Conduzir com correntes de neve

A condução na neve requer cuidados extra e técnicas específicas que convém conhecer, mas a utilização de correntes ajuda, em boa parte, a progredir de forma segura. Saiba como se montam correntes de neve e conheça também alguns cuidados a ter para conduzir nos pisos escorregadios de neve e gelo.

Portugal não é um país conhecido pela queda frequente de neve. Neste cantinho à beira-mar plantado, o fenómeno acontece apenas nas terras mais altas, no entanto, com as constantes alterações climatéricas, a neve começa a aparecer em locais nunca imaginados.
O gelo e a neve criam dificuldades à circulação rodoviária, e rolar por zonas abundantemente atingidas por este fenómeno requer cuidados extra. Por isso, uma das maiores particularidades está na necessidade na utilização de correntes de neve, um tipo de elemento ainda pouco comum entre nós, mas cuja utilização se reveste de extrema importância quando se trata de conduzir em pisos escorregadios.
Uma forma de evitar a utilização das correntes de neve passa pela opção de pneus de inverno, contudo, estes não podem ser utilizados durante todo o ano pelas suas caraterísticas específicas, já que em piso seco acabam por tornar a condução do carro “estranha” (aumentam as distâncias de travagem e perdem aderência).
Em Portugal não faz sentido trocar de pneus sempre que nos deslocamos a uma zona com neve, o que deve acontecer uma vez por ano, a não ser que habite num local onde neva com frequência. Por isso, a melhor solução passa pela aquisição de correntes. Dependendo do tipo (há quatro diferentes), o preço pode variar entre os 45 e os 400 euros e a sua montagem requer alguns cuidados e método. É precisamente esse método que lhe vamos contar neste artigo. Fique também a saber alguns conselhos para circular em pisos com neve e outras dicas que não deve descurar sempre que conduz num asfalto que, às vezes, parece barrado com manteiga…

Como montar correntes de neve

1- Metálicas
Ao nível do piso passe o cabo flexível pela parte de trás do pneu e ligue as extremidades de modo a formar um anel. É preciso que o anel criado pelo cabo fique bem centrado na roda, por detrás desta, para não correr o risco da roda o pisar em andamento. Cubra o pneu com a malha da corrente de forma ordenada, soltando-a na parte exterior. Una as extremidades para fechar a malha e aperte o conjunto. Passe os extremos da corrente através dos anéis, respeite todos os encaixes mencionados nas instruções e aperte-os bem.

2 – De tecido
Envolva a parte que não se encontra em contacto com o piso (parte de cima) do pneu, avance um pouco o carro e cubra a roda por completo. A instalação da corrente têxtil é muito simples, mas a aderência é menor e a duração da tela limitada.

Dicas para instalar

Utilize correntes adequadas ao tamanho dos pneus. Leve um tapete, luvas para proteger as mãos e uma lanterna, caso precise de instalar as correntes durante a noite. Tente montar as correntes durante o dia, com tempo favorável. Assim faz uma experiência e evita eventuais dificuldades na operação quando as condições climatéricas forem adversas. O comportamento do carro altera-se quando usa correntes, por exemplo, a distância de travagem é superior. Não exceda os 50 km/h.

Conselhos para circular na neve

Com neve e gelo não deve travar ou acelerar bruscamente, deve manobrar o volante com suavidade e circular a velocidades muito lentas (sem cair no erro de achar que avançando sempre devagar não há neve que o pare). Nalgumas condições nem um 4×4 consegue circular, sendo aconselhável o uso de correntes. Se for possível, planeie o trajeto de modo a apanhar o menor número possível de declives. Duplique a distância de segurança para o veículo que está à sua frente. Tenha cuidados redobrados em pontes e viadutos. O gelo tende a formar-se com maior rapidez nestas superfícies e por vezes é impercetível. Circule com as luzes ligadas. Fora de estrada, a neve pode esconder pedras.
Se o carro ficar preso no gelo ou na neve, não acelere a fundo. Saia do carro e retire a neve à volta dos quatro pneus com o auxílio de uma pá, traçando um trilho com alguns centímetros à frente de cada pneu. Coloque por baixo e à frente das rodas de tração objetos que garantam motricidade, como uma tábua ou mesmo os tapetes do carro. Com o carro em primeira, tente avançar. Se o veículo tiver controlo de tração, pode ser mais eficaz desligar o sistema na fase de arranque. Um bom ano novo e sempre em segurança.