Cai neve em Portugal e fecham-se as estradas à circulação rodoviária

Cai neve em Portugal e fecham-se as estradas à circulação rodoviária

Cai neve em Portugal e logo de seguida as estradas são fechadas á circulação automóvel. A questão que se coloca é – Porquê?

Começa a a ser cada vez mais normal, se assim se pode chamar a estas alterações climatéricas, a existência de condições atmosféricas divergentes do que é habitual em determinados locais geográficos do continente português. Alterações que provocam o surgimento de condicionantes ao tráfego automóvel.

Fecha as estradas que não estamos preparados

As alterações climatéricas são cada vez mais uma realidade ao redor do planeta Terra. Em Portugal, essencialmente, somos anualmente confrontados com esta realidade e com todas as consequências que de si advêm.  Ou seja, sabemos que, mais dia menos dia, algo vai acontecer, nomeadamente quando as temperaturas descem e existe precipitação.

Nestes dias, uma vez mais, o país foi visitado pela queda de neve em diversos locais, nomeadamente nas terras altas. Assim que isso começa a acontecer, as autoridades responsáveis fecham as estradas, tornando-as intransitáveis. Isso faz com que haja população que fica isolada.

As estradas foram encerradas, porque os veículos em Portugal não se encontram preparados para enfrentar um pouco de neve e gelo nas estradas, assim como o próprio país e suas estructuras administrativas não se encontram capazes de dar uma resposta convincente e credível ao fenómeno.

O que se passa em Portugal?

Se compararmos o nosso país com outros países onde a queda de neve é elevada e habitual, percebemos que nesses locais essa mesma queda de neve não condiciona a circulação rodoviária. E essa realidade deve-se ao facto de que as entidades estão preparadas para actuar com eficácia e numa eficiência visível.

Já em Portugal essa actuação não é pronta, uma vez que as entidades que o poderiam fazer, não têm ao seu dispor as melhores condições técnicas e materiais para actuar; assim como não o têm os próprios condutores, uma vez que economicamente não há essa disponibilidade.

Foto¦ Sapo