Travagem de emergência autónoma reduz acidentes em 28%

Volvo-City-Safety-1

As novas tecnologias ajudam a evitar acidentes e quando não evitam reduzem os efeitos e a gravidade dos mesmos para os indivíduos envolvidos. Um dos estudos científicos mais completos onde foram analisados os dados de sistemas anti-colisão revela que a tecnologia “City Safety” da Volvo reduz os pedidos aos seguros em 28 por cento, quando analisamos os embates traseiros.

Com base nos acumulados de reclamações de seguros nas seguradoras suecas, os dados revelam que o desempenho do “City Safety” é conclusivo e revela o valor na vida real deste sistema anti-colisão, que na verdade é uma travagem de emergência autónoma.

Vantagens da travagem de emergência autónoma

O principal benefício do sistema é a sua capacidade para reduzir a incidência de traumatismos cervicais e outras lesões relacionadas com o pescoço causadas por acidentes de trânsito de baixa velocidade. O benefício secundário para os condutores é uma redução nos danos causados pelo acidente nos seus carros e os custos que isso implica.

O estudo é baseado em dados efetivos de companhias de seguros, que no seu acumulado tem o equivalente a mais de 160.000 anos de histórico de tráfego de veículos, tornando-o único no estudo de sistemas anti-colisão. Ao contrário dos dados da polícia ou dos dados dos serviços de emergência de saúde, os dados da companhia de seguro cobre todos os acidentes, independentemente da intervenção das forças policiais e da existência de pessoas feridas ou não, dando uma visão mais completa do desempenho no mundo real desta tecnologia.

“A Volvo Cars lançou sua primeira tecnologia de prevenção de colisões em 2006. “City Safety” foi introduzida como padrão em todos os novos modelos de automóveis Volvo a partir de 2008. Desde então, temos vindo a acompanhar o desempenho dos nossos sistemas anti-colisão, na Volvo Cars em toda a Suécia, onde temos uma quota de mercado de 20 por cento. Esta é uma amostra estatística muito forte por base as conclusões, como um em cada cinco carros na estrada na Suécia é um Volvo”, disse Magdalena Lindman, Especialista Técnico, de Análise de Dados de Segurança no Trânsito da Volvo Cars.

Os dados do estudo mostram que os carros equipados com as duas primeiras gerações de City Safety, que estavam ativos automaticamente, efectuando travagem de emergência autónoma em velocidade de até 30 ou 50 km/h em determinadas situações de tráfego, estiveram envolvidos em 28 por cento menos acidentes e subsequentemente em menos sinistros de seguros.

Seguro mais barato

Esta tecnologia também oferece benefícios mais imediatos para os condutores, com as companhias de seguros a oferecem descontos entre 20-25 por cento sobre os prémios de seguros em vários países, graças a esta tecnologia inovadora e mais segura.

Os sistemas anti-colisão são cada vez mais popular entre os condutores que passam muito tempo ao volante em constante pára/arranca no tráfego, onde o risco de colisões a baixa velocidade é bastante elevado. Este sistema está presente em todos os modelos novos da marca sueca, como padrão, desde 2008, este tipo de tecnologia existe também noutras marcas.

A primeira geração da tecnologia conseguia funcionar em velocidades de até 30 km/h. Em 2013 este limite foi aumentado para 50 km/h. Em 2015 o “City Safety” foi atualizado no XC90 e agora opera em todas as velocidades, por enquanto apenas neste modelo.

Mais um passo na direção dos carros autônomos

“Nós vemos o nosso desenvolvimento contínuo de prevenção de colisões e sistemas de condução assistida como trampolins para os carros autónomos. A Volvo Cars já está na vanguarda do desenvolvimento do carro autónomo e a nossa enorme credibilidade em segurança do carro é uma grande vantagem. Acreditamos que os sistemas anti colisão serão um facilitador para obtermos carros que não batem e permitir às pessoas a liberdade de conduzir ou ser conduzido em conforto para o seu destino”, concluiu Magdalena Lindman.

A Volvo Cars tem como objetivo de médio prazo, algo denominado de “Visão 2020”, e em que a marca sueca define como objetivo oferecer carros em que ninguém é seriamente ferido ou morto. O seu objetivo a longo prazo é projetar carros que não tem acidentes.

Os resultados deste estudo independente, que compila os avanços e a eficiência dos sistemas de prevenção de colisão, foram entregues na conferência ESV (Segurança Reforçada de Veículos) realizada em Gotemburgo entre 8 e 11 junho, só para ter a noção da dimensão desta conferência estiveram presentes 856 delegados de 26 países e contou com 34 patrocinadores e expositores.

Foto | Volvo