Corridas ilegais em estradas públicas continuam a proliferar

Apesar de terem perdido algum do impacto mediático que chegaram a ter, as corridas ilegais feitas em estradas públicas continuam a acontecer.

No passado ganharam fama as corridas na Ponte Vasco da Gama, mas apesar do esforço das autoridades, este crime persiste em vários locais do país. Contudo, e graças ao esforço das autoridades, tem sido possível por cobro a casos destes.

Recentemente, no final do mês de outubro (e por coincidência na mesma noite, de 27 de outubro), dois comandos territoriais da Guarda Nacional Republicana (GNR), de Braga e de Setúbal, tiveram êxito a por cobro a atividades marginais destas.

A norte, em Vila Nova de Famalicão foram apreendidos 28 veículos numa operação a corridas ilegais.
A sul, em Setúbal foram apreendidos 19 veículos apreendidos também em corridas ilegais.

Ou seja, numa mesma noite foram apreendidas 47 viaturas em corridas ilegais.

A norte

Na operação policial de fiscalização rodoviária conduzida a norte, o Comando Territorial de Braga realizou uma ação, com o intuito de prevenir a realização de corridas ilegais e manobras perigosas na via pública, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

Resultante da atividade policial, desenvolvida de forma permanente e contínua, foi possível apurar que o evento, que contava com cerca de 300 pessoas, decorria sem qualquer licenciamento, num local com histórico de organização de eventos similares, sem qualquer tipo de segurança, associados ao consumo de produtos estupefacientes e com registo de vários acidentes de viação envolvendo menores, manobras perigosas e motociclos.

No decorrer da operação foram fiscalizados diversos veículos, entre automóveis e motociclos, tendo sido intercetados e fiscalizados dezenas de condutores e obtidos os seguintes resultados:
44 autos de contraordenação ao Código da Estrada e legislação regulamentar;
• Dois autos de contraordenação no âmbito do imposto sobre veículos;
• Apreensão de 28 veículos;
• Detenção de uma mulher, de 21 anos de idade, pelo crime de tráfico de estupefacientes.

No âmbito da referida operação, foram ainda sinalizadas 10 crianças, algumas com apenas alguns meses de idade, para a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, em virtude de estarem expostas a um elevado perigo, ao assistirem a este tipo de eventos e por não estarem reunidas as necessárias medidas de segurança para os espetadores.

Esta operação contou com o reforço de militares do Grupo de Intervenção e Ordem Pública, da Unidade de Intervenção, do Destacamento de Ação Conjunta do Porto, da Unidade Nacional de Trânsito, do Destacamento de Ação Fiscal do Porto e dos Destacamentos de Intervenção dos Comandos Territoriais do Porto, Aveiro e Coimbra.

A sul

Por seu lado, a sul, na mesma data, o Comando Territorial de Setúbal, através do Destacamento de Trânsito de Setúbal, desenvolveu uma operação policial de fiscalização rodoviária, com o mesmo propósito: prevenir a realização de corridas ilegais e desocupar a via pública que estaria a ser ocupada ilegalmente, em ambos os sentidos da Estrada Nacional (EN) 379-1, junto ao parque de estacionamento da praia Figueirinha – Setúbal.

Nesta ação, a polícia, verificou que este evento, que também contava com cerca de três centenas de veículos, decorria sem qualquer licenciamento, com espetadores e veículos a ocupar a via pública, no parque de estacionamento da praia da Figueirinha, bem como nas bermas da EN 379-1, provocando graves constrangimentos à fluidez de tráfego rodoviário, pelo que a intervenção da GNR permitiu a desocupação das referidas vias e o restabelecimento da normal circulação.

No decorrer da operação foram fiscalizados diversos automóveis e motociclos, tendo sido intercetados e fiscalizados 62 condutores e obtidos os seguintes resultados:
35 autos de contraordenação, por transformação de veículos e por existência de veículos com características não averbadas no Documento Único Automóvel;
• 19 veículos automóveis apreendidos por alterações às características originais e notificados os proprietários para serem submetidos a Inspeção Extraordinária;
• Um auto por Introdução Irregular no Consumo, em virtude de um veículo possuir alterações às características construtivas, que alteram a cilindrada e a quantidade de CO2 emitido e de onde resulta a alteração do valor de IUC devido para o veículo em causa.

Esta ação decorreu com o reforço do Destacamento Territorial de Setúbal, do Destacamento de Intervenção de Setúbal, da estrutura de investigação criminal do Comando Territorial de Setúbal e com o Grupo de Intervenção de Ordem Pública da Unidade de Intervenção.

“A GNR procurará manter-se vigilante para que seja possível prevenir e reprimir eventos que, não só ponham em causa o direito de circulação dos cidadãos, como atentem contra a segurança rodoviária de todos quantos utilizam a via pública”, sublinham as autoridades.

Fotos: Max Pixel