Turbo-rotundas: o que são?

Turbo-Rotunda.circulaseguro

Turbo-Rotunda em Amesterdão – Holanda

Antes de mais permitam-me esclarecer desde já que se todos cumprissem o código da estrada estas turbo-rotundas não seriam necessárias, não percebo qual a confusão no código da estrada em relação às rotundas. Esclareça-se aqui neste artigo publicado pelo meu colega Jorge Ortolá.

Turbo-rotundas, não sei, mas quando colocam o nome turbo em alguma coisa significa que é algo bom e rápido, não digo que este tipo funcione mal mas parece-me que Turbo não se adeque bem.

A razão do nome Turbo-rotunda

Concentremo-nos no “turbo”, nome que teve a primeira origem no mundo dos automóveis pela mão da Saab quando descobriu que ao pressurizar o ar que entra para o motor que misturado com o combustível tornava o carro bem mais potente e eficiente, uma vez que tinha mais potência com a mesma cilindrada e consumindo sensivelmente o mesmo.

Esta aplicação de uma turbina no motor foi muito revolucionária e provocou uma comercialização gigantesca à volta do nome “turbo”; permitam-me inventar umas palavras para este fenómeno, “marketização” ou “turbinação”. Tudo o que tinha turbo passou a ser mais interessante, mais rápido e, em última análise, o “turbo” era sinonimo de qualidade. Quantos de nós não tiveram uma par de óculos com a inscrição “turbo”, ou mesmo umas calças, etc.

Antes que pense que o título deste artigo está mal elaborado permita-me explicar o porquê desta introdução; coloco a questão, “porquê o nome turbo-rotunda?”, talvez porque torna a circulação mais rápida? Não me parece! Porque torna o transito mais fluido? também penso não ser isso! Então porquê turbo-rotunda?

Na procura para uma resposta a todas as questões que coloco em cima, comecemos por perceber o que é uma turbo-rotunda. As turbo-rotundas vieram importadas da Holanda, pelo investigador Lambertus Fortuijn da Universidade de Delft, país que desde 1966 as constrói (em 2010, já registava mais de 80 turbo-rotundas).

Ao que parece tem tido resultados muito positivos. Conseguiram que a taxa de acidentes reduzisse cerca de 80%. Além destas rotundas poderem ser mais seguras, uma vez que coloca cada carro num trilho cercado, como os animais,  e existem mais vantagens, como maior fluidez e melhorias ambientais.

A grande diferença em relação a outras rotundas é o modo como o transito é condicionado na circulação da mesma. Nesta rotunda existem lancis evitando-se entrecruzamentos no anel de circulação, permitindo que os veículos circulem desde a entrada à saída, de forma contínua e mais precisa. Desta forma reduzem-se os acidentes e controla-se os condutores, impedindo que infrinjam as regras de circulação, como por exemplo fazer a rotunda pelo meio para sair na primeira saída.

Os condutores perdem a liberdade, mas uma vez que muitos não sabem qual o correto comportamento nas rotundas parece-me que esta é a melhor solução. Evitam-se assim muitos acidentes em que as seguradoras sempre se põe à parte dizendo que a culpa é dos dois condutores.

turbo-rotunda

Como se circula então numa turbo-rotunda?

Se na teoria parece complicado, na prática circular numa destas rotundas é muito mais complicado. Como Fernando Pessoa disse sobre a CocaCola “primeiro estranha-se, depois entranha-se”. Imagine-se numa cidade com 50 carros à sua volta sem saber, à partida, em que saída terá de sair, ter de escolher uma saída 100 metros antes de se aproximar da rotunda, sim porque se entrar na faixa mais à direita e pretender ir para a terceira saída, não vai conseguir. Terá de sair na primeira ou segunda saídas e depois tem de ir dar a volta a algum lado, possivelmente infringindo umas quantas regras do código da estrada. Isto é muito bom para quem conhece o local e está habituado mas para os outros não me parece que seja bom.

Em conclusão, o nome “turbo-rotunda” não me aprece adequado. Sim, a ideia é boa, requer habituação e é mais segura, até ver. Quando muito chamaria de “rotunda limitada”, porque a circulação é condicionada. Tudo isto seria completamente escusado se todos cumprissem o código da estrada. Afinal não é assim tão difícil.

Neste vídeo poderá ver o criador deste conceito a explicar as Turbo-Rotundas.