Risco elevado das regas dos jardins

rega003

Um dos grandes problemas para a circulação rodoviária é, sem dúvida, a fase de transição dos períodos de tempo seco para o surgimento das primeiras chuvas, lá para Outubro. Tal problema deve-se ao facto de ao longo dos períodos secos haver no pavimento um depósito de materiais de pouco atrito, nomeadamente óleos, gorduras diversas e outros materiais de baixo atrito.

Este é um tema em que faremos uma nova abordagem na época do Outono, uma vez que será por aí que surgem as primeiras chuvadas. No entanto, durante a época seca, Verão, existem interferências artificiais que condicionam a segurança rodoviária.

Uma dessas interferências têm representação nas regas automáticas dos jardins e canteiros públicos que, muitas vezes, ou estão mal orientadas e projetam para a faixa de rodagem enormes quantidades de água, ou estão colocadas em local de extremidade do jardim ou canteiro debitando parte da água da rega para o espaço de circulação, por vezes devido ao vento, outras vezes devido à inexistência de um sistema de drenagem eficaz.

Uma vez que essa água se acumula na faixa de rodagem, não a lavando, surgem no pavimento áreas extremamente escorregadias e de deficiente estabilidade, poças e lençóis de água, que torna a condução difícil e perigosa. Uma vez que existem gorduras no pavimento, ao não ser este lavado, as gorduras soltam-se tornando a zona extremamente escorregadia. Numa eventual travagem sobre essa área, o desequilíbrio do veículo está garantido, com eventual perda de trajetória se a ocorrência se der em curva. Já os condutores de veículos de duas rodas ficam colocados numa eminência de queda com todas as consequências associadas.

Deste modo, torna-se urgente resolver esta situação que se encontra em conflito direto com a segurança dos condutores e a sua integridade física. urge fazer-se um levantamento de todos os locais e proceder às respetivas alterações na localização dos dispersores de água para rega de espaços verdes.

Uma vez que irá tardar até que os responsáveis pelo planeamento e implementação dos respetivos dispersores de água na rega de espaços verdes, jardins e canteiros, entendam a forma colo influencia negativamente para a circulação e segurança rodoviárias a atual colocação dos respetivos artefactos, devem os condutores optarem por uma condução mais atenta, com uma velocidade moderada e uma distância de segurança redobrada, evitando guinadas ou travagens bruscas, sempre que detetem a existência destes sistemas de rega ou prevejam a sua existência em determinado local. Só desta forma poderemos minimizar a possibilidade de sermos surpreendidos por áreas na faixa de rodagem capazes de nos fazerem perder o controlo do veículo.

Foto | Vitoria Garden