Que carro escolho?

Comprei o carro porque era lindo! Cada vez ouvimos mais pessoas a afirmar ser esta a sua única forma de seleção. Depois ainda admiram-se que a escolha não seja a mais adequada às suas necessidades. Mas será que só a estética é suficiente para que seja uma boa escolha?

Ao escolher um veículo devemos achá-lo agradável à vista, sim, mas não deve ser algo que só nos traga dissabores. Para tal devemos ser mais criteriosos. Saiba que cuidados deve ter, efetivamente, na escolha do seu carro novo. É caso para perguntar “Que carro escolho?”

Será um amor de verão?

Antes de se deixar seduzir pela beleza, saiba o que precisa. Não se deixe levar pelos amores, sejam estes de verão, outono ou de ano novo. Temos que ser práticos e pensar nas nossas necessidades, objetivos e capacidades. O comprador tem que ser realista, sem que a compra seja “maçadora”, naturalmente.

O orçamento pessoal, ou familiar, tem de ser capaz de comportar a despesa que a aquisição representa. Comprar carros, sejam novos ou usados, pode ser um processo complexo e dispendioso. É importante saber quais os aspetos que deve ter em conta.

As chamadas compras por impulso são um dos maiores problemas na saúde financeira de muitos agregados familiares. Mas as marcas conhecem cada vez mais os comportamentos dos consumidores. E, naturalmente, adotam estratagemas, como a adoção de incentivos, para levá-lo a concretizar a compra. Esteja atento!

Tenha um objetivo

Como já mencionei no início do artigo, por muito que goste esteticamente de determinado carro analise se é o modelo correto. Para que a escolha seja acertada em primeiro lugar defina qual o uso que lhe vai dar. Adeqúe o tipo de veículo ao número de pessoas com que normalmente viaja.

Da mesma forma, garanta que o veículo escolhido é capaz de circular nas estradas e tipo de terreno por habitualmente circula. Faça uma seleção do tipo de veículo capaz de ter um bom desempenho nesse tipo de meio. A orografia é muito acentuada? Privilegie motores com mais binário.

Costuma viajar com muita bagagem? Que tipo de utilização pretende dar ao veículo? Pondere também sobre outros pormenores, como o tamanho da bagageira e o número de lugares. Em resumo, todos os pormenores que sejam relevantes de acordo com o tipo de utilização que dará ao carro.

Faça o trabalho de casa

Se a sua escolha recair num carro usado, recolha todas as informações possíveis. Se não perceber muito sobre automóveis, faça-se acompanhar por quem saiba aconselhá-lo. Descubra o motivo para estar à venda e certifique-se de que o veículo está em boas condições de funcionamento. Para ser perfeito e ter mesmo a certeza de estar a escolher o carro certo, leve-o a um mecânico da sua confiança. A experiência que estes profissionais podem aportar à decisão final é relevante.

Se procura alguma segurança complementar opte pelos chamados “usados certificados” que diversas marcas disponibilizam. Geralmente são modelos recentes, inspecionados e recondicionados por um concessionário oficial, com garantia da marca. São um pouco mais caros que comprar a particulares, mas a segurança paga-se!

A consciência ecológica também é um fator cada vez mais em voga no momento de comprar um veículo. Para algumas pessoas, a única opção é ser o menos poluente possível. Nesses casos deve ponderar as versões elétricas e híbridas. Caso as ofertas disponíveis se adequem ao que precisa conseguirá reduzir a sua pegada ecológica.

Como pagar o carro

Mas antes de fechar a compra veja bem as condições financeiras do negócio. Em primeiro lugar confirme se vai pagar o preço justo pelo carro em causa. Não aceite valores inflacionados do veículo. Mas caso se sinta demasiado pressionado parta para outro negócio.

O ideal é pagar a pronto, exceto se o juro for realmente 0%. Caso pretenda pagar às prestações, lembre-se das suas despesas mensais correntes atuais. Só depois de analisar a soma de todas as despesas é que pode confirmar se ainda resta dinheiro para realmente avançar com a compra.

Leve em consideração o seu tipo de vínculo laboral. Caso esteja previsto ter de pagar prestações do carro por um período superior à duração do seu contrato como prevê honrar o pagamento do financiamento? O crédito que vai adquirir possui seguro no caso de desemprego? Confira todas as condições.

Quanto custa manter o carro?

Ao fazer contas muitos esquecem do consumo, da manutenção e dos outros custos que ter um carro implica. Começando no combustível passando pelas revisões, inspeções, seguro, portagens e algum “fundo de emergência” para superar os imprevistos. No caso da manutenção é mais fácil. Calcule quantos quilómetros prevê fazer e saberá aproximadamente quanto duram os componentes do seu carro.

Agendando a manutenção, de forma preventiva, conseguirá apurar os gastos previsíveis neste item. Calcule se o valor da compra não será depois acompanhado de custos muito altos de consumo de combustível. Some a fatura prevista no paragrafo anterior, da manutenção, com o do consumo, continua a ser um bom negócio? Por vezes pagar mais na compra é a única forma de poupar nas despesas futuras.

Nada substitui o experimentar do veículo que pretende comprar. Pois só assim pode perceber como se sente ao volante dessa viatura. Assim, pode testar as reais capacidades do carro em questão. Este é o teste derradeiro para se decidir a comprar, ou não. Mas lembre-se de fazer o teste de preferência onde irá circular diariamente. Assim poderá se aperceber do que terá em mãos para fazer a sua vida.

Foto | Cars 101