Armadilha rodoviária na estrada nacional 111 em Montemor-o-Velho

Estrada Nacional 111

Durante a circulação rodoviária, o condutor, para além da sua intervenção de domínio do veículo, requer de um conjunto de factores externos que o auxiliem a definir, com antecedência, qual a melhor trajetória que o seu veículo deve percorrer evitando desse modo eventuais obstáculos permanentes ou ocasionais na via.

Uma vez que existem muitas vias de circulação mal projetadas ou elaboradas, tantas outras são as situações onde um condutor é confrontado com situações que, ou lhe condicionam a resolução de problemas ou lhe criam dificuldade de análise devido ao facto de proporcionar uma clara análise do espaço.

Uma armadilha escondida

Em Montemor-o-Velho, na estrada nacional 111, para quem circula no sentido Figueira da Foz – Coimbra, ao sair da rotunda Inês de Castro, os condutores estão sujeitos a uma configuração da faixa de rodagem que muitas vezes leva ao surgimento de confusão. Tal acontece, uma vez que alguns metros após a saída da dita rotunda, existe uma entrada para uma superfície comercial que à noite se confunde com a via de circulação.

Se é verdade que para os residentes da vila de Montemor-o-Velho aquele espaço é um local de grande normalidade de circulação, já para os centenas de condutores que diáriamente ali circulam e não têm o espaço rotinado, pela noite, ali esconde-se uma verdadeira armadilha que pode, como já aconteceu em algumas ocasiões, condicionar a segurança e as condições do veículo.

Uma vez que há no local uma via de acesso à superfície comercial, a separá-la da faixa de rodagem existe um pequeno separador em cimento que não se encontra devidamente sinalizado, seja com sinais gráficos verticais, seja com marcas rodoviária compostas por tinta refletora, seja de outra forma bem perceptível pelos utilizadores da via.

Uma vez que a iluminação pública é muito fraca, seja com chuva ou com tempo seco, a verdade é que muitos são os condutores que ao abordarem o local veem o seu veículo a embater na separação. se até à data não foram registadas situações de maior gravidade, sabe-se que já existem queixas de condutores que se viram envolvidos em situação de conflito naquele local.

Para solucionar o problema na estrutura da via, bastava que o separador de divisão de sentidos e o de separação da faixa de rodagem com o da via de acesso à zona comercial fosse pintado com tinta fluorescente, assim como as linhas guias. Uma vez que no local também existe uma tampa de esgoto metálica de dimensões consideráveis, em tempo de chuva ao ficar molhada torna-se demasiado escorregadia, dificultando a definição de trajetória.