Conselhos para conduzir em plena onda de calor

Até que temperatura máxima no habitáculo podemos conduzir? Como é que uma onda de calor nos afeta a condução? Que cuidados especiais deve ter no carro? Revemos a informação útil para o condutor neste período em que as temperaturas sobem.

Cuidado com a temperatura dentro do carro

De certeza que já ouviu falar no buraco do ozono, esse problema terrível que afeta o nosso planeta. A camada de ozono deixa passar os raios de sol mas não deixa escapar o calor que estes produzem na terra. Algo similar acontece com o interior do nosso veículo, que através dos vidros deixa entrar nos raios de sol, mas não deixa de ser um espaço fechado. O calor não sai para o exterior.

Por isso, a Fundação MAPFRE fez uma série de testes para medir a evolução da temperatura no interior de um veículo exposto ao sol. Em 45 minutos e com uma temperatura ambiente de 29 graus, o interior de um carro pode chegar quase aos 50. Com 39 graus (algo que não é muito fora do comum nestes meses), o carro pode alcançar os 70. Concluindo, em duas horas e meia, a temperatura do interior aumenta cerca de 88% face ao exterior.

calor

Podem influenciar estes aumentos fatores como o ângulo em que o sol incide, o tempo de exposição ou o isolamento térmico e, neste último caso, até a cor do  veículo. Caso seja de cor escura, pode ficar 20% mais quente . Assim, pode fazer sentido adquirir um carro de cor clara caso tenha filhos pequenos ou idosos na sua família.

Como pode afetar-nos uma onda de calor no carro?

Prevenir o excesso de calor no interior do nosso carro não é apenas uma questão de comodidade. Como em qualquer outra circunstância, as altas temperaturas podem afetar-nos muito negativamente. Os efeitos adversos são visíveis, com a agravante de que se formos condutores, afetará as nossas capacidades ao volante.

Como sabemos, quando medimos com um termómetro se temos febre, a temperatura ótima do corpo humano está entre os 36,6 e os 37,5 graus. Quando nos encontramos numa situação de calor excessivo, o nosso organismo tem um mecanismo para se manter fresco: o suor. Mas se o calor é muito elevado ou se desidratarmos tanto que o nosso corpo não se pode refrescar o suficiente. Podemos sofrer o temido “golpe de calor”.

Entre os efeitos adversos que o calor excessivo pode causar no nosso organismo está a fadiga, enjoos ou náuseas, cãibras nos músculos ou taquicardia. Ao volante, pode traduzir-se como uma forte sonolência e perda de reflexos. Isto é o equivalente a conduzir com uma taxa de alcoolemia superior a 0,5g/L no sangue.

Em última instância, um golpe de calor pode causar-nos convulsões, desmaios e até a morte. No verão passado faleceram em Espanha 18 pessoas devido a problemas relacionados com o calor.

calor

Recomendações para evitar o calor no carro

Já vimos, em artigos anteriores, coisas que devemos ter em conta para evitar os efeitos do calor ao volante. Mas, em todo o caso, podemos reuni-los nos seguintes conselhos:

  • A primeira coisa é tratar de ter o habitáculo em condições adequadas. Para tal, não nos podemos valer apenasdo ar condicionado do carro, pois isso repercutir-se-á no consumo de combustível. Também não é necessário abusar do ar frio, como fazemos no nosso lar (ou deveríamos). Basta colocá-lo a uma temperatura entre 21 e 24 graus. Uma boa ideia para refrescar mais rapidamente o carro é abrir portas e janelas para fazer sair o ar quente acumulado.
  • Também é conveniente proteger-nos, na medida do possível, da luz solar direta. Como condutores podemos fazer uso das palas, que regularemos de forma a que não nos dificulte a visão da via. Uns óculos de sol adequados para a condução também são uma boa ajuda. Para os acompanhantes, uma boa ideia são as coberturas para as janelas (caso o seu veículo não as tenha já incorporadas). Devemos ter especial atenção se viajarmos com crianças. Estas são especialmente vulneráveis aos efeitos do sol e caso sejam muito pequenas não saberão explicar o seu mau-estar.

 

  • Pare com frequência para beber água fresca. Parar para se refrescar serve, além disso, para esticar as pernas e evitar que adormeçam. A alimentação que faça nesse dia (antes de partir ou durante a viagem) é também muito importante: em geral, o melhor é optar por pratos frescos e ligeiros como saladas ou sopas frias e evitar as comidas quentes e pesadas.
  • A forma como se veste também pode ajudar a estar mais frescos. O ideal é optar por roupas curtas, ligeiras e folgadas. Estas permitem transpirar com facilidade e não se colam ao nosso corpo.
  • Caso tenha uma viagem grande pela frente, uma boa ideia é sair bem cedo pela manhã (ou até pela noite). Quando parar, não deixe ninguém ficar dentro do carro. Isso inclui os animais, que também não estão livres de sofrer um golpe de calor e devem ser tratados como qualquer membro da família.

 

Imagens | iStock: AdamGregor, fotojog, Art-Of-Photo, FamVeld.

Fonte: CirculaSeguro.com