Nevoeiro na condução: o que fazer para evitar o acidente

Com o outono, aumentam as probabilidades de apanhar estradas com nevoeiro, sobretudo de manhã ou ao final do dia, que tornam a visibilidade fraca.
 O trágico e recente acidente que vitimou todas as seis pessoas (jovens de duas empresas de construção), ocupantes de duas viaturas que circulavam no IC8, perto do quilómetro 34, junto a São João da Ribeira, numa reta, traz para a discussão o tema das deficientes condições de visibilidade que, por vezes, os automobilistas encontram nas estradas, na medida em que as autoridades apontaram inicialmente como a grande causa para este fatídico sinistro o forte nevoeiro que se registava no local, no momento.

Enquanto publicação preocupada com a segurança rodoviária, queremos, por isso, alertar para a necessidade dos cuidados serem redobrados quando temos perante de nós má visibilidade na estrada.

Com efeito, a baixa visibilidade requer uma condução especialmente atenta e a adoção de uma velocidade mais reduzida ou até mesmo reduzida. Aliás, não apenas esta recomendação de prudência deve ser aplicada em face de um nevoeiro, mas também de outro tipo de condições atmosféricas desfavoráveis, como é o caso de fortes chuvadas que podem encurtar a visibilidade para escassos metros à frente do veículo.

E há que não esquecer que estamos já no outono e a caminhar para dias com maior probabilidade de ocorrência de nevoeiro. Todo o cuidado é pouco.

Ligar as luzes

Neste tipo de circunstâncias, deverão acender-se os faróis de nevoeiro, tanto à frente como atrás para a sua presença se tornar devidamente visível. É algo mesmo muito importante.

Se às condições de falta de visibilidade se somarem condições de baixa aderência, é relevante que o automobilista circule com uma distância de segurança maior em relação aos veículos que estão à sua frente.

Nunca se esqueça que as distâncias de travagem variam consoante o grau de aderência do pavimento, pelo que para uma condição de atrito menor, o espaço necessário para uma travagem em segurança é, necessariamente, superior.

Mais do que nunca quando estamos a conduzir num cenário de nevoeiro, todas as recomendações dadas em termos de condução defensiva devem ser escrupulosamente aplicadas aqui. Ou seja, para além de aumentar a distância de segurança e de diminuir a velocidade, deverá ainda procurar estar ainda mais atento e concentrado, tentanto antecipar mais ainda as manobras dos outros condutores. Perceber o que se passa na estrada tão longe quanto possível, permite prever ações que, de outra forma, o apanhariam desprevenido.

Não obstante estar a conduzir em condições metereológicas deficientes, esta postura de atenção reforçada faz com que consiga compensar os seus tempos de resposta no trânsito.

Vidros desembaciados e escovas em bom estado

Outro conselho que damos é o de manter os vidros do seu carro desembaciados (mais uma vez é importante manter o automóvel em bom estado).

Manter as escovas limpa-vidros funcionais e confirmar que tem água no limpa para-brisas e os sistemas de aquecimento ou ar condicionado a ventilar contra o para-brisas são outras recomendações.

Deve ainda verificar continuamente os retrovisores em especial se tiver de travar: não decida travar repentinamente, pois quem vem atrás pode não estar a vê-lo devidamente.

Uma das situações comuns quando há nevoeiro são os acidentes em cadeia, em que os automóveis se precipitam uns para cima dos outros.