Relâmpagos e trovões! Cuidado ao conduzir com tempestade

Redacción Circula Seguro

22 October, 2021

O raio transporta correntes de 30.000 ampere, 800.000 volts e gera energia em forma de calor de cerca de 8.000 graus centígrados. Porém, não se preocupe! No caso duma tempestade ao volante deve saber que o carro é um dos locais mais seguros por causa do efeito Faraday.

O seu carro: o local mais seguro

Em 1831, o químico britânico Michael Faraday demonstrou que uma superfície condutora eletrizada possui campo elétrico nulo. Ele mesmo experimentou numa grande esfera metálica. Por isso, passou por ela uma corrente elétrica elevada e permaneceu no interior sentado numa cadeira de madeira. Sintetizando, Faraday demonstrou com vários dispositivos de medição e mantendo-se vivo, que o campo elétrico era nulo no seu interior.

Se um raio atingisse o nosso carro, a carga elétrica seria distribuída por toda a superfície metálica, mas não penetraria no seu interior. Porém, que os ocupantes não sofram danos não significa que o veículo não os sofra: os componentes eletrónicos e mesmo a pintura no ponto do impacto podem ser seriamente afetados.

Diretrizes a seguir

Contudo, deixando de lado as preocupações com os raios, lembre-se que as tempestades são frequentemente acompanhadas de vento, chuva, granizo, bem como uma considerável redução da visibilidade. Por isso, oferecemos algumas diretrizes básicas de segurança para a condução em caso de tempestade:

  • Fechar os vidros e desligar o rádio para eliminar qualquer fonte de atração elétrica.
  • Reduzir a velocidade e conduzir o mais suavemente possível. Lembre-se que as condições do asfalto molhado, a visibilidade reduzida e o vento aumentam consideravelmente o perigo.
  • Aumentar a distância com o carro à sua frente. Se a estrada estiver molhada, a distância de travagem também aumentará. Lembre-se de travar progressivamente em vez de travarcom força, especialmente nas curvas.
  • Pare o carro. Às vezes, as tempestades podem transformar-se num verdadeiro pesadelo que pode reduzir a visibilidade através do pára-brisas. Não continue, se mal consegue ver. Encoste à berma da estrada e sinalize bem a sua posição com as luzes de perigo. Não se preocupe com os relâmpagos, como dissemos, está no lugar mais seguro. O que não é seguro é continuar a conduzir sem quase nenhuma visibilidade.
  • Às vezes, independentemente da época do ano, as tempestades transformam-se em granizo. Todos os conselhos acima referidos são aplicados a esta situação, mas, para além, o som causado pelo granizo pode ser muito alto e, combinado com preocupações sobre possíveis danos no veículo, o condutor pode distrair-se na condução. O melhor a fazer nesta situação é encostar à berma da estrada, fazer-se visível com luzes de perigo e esperar que a tempestade passe.
--

Uma iniciativa da: