Quais os componentes que mais se substituem num automóvel

03

Os componentes que mais se substituem em qualquer veículo são geralmente denominados por consumíveis. Têm essa designação porque, naturalmente, são substituídos com maior frequência, geralmente por desgaste e, em alguns, casos por avaria.

Porém existem outras peças que também acabam sendo substituídas com relativa frequência pelos mesmos motivos dos tais consumíveis. Quer saber quais são?

Estes tais consumíveis, na maioria das vezes, nem constam da lista de peças que a garantia da marca oficialmente assegura em caso de avaria.

Consumíveis

Entre os chamados consumíveis encontramos os pneus, quando se desgastam normalmente a sua substituição é previsível, porém quand seo furam criam problemas de segurança e de mobilidade.

Se no momento do furo estivermos a circular, o risco de despiste é significativo. Algumas estradas estão frequentemente inundadas de detritos, alguns naturais, como pequenos ramos e folhas, outras de origem diversa, como obras ou reparações do próprio pavimento das vias e que são as mais provocam furos e rasgões nos pneumáticos.

As escovas limpa-vidros são outro tipo componente que quando não estão em condições, deixam o condutor em maus lençóis, pois a redução de visibilidade provoca falhas de segurança evidentes à circulação rodoviária.

Os travões são dos componentes mais importantes na segurança de um veículo, logo as pastilhas são os principais elementos de desgaste pelo que a sua substituição é relativamente frequente e deverão ser verificadas de forma regular.

Sem energia não arrancamos

Quando a bateria está descarregada ficamos com um problema em mãos, logo convém verificar o estado da bateria de vez em quando, sabendo que a vida útil deste componente é superior a 4 de anos, podendo atingir 6 ou 7 anos, em casos extremos.

Mas uma bateria mal cuidada pode falhar nos primeiros anos de uso, para que tal não aconteça verifique o nível da água (caso não seja blindada), limpe os terminais para garantir sempre uma boa conetividade.

Evite deixar as luzes ou outro componente elétrico ligado quando estaciona o carro. Lembre-se de desligar os cabos da bateria, no caso de deixar o veículo parado durante muito tempo.

Componentes mais dispendiosos também avariam

Não são só os componentes mais baratos que necessitam de ser substituídos de forma regular. O radiador, é um deles, é um elemento crucial mas, infelizmente, faz parte da lista das avarias mais frequentes em veículos motorizados.

Outro componente nesta lista dos mais onerosos é a sonda lambda, que tem como missão ajudar o motor a trabalhar de forma mais eficiente produzindo o mínimo de emissões de poluentes.

Outros componentes que mais se substituem num automóvel

Estes componentes quando são substituídos, não são exatamente por avaria, mas sim por quebra, e influenciam a segurança da circulação, por regra as quebras são provocadas por pequenos acidentes que provocam o desgaste precoce destes componentes.

Falamos, por exemplo, dos retrovisores, que quando bem utilizados são a garantia de conseguir ver o que se passa ao redor da sua viatura. Caso não os use, só conseguirá ver para a frente.

Os para-choques também são sujeitos a embates e choques que lhe vão provocando fissuras e, eventualmente, a quebra efetiva deste elemento de segurança, a sua falta de integridade poderá ser um problema no caso de um embate mais violento.

A nível aerodinâmico, a quebra dos para-choques, também será um impedimento à suavidade e escoamento necessário do ar em redor do veículo, criando ainda a probabilidade de perda de pedaços da peça ou da peça na íntegra.

Os sistemas de iluminação também sofrem frequentemente danos e avarias, por causa de embates, dos raios UV e do desgaste da utilização, que implicam a sua substituição. A falha dos faróis, quer sejam dianteiros quer sejam traseiro, são um problema, para si, porque deixa de conseguir ver adequadamente para onde vai quando está escuro e para os outros que não o vêem a si.

Foto | PDP