Gelo na estrada em dias de frio extremo

Gelo na estrada em dias de frio extremo

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, as temperaturas vão continuar a ser baixas, o que provoca, essencialmente pela manhã, o depósito de gelo na faixa de rodagem das estradas portuguesas.

Esta é uma realidade que não deixa qualquer dúvida a ninguém, no entanto os condutores insistem em não olharem para essa situação de uma forma séria, continuando a conduzir como se de tempo seco se tratasse, condicionando a segurança de todos.

Quando o inimigo invisível ataca

O gelo surge no pavimento durante a noite, com a queda da geada, acumulando-se na faixa de rodagem. Com as temperaturas frias, esse gelo cria uma camada fina que diminui o atrito dos pneus. Com essa realidade, os condutores devem adoptar comportamentos adequados.

Se é verdade que existem pneus apropriados para circular em condições de gelo, não é menos verdade que em Portugal os automóveis não se encontram equipados com esse equipamento, nem os condutores formados para conduzirem, em condições de trânsito, com essas condições atmosféricas.

Os condutores portugueses insistem em aplicar comportamentos de risco em situações de alteração de condições atmosféricas e de via, ou seja, não adaptam a velocidade, distância de segurança e travagem ao facto de a via estar repleta de gelo.

Uma vez que isso acontece, sempre que é necessário efectuar uma travagem de emergência, o descontrolo da viatura dá-se, a incorrecta reacção do condutor surge e o acidente dá-se. Assim, devem os condutores nestes dias adoptar uma condução mais defensiva, aumentando deste modo os níveis de segurança rodoviária.

Foto¦ WSOCTV