Animais de companhia seguros

Redacción Circula Seguro

7 de Setembro de 2022

Estamos a dar cada vez mais importância à integração de animais de companhia e isto significa passar cada vez mais tempo com eles. A consequência é que as viagens de animais em veículos aumentaram e que estas viagens já não se limitam a ir ao veterinário, mas que os animais de companhia desfrutam de fins de semana na natureza com os seus proprietários ou fazem longas viagens durante as férias. Apesar deste aumento, há ainda muitas dúvidas sobre como transportar os nossos animais de companhia com total segurança. Para começar, o mais importante é ter diretrizes muito claras:

1. Documentação: ao viajar com os nossos animais de companhia é importante ter sempre o boletim de saúde atualizado, emitido por um médico veterinário autorizado. Ao viajar na União Europeia, também deve ter o chamado Passaporte de Animal de Companhia. Lembre-se que o microchip é um elemento especialmente útil em caso de perda do animal.

2. Nunca devem viajar à solta: Em primeiro lugar, porque o regulamento de trânsito estabelece que os animais devem estar seguros no veículo, para evitar distrações do condutor; e, em segundo lugar, quando à solta, por exemplo, nos bancos traseiros, seriam projetados para a frente em caso de acidente e as consequências poderiam ser muito graves, tanto para o condutor como para o próprio animal.

3. O animal nunca deve ser mantido com trela: Não é um sistema de retenção e representa um risco significativo de lesões para ele e para outros passageiros. Existem vários sistemas adequados de retenção de animais disponíveis no mercado. Mecanismos que prendem o peitoral ou a coleira do animal ao cinto de segurança ou grelhas divisórias. A escolha de um sistema depende sempre do tamanho e peso do animal. Em geral, a melhor forma de transportar animais de companhia pequenos é a sua caixa transportadora, que deve ser colocada no chão do veículo.

Se o animal for grande, é melhor colocá-lo na sua caixa transportadora na bagageira, virado para a direção da viagem. Neste caso, e para ganhar maior segurança, é preferível combinar esta opção com a grelha divisória entre os bancos traseiros e a bagageira.

Outra opção, menos aconselhável que a caixa transportadora, é a utilização de mecanismos duplos (não apenas um) nos bancos traseiros, unidos ao cinto de segurança.

O mecanismo de ponto único é unido ao cinto de segurança do veículo. Em caso de acidente, a fivela do mecanismo quebra e o animal bate no banco, causando graves lesões vertebrais ao condutor. O animal sofreria lesões graves ou mortais.

O mecanismo duplo impede o deslocamento do animal. Portanto, em caso de impacto, nenhuma carga atinge o condutor. Para evitar que o animal de companhia bata nos bancos, pois as consequências podem ser muito graves, deve haver um sistema de união curto. Tenha em conta que, por exemplo, um cão com apenas 5 quilos, numa colisão a 60 km/h, multiplica o seu peso por 56 devido à inércia, e é projetado com um peso equivalente a 280 quilos.

4. Bem-estar animal. Para além de todas as medidas de segurança, é vital que os animais de companhia possam sentir-se confortáveis durante o transporte. Quanto mais investir na sua tranquilidade e bem-estar, mais estará a investir no seu próprio conforto e segurança. Não alimente o animal antes de pelo menos duas horas, pois pode enjoar. Durante a viagem, é aconselhável abrir os vidros para oxigenar, mesmo com o ar condicionado ligado. No entanto, evite que o animal coloque a cabeça para fora, pode causar otite ou conjuntivite.

Em todas as viagens, especialmente durante o verão, é importante fazer paragens de 2 em 2 horas, para que o animal possa sair um pouco do veículo. É uma boa ideia manter os vidros entreabertos e nunca deixar o animal dentro do veículo. Também é importante ter em conta que ao abrir a porta e libertar o animal do seu sistema de retenção, ele pode escapar. A paragem é uma boa altura para descansar e hidratar-se. Na chegada ao destino, é importante que o animal se familiarize com o novo ambiente, coma, tome ar e brinque consigo. Este é o momento para o recompensar com alguns dos seus alimentos favoritos para o felicitar pelo resultado.