25% das mortes nas estradas da Europa estão relacionadas com pesados

Miguel Alves

29 March, 2021

De acordo com uma análise do Conselho Europeu de Segurança dos Transportes (ETSC) publicada em maio de 2020, em um quarto das mortes nas estradas na União Europeia intervieram veículos pesados. No total, 3.310 pessoas perderam a vida em 2018 em colisões nas estradas europeias e envolvendo um veículo pesado de 3,5 toneladas ou mais.

No mesmo ano, 2.360 pessoas morreram em colisões envolvendo um veículo ligeiro de mercadorias com peso inferior a 3,5 toneladas.

Além disso, os dados evolutivos na Europa mostram que as mortes em acidentes rodoviários relacionados com veículos pesados ​​caíram apenas 1,8% ao ano. Isso contrasta diretamente com a diminuição de vítimas em acidentes em que outros tipos de veículos estiveram envolvidos.

Tipo de vítimas

Metade dos mortos nas estradas durante esses nove anos considerados, referentes a veículos pesados, eram ocupantes de automóveis. 12% eram ocupantes de veículos pesados. O restante dos feridos é representado pelos seguintes utilizadores das vias: 13% peões, 7% ciclistas e 8% condutores.

Em 2018, a União Europeia já tinha tomado medidas sobre o assunto, antecipando este terrível número. Decidiu-se aumentar os padrões mínimos de segurança para camiões novos a partir de 2026, permitindo, por exemplo, a introdução de para-brisas maiores para que os motoristas pudessem ter um maior campo de visão, painéis transparentes nas portas e diferentes sistemas de deteção de peões e ciclistas.

seguridad vehiculo pesado

Principais causas de acidentes no transporte de mercadorias

Um estudo realizado em Espanha pela Autopistas, do grupo Albertis, acerca do “comportamento dos condutores de veículos pesados ​​na rede rodoviária”, analisou, entre outros assuntos, a taxa de acidentes com veículos pesados.

Alguns dos aspetos salientados contam-se os seguintes:

  • Distração (40%). Quase metade dos acidentes são causados ​​por distração do motorista do camião ao volante. Para evitar que isso aconteça, todos os elementos que perturbam a concentração devem ser evitados ao conduzir o veículo. Entre as principais fontes de distração estão o uso do telemóvel ao volante, a interação com dispositivos eletrónicos (como GPS ou computador de bordo, rádio e CD) e com elementos de ajuste do próprio veículo como espelhos, banco, etc.
  • Violação de regras (36%). Entre as regras mais comprometidas estão as horas excessivas de condução, excesso de carga do veículo, questões relacionadas com o tacógrafo ou guiar sem cinto.
  • Excesso de velocidade (5,4%). Ir mais rápido do que o permitido reduz a reação de manobra do motorista e coloca outros veículos (e peões) em risco.
  • Fadiga e sonolência (5,2%). Assim como o excesso de velocidade, conduzir cansado reduz as faculdades de condução. Por isso, o uso correto do tacógrafo é de vital importância: os dados dele extraídos ajudam a manter um controle exaustivo das horas de direção e de descanso.
  • Não usar cinto de segurança (1,3%).

accidente con camion

Propostas para prevenção de acidentes

Da observação destes números, ressaltam algumas ideias.

Uma delas é a de que é importante uma mudança nos requisitos de segurança do veículo. Tanto os camiões quanto os autocarros devem estar equipados com sistemas avançados que detetem peões e ciclistas a uma curta distância. Desta forma, os pontos cegos ao redor do veículo podem ser reduzidos. Isso é exatamente o que um comunicado de imprensa de 29 de março de 2019 apontou no qual a UE anunciou um endurecimento desses requisitos.

Além disso, a própria ETSC preparou uma infografia na qual aponta algumas recomendações para tentar reduzir o número de acidentes:

  • Melhorar o Direct Vision Standard (DVS) para veículos pesados. Este padrão, desenvolvido pela Transport for London, mede objetivamente o quanto um motorista pode ver da sua cabine em relação a outros utentes da estrada. Este padrão é classificado com estrelas, de zero a cinco, e é responsabilidade do fabricante categorizar o DVS. A partir de março de 2021, por exemplo, todos os veículos pesados ​​com mais de 12 toneladas precisarão de ter uma classificação de pelo menos uma estrela no DVS para operar dentro de Londres, entre outros requisitos.
  • Operação adequada do Intelligent Speed ​​Assist (ISA), capaz de detetar limites de velocidade mais rígidos para veículos pesados.
  • Aplicação do Código da Estrada referente a veículos pesados, incluindo o respeito à velocidade.
  • Contratação pública de veículos seguros também para o transporte de mercadorias.
  • Regulamentação da jornada de trabalho e descanso para veículos pesados.
  • Exigir mais formação de motoristas de veículos pesados.

Todos os anos morrem milhares de pessoas na UE em colisões com veículos pesados. E coletivamente podemos fazer essa mudança.

Imagens: Pexels (1), (2), (3)

--

Uma iniciativa da: