Qual a relação entre a cor do carro e os acidentes?

Acha que a cor do seu carro influencia somente o estilo? Diversos estudos são unânimes a associar a cor do carro à maior ou menor probabilidade de ser envolvido num acidente. As cores influenciam muitos fatores.

A variação das cores também provoca tentação aos amigos do alheio. A probabilidade de roubo é menor para determinadas cores. Ainda afetam o valor comercial de revenda dos usados.
O Circula Seguro conta-lhe a relação entre a cor do carro, os acidentes e os outros fatores.

Existe relação entre a cor do carro e os acidentes

Um estudo espanhol revela que os veículos brancos e amarelos têm menos 10% de probabilidades de se envolverem em acidentes. Em destaque fica a redução da probabilidade de sofrer um “acidente passivo”, ou seja, que outra viatura lhes bata.

Estes resultados têm uma exceção nos países nórdicos onde a neve predomina em determinados meses do ano. Nesses casos, o branco perde a liderança. Essa diferença revela de imediato uma das caraterísticas que mais afetam a segurança. Para ser seguro tem que ser visível.

Quanto mais chamativa for a cor mais fácil de identificar, mas é necessário destacar-se em relação aos restantes elementos da via pública. Assim, a cor é um elemento fundamental na segurança rodoviária. Alguns especialistas dizem que a cor só é ultrapassada pela utilização de luzes diurnas no que respeita à visibilidade frontal.

Os piores resultados vão para as cores com menor visibilidade. E para as que possuem baixo contraste em relação às cores envolventes na estrada. Como é o caso dos tons cinza, muito idênticos à cor da superfície do alcatrão.

Segundo os investigadores, estas descobertas sustentam a lógica de que as ambulâncias sejam pintadas de branco com elementos a vermelho. No caso dos bombeiros a cor é vermelha com elementos a branco. E ainda em muitos países os autocarros escolares usam a cor amarela para se destacar dos outros elementos da via pública.

A cor do carro e as consequências

Atualmente o branco é a cor que tem dominado o panorama da cor automóvel, registando 37% das escolhas de todos os automobilistas, segundo a Axalta Coating Systems. Esta cor para além de estar na moda é muito usada por ser a menos custosa, logo é das preferidas para veículos comerciais. A segunda cor mais escolhida foi o cinza com 22%, ficando o preto em terceiro, com 18% das escolhas.

Seguem-se o azul e o vermelho, ambos com 6%. As cores mais vendidas nos carros novos são mais valorizadas no mercado de usados, pois mais pessoas também as procuram. Como foi mencionado na introdução, a atração que os veículos exercem nos gatunos também varia conforme a cor. Em diversos estudos as cores azul e cinza são indicadas como mais prováveis de serem alvo de roubo.

A cor do carro e os roubos

O economista Ben Vollard analisou o roubo de automóveis na Holanda. O estudo foi baseado em dados acumulados de roubos ao longo de quatro anos. A conclusão revelou que os automóveis nas cores azuis e cinzas são 40% mais suscetíveis de serem roubados.

O economista refere ainda que uma cor berrante, como laranja, é provavelmente tão eficaz como um avançado sistema de segurança. Assim as cores menos prováveis de serem roubadas são as mais “fortes”, como por exemplo, laranja, tijolo e verde.

Afinal a escolha de uma cor de automóvel pode ter consequências diferentes das esperadas e não são só estéticas. As peças de carroceria com cores mais comuns são mais fáceis de vender mais tarde pelos gatunos. Isso também é importante para “valorizar” a venda dos veículos roubados, por isso estes são alvos mais habituais.

O problema para os proprietários dos veículos é que os ladrões têm essa noção, preferindo as cores mais vendáveis. Assim os mais procurados normalmente são as cores mais comuns, sejam para serem vendidos inteiros, quer para vender às peças.

A sua escolha da cor do carro pode ser inocente no momento da compra, porém acarreta alguns riscos ou benefícios conforme descritos atrás. Se escolhe branco por ser uma das cores da moda, aumenta o risco de ser roubado exatamente por isso.

Se a escolha recaí nos cinzas, continua a correr riscos com os roubos e aumenta a probabilidade de se envolver num acidente. Escolha amarelo que todos vêem o carro, mesmo que você não queira. Para vendê-lo é que será complicado… o difícil não é escolher, é viver com a escolha!

Foto | Linkedin