A morte espreita em cada passeio mal programado.

Jorge Ortolá

26 August, 2015

Sintra, uma vez mais. No entanto, poderia ser uma outra localidade qualquer. Mas esta situação acontece em Sintra, concelho, numa via de acesso à localidade. Uma via onde o trânsito de viaturas é intenso e da mais diversa categoria. O perigo de atropelamento e morte é elevado.

Quando um estudo recente revela que grande parte dos atropelamentos está direccionado a idosos, seja pela sua falta de mobilidade, diminuição da capacidade de analisar o meio envolvente ou simples distração, a situação que a imagem revela é demais preocupante para quem tem de se deslocar a pé, no passeio e em passeio.

Um passeio que é dificultado no passeio.

Quem pretenda efectuar um passeio, a pé, nas imediações e acesso à zona histórica envolvente do concelho de Sintra, vê-se, em algumas vias, condicionado na sua segurança rodoviária. Num artigo anterior já fizemos referência a este factor, no entanto nunca é demais reforçar o que de menos bom acontece, alertando deste modo, a quem de direito, para a necessidade de se procederem a alterações.

Em Portugal existe o hábito de colocar os escoamentos de águas pluviais nos mais estranhos locais e de dificuldade para os condutores e peões. No entanto, colocar grelhas de escoamento, em passeios minúsculos, após um degrau e em plano inclinado, onde o fluxo de águas é elevado, aumenta o perigo de acidente, exponencialmente, e impossibilita o trânsito de peões com mobilidade reduzida, obrigando-os a se deslocarem na faixa-de-rodagem.

O passeio deve ser amplo, capaz de albergar uma cadeira de rodas, isento de degraus e dotado de um chão que permita um bom atrito a quem dele faz uso. Só desta forma se poderá ter um passeio seguros, com utilização de um passeio dotado de segurança.

--

Uma iniciativa da: