de um carro “zero km” deve ser algo que o satisfaça, mas não só. A posterior utilização do mesmo não pode ser uma decepção. Para que a compra seja de sonho deve ponderar diversos critérios aquando da pesquisa.

São muitos os tipos de carros, os segmentos e os modelos à escolha. O Circula Seguro vai ajudá-lo para que não se perca. A variedade disponível é muito grande. Descubra o que deve realmente saber antes de comprar um carro novo?

Quer um carro de sonho ou só um meio de transporte?

Se a sua resposta é um superdesportivo, o único que irá satisfazê-lo será exatamente esse superdesportivo. Se financeiramente o pode comprar, nenhum outro carro o deixará satisfeito. Compre-o e divirta-se, não necessita de ler o resto do artigo.

Para a maioria das pessoas existe um porém… Um pequeno “porm€nor” que o separa do carro novo desejado. Por mais voltas e independentemente das contas que façam o seu orçamento não estica até ao carro pretendido.

Assim, terão que ser adicionados outros fatores para seja possível chegar à escolha ideal. Vamos separar esta análise por diversos critérios, para ser mais fácil saber o que deverá definir antes de comprar um carro novo.

Apurar necessidades e selecionar possibilidades

Apesar de ninguém possuir uma bola de cristal, antes de comprar um carro pondere os fatores que implicam com o veículo que necessita. Este será o seu único carro? Quantas pessoas irão consigo? Tem filhos? Animal de estimação? Vai fazer viagens longas? Irá utilizá-lo para transportar as suas compras? Com 3 ou 5 portas?

Todas as questões são importantes. Pense sempre nas suas necessidades, atuais e futuras. De nada servirá comprar um carro novo de 2 lugares hoje se está a planear ter um filho no próximo ano. Provavelmente deverá adquirir um modelo que seja adequado a esse seu plano.

Toda a escolha deve se adequar à utilização. No caso exemplificado atrás uma carrinha, ou um SUV, deverão ser as escolhas mais vantajosas. Tem maior espaço da bagageira e facilidade de acesso ao banco traseiro, tão necessários quando o seu bebé chegar.

Confirme qual o resultado dos testes de segurança EuroNCAP de cada um dos veículos com que mais simpatiza. Certifique-se que o modelo escolhido possui os equipamentos de segurança ativa e passiva que considera essenciais. Exclua aqueles que não atinjam o nível que pretende.

Qual a melhor motorização para si?

Para muitos a questão do combustível é muito importante. Será que compensa comprar um veículo a gasóleo ou deve adquirir um a gasolina? Existem ainda propostas a gás natural. Será que deve investir numa das propostas híbridas?

Ou deixar completamente de lado os combustíveis fósseis e adquirir um veículo totalmente elétrico? Existe ainda a hipótese dos veículos alimentados a hidrogénio. As escolhas neste momento são muitas mas depende sempre de si. Está à vontade com as novas propostas? E qual a utilização que dará ao seu novo carro?

Se pretende circular sempre em cidade, com uma distância que não ultrapasse os 200 quilómetros, por deslocação, qualquer das opções podem ser válidas. Caso a sua rotina implique percorrer mais que a distância acima indicada, de uma só vez, as versões totalmente elétricas devem ser excluídas. Pelo menos para já.

As propostas atuais, mesmo as que falam de 400 quilómetros, realisticamente tendem a ficar longes desses valores de autonomia anunciados. Como já referi no artigo sobre uma viagem de Lisboa ao Porto e respetivo regresso num veículo elétrico, o maior problema são os carregamentos… demoram uma eternidade! E sem contar com as filas de espera!

O caso piora se a carga for efetuada através de uma tomada doméstica normal. É fácil um veículo com uma bateria com capacidade de 100 kW/h necessitar de estar mais de um dia, entenda-se 24 horas, ligado à corrente para voltar a ficar carregado a 100%. Pior é se não tiver garagem

A distância que efetua anualmente antes era o fator mais preponderante para a escolha da motorização. Se efetuava um total superior a 25.000 quilómetros, por ano, a escolha acertada era um diesel. Agora a vantagem de cada um dos tipos de motorizações depende, primariamente, do uso que dará ao novo carro.

Não descure as normas e proibições previstas

Da perspetiva ecológica existe muita pressão sobre as emissões. Muitas são as cidades que estão a preparar a proibição de circulação de veículos com este tipo de motor. Em Munique e Estugarda, na Alemanha, pretendem banir os diesel que não cumpram a norma Euro 6. Na Grécia, a entrada de carros diesel no seu centro de Atenas já acontece em função da matrícula. Mas tenciona proibir totalmente a circulação dos diesel em 2025.

Em Bruxelas, na Bélgica, será implementa, já este ano, uma proibição à circulação dos carros a gasóleo anteriores a 1998. Em 2025, o centro de Paris, em França, fica interdito aos diesel. Ainda em França será proibida a venda de veículos com motores de combustão interna até 2040.

Três cidades italianas, Roma, Milão e Turim, já implementaram impedimentos à circulação, em função das emissões de CO2. Em Espanha está prevista a proibição a veículos com motores de combustão interna no centro antigo de Madrid, daqui a 2 anos. Para 2025, a proibição será total no centro da cidade para os carros a diesel.

O ano de 2040 é a data limite para a venda de carros novos a gasóleo e a gasolina no Reino Unido. Dentro de 2 anos todos os diesel ficam proibidos de entrar no centro de Londres. Na Noruega está previsto que a partir de 2025 será possível apenas comprar um carro novo com emissões zero.

Não será apenas na Europa que os motores de combustão interna serão desencorajados. Na China, muitas das ruas na cidade de Chengdu estarão abertas apenas à circulação de veículos elétricos, já em 2020. Na Índia, todos os veículos novos vendidos terão que ser elétricos, em 2030. Na cidade do México os carros a gasóleo serão proibidos a partir de 2025.

Saber o que pode pagar

Já sabe qual o valor por mês que pode gastar? Possui capital para dar de entrada? Sabe qual é o seu limite? Se disser que pode gastar 250€ por mês deverá também saber por quanto tempo está disposto a dispensar esse rendimento.

É diferente pagar 60 ou 120 meses. No primeiro exemplo gastará 15.000 euros e no segundo exatamente o dobro. Saiba se o crédito será com despesas incluídas, ou não. Saiba se existe a necessidade de dar uma entrada e se existirá uma prestação final de valor diferente das restantes.

No momento de comprar um carro novo, nem todos se lembram de todas as parcelas da operação de troca de carro. Esquecem-se da matemática, de somar as parcelas. Não deve apenas contabilizar o valor de aquisição do carro novo.

Considere também as revisões periódicas previstas e o gasto em combustível para os quilómetros que prevê efetuar. Qual o custo do seguro, do imposto único de circulação e classe nas portagens. Por fim, a depreciação, o valor espectável do seu carro novo quando o pretender vender.

Só após recolher estas informações é que poderá efetuar uma escolha ponderada e fundamentada. Se não o conseguir fazer sozinho peça ajuda. Comece por pedir aos vendedores que forneçam os dados dos veículos que estão a tentar lhe vender.

Confirme os dados com pesquisas em sites de proprietários dos modelos que se adequam às suas necessidades. Assim deverá conseguir organizar a informação de forma que sejam comparáveis as diferentes hipóteses. Analise os dados obtidos e escolha em consciência.

Amortizar o pagamento com uma retoma

Parte do pagamento da nova aquisição pode ser o seu carro antigo, tente saber qual o valor de mercado. Não é o que o vendedor sonha, nem é o que o comprador deseja, é simplesmente o valor real.

Sabe que se entregar num stand tentará sempre de baixar ligeiramente o preço do automóvel que entrega como retoma. Essa diferença será para que o stand possa garantir a sua margem na próxima venda. Engloba ainda a recuperação de eventuais defeitos, revisão, preparação para venda e garantia.

Existe ainda possibilidade de vender a um particular, a probabilidade de receber mais pelo seu carro usado é maior. Porém terá que “fazer de vendedor” e então perceberá o “custo” dessa atividade. Ser vendedor de carros implica assumir os custos que a demora na venda acarreta.

Terá que lidar com os “sonhadores” e “candidatos a pilotos”, que só querem ver o carro e dar “voltinhas” para experimentar. Estas situações acabam fazendo-o perder tempo, paciência e dinheiro. Por vezes acaba diminuindo ou anulando a atratividade desta hipótese.

Faça uma boa pesquisa de mercado e não avance para a compra do primeiro veículo que encontrar. Consulte especialistas, visite diversos stands e concessionários, analise diversas formas de financiamento. Faça uma escolha informada.

Foto | Pictures of money, Johny Wheels, Geralt, MaxPixel