Conduzir com recém-nascidos no carro

Ines Carmo

31 March, 2021

E quando os pais de primeira viagem têm de fazer a temível primeira viagem com o seu filho acabado de nascer? Saiba como dar a volta à questão e tornar o caminho de regresso a casa mais seguro.

Muitas coisas têm que ser preparadas para a chegada de um novo membro da família: o automóvel, a cadeira, a mala de maternidade, etc. Geralmente tudo fica pronto semanas antes da data marcada a vermelho no calendário. Mas o regresso a casa raramente é algo em que pensemos.

A segurança do recém-nascido, em sete pontos-chave

recém nascido

1. Planeamento

O planeamento antecipado é crucial para evitar erros, especialmente para os pais de primeira viagem. Deve ler atentamente o manual de instruções da cadeira que escolheu e aprender a fixá-la ao veículo. A sua instalação costuma ser simples, mas, se deixar para o último dia, sem informação e com o nervosismo, pode tornar-se um verdadeiro desafio de engenharia. E o uso correto do sistema de retenção para crianças é fundamental, pois reduz o risco de morte em 75% e o de lesões em 90%.

2. A cadeira apropriada

Deve ser sempre homologada. E não é a idade, mas sim a altura e o peso que determinam qual o tipo de cadeira que devemos escolher. No caso de um recém-nascido, deve ser usada uma do grupo 0 ou 0+. As do grupo 0 podem ser usadas ​​até ao bebé pesar 10 quilos e as de 0+ até 13 quilos. As alcofas não são recomendadas e são proibidas na maioria dos países europeus, incluindo em Portugal, onde só é permitida por recomendação médica.

3. Sempre na parte de trás

Os bancos traseiros do automóvel são os mais seguros e são onde o recém-nascido deve sempre viajar, por isso não é uma boa ideia levá-lo no banco do passageiro para poder vigiá-lo melhor, O banco dianteiro pode ser usado em casos extraordinários, como por exemplo quando outras crianças já ocupam os bancos traseiros. Neste caso, deve-se garantir que o airbag está desligado.

4. Virado para trás

Os sistemas de retenção desses grupos são desenhados para serem colocados virados para trás, pois os músculos do pescoço do bebé ainda não estão desenvolvidos.

5. A ancoragem é essencial

De acordo com um estudo realizado por investigadores da Oregon Health and Sciences University (EUA), 95% dos pais cometem algum erro ao instalar uma cadeira infantil, a maioria grave. Os principais referem-se à fixação da cadeirinha e à colocação do cinto. É por isso que é essencial ler atentamente o manual de instruções. O sistema Isofix simplifica e torna a instalação mais confortável. Caso contrário, temos de nos certificar de que o cinto segue todo o percurso definido pelo fabricante, que costuma ter três pontos, dois na zona da barriga e um terceiro, por onde passa diagonalmente, na parte de trás. E não se deve esquecer que a pega também é um elemento de segurança e deve ser travada na posição correta.

recém nascido

6. Mantenha o cinto esticado

Deve-se evitar que a criança vá com excesso de agasalhos que podem causar folga no cinto. Deve estar o mais apertado possível ao seu corpo. Um truque é tentar apertar o cinto. Se conseguir, significa que temos de apertar um pouco mais.

7.Qualquer objeto pode ser perigoso

A bagagem ou pacotes nos assentos ou no tampo da bagageira podem ser projetados em caso de uma travagem brusca ou colisão e atingir o bebé ou outros ocupantes. Então, tudo deve ir para a bagageira.

Porta-bagagens à prova de crianças

O automóvel, a mala com roupas suplentes, biberões, brinquedos… Com um bebé, a bagagem multiplica-se. Ter um porta-bagagens com grande capacidade é uma necessidade básica para se poder viajar com segurança e conforto.

Uma iniciativa da: