O filtro de ar e a sua importância no veículo

Filtro de ar - estrada com pó

O filtro de ar provavelmente deve ser das peças de um automóvel mais simples e com uma função tão óbvia mas mesmo assim uma das mais mal compreendidas na sua importância no compartimento do motor de um automóvel.

Um filtro de ar é basicamente um equipamento composto por duas partes; uma estrutura ou suporte exterior e uma parte central ou miolo que é o elemento filtrante, ou seja o que realmente filtra o ar que entra para o motor.

A estrutura externa pode ser construída por um corpo metálico ou plástico que garante não só a forma, mas também, o perfeito contacto entre a estrutura externa que delimita o tubo de acesso à admissão do motor.

O filtro de ar possui no interior da estrutura o elemento filtrante que realiza a função que dá a designação à peça, é responsável por garantir que o ar aspirado pelo motor antes de ser usado na mistura da combustão, está limpo dentro de determinados parâmetros.

O elemento filtrante geralmente é confeccionado com materiais sintéticos e naturais como papel microporoso, esponja, têxtil ou algodão, envolvido em borracha para a vedação e alguns com estrutura em tela metálica. Podem ainda ser utilizados a seco ou embebidos em óleo.

A principal função do filtro de ar é filtrar impurezas presentes na atmosfera, como por exemplo pólen, partículas de pó e pequenos detritos que o próprio carro, ou o carro à nossa frente, levanta do chão.

É usado em qualquer tipo de motor de combustão interna e outros aparelhos com admissão de ar, aplicando-se em equipamentos tão diversos como automóveis, compressores, ar condicionado e geradores, são utilizados também na área aeronáutica, em embarcações e em comboios.

Consequências de um mau filtro de ar

E qual seria a consequência de um mau filtro de ar? O principal e mais grave será uma avaria com custos de reparação elevados, essas avarias podem ser provocadas num incidente isolado – uma pedra relativamente grande e especialmente dura – ou eventualmente um desgaste de longo prazo – mesmo só com pequenas partículas – pode causar danos ao motor.

No entanto a consequência mais comum da deficiente filtragem do ar de admissão, devido à variação de qualidade do ar devido às impurezas, são explosões pouco consistentes, logo um rendimento inconstante, esta variação do rendimento do motor pode ser motivo de acidente ou provocar situações complicadas no trânsito, devido a ficarmos à espera de uma determinada resposta do motor e este não corresponder às nossas expectativas.

Além de desagradáveis, as explosões pouco consistentes, provocam o aumento do consumo de combustível, o que se reflete no bolso do utilizador do automóvel, de forma persistente e consistente.

Um bom filtro de ar deixa passar muito ou pouco ar?

O filtro de ar influencia diretamente no desempenho e potência do motor bem, pois é ele responsável pela admissão de ar que posteriormente é misturado com o combustível, dentro de determinados parâmetros, pelo qua a mistura pode ser considerada como ideal, rica ou pobre.

A razão estequiométrica, termo químico usado como referência para reações químicas equilibradas, aplicada à mistura ar/combustível é de 14,7 partes de ar para uma de combustível – ideal no caso de motores a gasolina – esta proporção pode ser alterada de acordo com diferentes condições, quer ambientais, temperatura, pressão ou humidade, quer do próprio funcionamento do veículo, rotação ou temperatura do motor.

Portanto uma mistura rica será uma em que a quantidade de combustível seja superior, reduzindo os 14,7 de ar para 1 de combustível, o inverso – misturas pobres – serão misturas com mais ar e menos combustíveis.

Se o filtro tiver dificuldade para proporcionar uma quantidade necessária devido ao acumular de impurezas após longo período de uso ou passagens constantes em zonas sujas, o motor trabalhará com menor desempenho e consumirá mais, porém se o filtro liberar demasiadamente a quantidade de ar, o motor trabalhará com explosões fracas de mistura.

Como, em quase tudo, o segredo está no equilíbrio, e na capacidade de se adaptar às circunstâncias, cuide do seu filtro de ar, troque-o dentro dos parâmetros recomendados pelo fabricante, ou mais frequentemente se circular em zonas com muito pó.

Sempre que substituir o filtro por outro de outro tipo, por exemplo mudar do filtro de caixa original para um de admissão direta, removendo a caixa original, não se esqueça que vários parâmetros mudam, a exposição a poeiras será maior e provavelmente será afetado por temperaturas mais altas.

  • Pingback: Farto de ouvir falar de condução defensiva? - Circula Seguro()

  • Mauricio Castro

    Olá, usei meu carro sem filtro durante alguns meses por não saber as consequências disso para o motor. E realmente essas explosões estão acontecendo com frequência. Existe alguma forma de limpar essas impurezas que entraram pela entrada do filtro?

    • Duarte Paulo

      Bom dia, sugiro que leve o carro ao seu mecânico e explique a situação, pode ser algo simples de resolver, como por exemplo só com uma mudança de velas, ou algo mais complexo, mas o melhor é mesmo analisando o seu caso especifico. Obrigado.

  • Pingback: Sugestões para reduzir o consumo do seu carro (2/3) - Circula Seguro()