Os 10 mandamentos do pneu

ps-2-tyre-background

Porque no Circula Seguro nos preocupamos constantemente com o bem estar dos nossos leitores, queremos que este conheçam as mais variádas dicas para viajar em segurança. Apresentamos-lhe 10 regras para que os pneus do veículo estejam sempre em condições durante toda a vida útil. 

O pneu é talvez o componente do carro que exige mais atenção porque é também aquele que mais sofre com o desgaste diário. É um elementos ao qual grande parte dos condutores não presta atenção. Ações tão simples como olhar para os pneus de cada vez que se entra no carro pode, com o tempo, servir para notar algum problema, e não me refiro apenas ao facto de estarem vazios, mas sim também a rasgões ou a problemas mais graves.

Os pneus exercem influência direta em todo o comportamento dinâmico do carro. Estes elementos em bom estado proporcionam o aproveitamento total dos sistemas de suspensão, transmissão, tração, direção e travagem, trazendo assim maior segurança ao condutor e aos passageiros.

Aqui ficam 10 dicas para uma utilização inteligente dos pneus:

1. Calibrar os pneus com frequência (a cada seis meses ou depois de uma pancada), e de acordo com a indicação do manual do fabricante do veículo.

2. Fazer um check-up aos pneus: veículos com pneus radiais a cada oito mil quilómetros rodados e veículos com pneus diagonais a cada cinco mil quilómetros.

3. Evitar a sobrecarga do veículo: excesso de peso compromete a estrutura do pneu e aumenta o risco de danos ou de alterações estruturais.

4. Fazer a manutenção preventiva do veículo: amortecedores, molas, travões, rolamentos, eixos e jantes atuam diretamente sobre os pneus.

5. Utilizar as medidas de pneus e jantes indicadas pelo fabricante do veículo. Os vários componentes do veículo foram projetados para interagirem de forma equilibrada. A utilização de pneus e jantes diferentes altera este equilíbrio.

6. Alinhar a suspensão e calibrar as rodas sempre que o veículo sofrer impactos fortes, e na troca de pneus, quando os pneus apresentarem desgastes irregulares, ao serem substituídos componentes da suspensão, quando o veículo estiver “a fugir” para um lado ou a cada dez mil quilómetros.

7. Utilizar o pneu indicado para cada tipo de piso. Circular na cidade com um pneu destinado ao uso em terra (fora de estrada) provocará perdas no consumo de combustível, na estabilidade e na durabilidade das peças do veículo.

8. Observar periodicamente o indicador de desgaste da rodagem (TWI – Tread Wear Indicator). Este indicador, existente em todos os pneus, revela o momento certo para se efetuar a troca, reduzindo o risco de circular com os pneus desgastados para lá do limite. A indicação de profundidade do sulco do pneu é de 1,6 milímetros.

9. Não permitir o contacto do pneu com derivados de petróleo ou solventes. Estes produtos atacam a borracha fazendo com que perca suas propriedades físico-químicas e mecânicas.

10. Evitar mudanças de direção bruscas, como travagens fortes. Não ignore a existência de lombas, buracos e imperfeições no asfalto.