Os órgãos do motor que mais avariam

Todo o automobilista com alguns anos de experiencia já lidou com avarias nos seus carros. Umas podem ser mais graves, outras mais simples, mas são todas sempre aborrecidas e algumas muito dispendiosas.

O motor, como principal órgão de qualquer veículo, acaba por ser o que acarreta mais despesas de reparação quando algum componente avaria, felizmente que as técnicas de construção e a tecnologia empregue tem reduzido a frequência das avarias e a gravidade das mesmas. Saiba mais sobre os órgãos do motor que avariam com maior frequência.

A sonda lambda que tem como objetivo ajudar o motor a trabalhar da forma mais eficiente possível enquanto produz o mínimo de emissões. Infelizmente é das avarias mais frequentes, pois a sobrecarga que sofre ao longo do tempo a faz perder, aos poucos, a capacidade de fazer leituras corretas dos gases.

Não sendo reparada atempadamente vai acabar por custar dinheiro extra em combustível, pois não consegue gerir a mistura de combustível de forma adequada, fazendo o motor consumir mais que o normal e poluindo mais também. Se não for tratada de todo irá levar a problemas de aquecimento e desgaste prematuro do motor.

Outro caso que numa primeira instância pode ser reparado, é o radiador furado, uns pequenos pingos no chão são os primeiros indícios e há quem opte por tentar efetuar reparações caseiras, infelizmente na maior parte dos casos, apenas adia o inevitável.

Se tem problemas no radiador do carro seja pragmático, resolva o problema de forma definitiva, não tente poupar uns trocos, substitua-o por um novo e assim terá a certeza que não será apoquentado com novos derrames num futuro próximo.

Ainda nas falhas simples existe uma boa percentagem que é evitável, bastando para tal efetuar algo tão básico como verificar e corrigir os níveis dos fluídos do motor. A manutenção dos níveis corretos da água e do óleo são essenciais para uma boa saúde dos órgãos do motor.

Avarias graves (e caras) dos orgãos do motor

A avaria da junta da cabeça é uma das mais referidas pelos proprietários, sendo das mais temidas devido ao facto de provocar danos cgravosos. O seu custo também é elevado, pois a reparação envolve sempre muitas horas de trabalho, por vezes com a retificação do bloco e da cabeça do motor, e às quais ainda é preciso somar o custo das peças que são necessárias substituir e estas, geralmente, também não são baratas.

As avarias da centralina de controlo do motor também são uma das avarias mais difíceis de reparar. Neste caso, entra em jogo, não só a questão económica como o facto de muitas oficinas independentes não disporem das máquinas adequadas para determinar em que consiste exatamente a avaria. Este é um daqueles casos em que deverá dirigir-se ao agente autorizado da marca sem hesitação ou a uma oficina certificada.

A correia de distribuição, em caso de quebra, provoca o caos no motor, já que outras peças vão começar a bater umas nas outras, danificando-se. Na melhor das hipóteses os pistões e as válvulas teriam de ser reparados, pelo que o custo do reparação, no mínimo, se multiplicará pelo número de cilindro existentes.

Outra das avarias dispendiosas que um carro pode sofrer é a da bomba de combustível nos motores Diesel. São vários os motivos que podem provocar a avaria deste componente. Dois dos mais comuns são a má qualidade do combustível e a entrada de água no sistema de combustível.

O turbo é um dos orgão do motor cuja avaria é mais temida

Os turbos, cada vez mais utilizados, até em motores de cilindrada mais reduzida, acabam por ter dificuldade em gerir as altas rotações a que funcionam, provocando também um desgaste acentuado.

As avarias nos turbos são caras de solucionar e implicam muitas vezes a substituição do componente em si. A qualidade do óleo usado na lubrificação do motor e que também lubrifica o turbo é uma das garantias do seu bom funcionamento.

Se soubermos a origem dos problemas podemos minimizá-los, garantindo a manutenção adequada dos órgãos do motor e o custo da sua manutenção será reduzido ao mínimo.

Foto | Vetatur Fumare