Desconfinar: Cinco conselhos para sair com as crianças em segurança

Ines Carmo

4 June, 2020

A educação rodoviária tem, por estes dias, um valor incalculável quando falamos em desconfinar. As recomendações relacionadas com as ruas durante a crise sanitária e o desconfinamento coincidem com as da segurança rodoviária. No caso das crianças, apresenta uma vertente dupla, de desafio e oportunidade para educar.

Não nos devemos esquecer de que os adultos são as principais referências para os mais pequenos. O primeiro exemplo é que eles vejam que nós cumprimos as regras. Tanto na luta conta a Covid-19 como em matéria de educação rodoviária. Vejamos que recomendações gerais podem ajudar na hora de desconfinar e sair com crianças durante estes dias.

Ao desconfinar, respeite as regras de distanciamento social

Apesar de o estado de alarme já ter terminado, estamos longe de ter ultrapassado a crise provocada pelo Coronavirus. As creches já abriram, mas para quem tem oportunidade, os filhos continuam em casa. Por isso – e para desligar um pouco da telescola – é necessário saber como sair em segurança.

Não se esqueça das regras básicas de etiqueta respiratória, ensine os seus filhos a tossir para os braços, ou para um lenço e deitá-lo logo fora. Mas, sobretudo, ensine-os sobre a nova realidade do distanciamento social. Ao reencontrar amigos, explique-lhes que devem, para já, manter-se pelo menos dois metros afastados. Quando for às compras, evite levá-los consigo, a não ser que não tenha como evitá-lo. Não deixe, de maneira nenhuma, as crianças sozinhas no carro, seja pelo tempo que for.

Ensine a atravessar a estrada

As primeiras saídas podem servir para recordar e ensinar as condutas mais seguras que podemos adotar como peões. Tal como os maiores de 65 anos, também as crianças são o grupo mais vulnerável e o que mais sofre os estragos da sinistralidade rodoviária.

Como já falámos de forma geral sobre os peões, a crescente sinistralidade urbana que sofrem deve-se a três infrações concretas. Simples, mas com consequências graves:

  1. Não utilizar as passadeiras
  2. Não respeitar os semáforos.
  3. Atravessar a estrada de forma errada

Estes dias são ideais para educar os mais novos sobre qual é o modo correto de atravessar uma via urbana com segurança, respeitando as passadeiras ou explicando as prioridades de passagem da sinalização rodoviária. Nesse sentido, a Fundación MAPFRE oferece diferentes instrumentos digitais, como a ferramenta online Cruzar Seguros (em espanhol).

Desconfinar em segurança de bicicleta e trotineta

Niña en bici

Uma das principais atividades adequadas para estes tempos é ir dar uma volta de bicicleta ou trotineta com os miúdos. Uma ótima oportunidade para lhes ensinarmos o papel destes veículos, protagonistas da nova mobilidade.

Deste modo, podemos ensinar-lhes algumas normas e conselhos básicos para que as suas primeiras pedaladas sejam seguras e reforçar as próximas aventuras. Entre os conselhos mais relevantes que podemos dar aos futuros ciclistas e utilizadores de mobilidade pessoal, está o uso do capacete e a necessidade de estarem visíveis ao circular na estrada.

Recordamos que ainda que em Portugal não seja obrigatório colocar o capacete para andar de bicicleta, é altamente recomendável que o faça com menores de 16 anos. Pode também aproveitar para destacar a importância da visibilidade com o uso de roupa adequada ou algum componente refletor na bicicleta ou na trotinete.

Trata-se de uma questão diretamente relacionada com a acidentalidade destes veículos. Assim o indicam diversos estudos, como o que foi realizado em 2019 pela Fundación MAPFRE. Este descobria que 40% dos condutores que ultrapassam ciclistas não estão conscientes da sua presença.

No carro, antes de mais… o uso adequado dos SRI

Nenhuma situação, de alarme, calamidade, ou o que quer que seja, é desculpa para incumprir com a correta utilização dos Sistemas de Retenção Infantil (SRI). De acordo com a Fundación MAPFRE «vários estudos demonstram que até 80% dos pais e mães cometem erros ao instalar a cadeirinha». Isto é algo que pode acarretar graves consequências. Os sistemas ISOFIX ajudam a resolver este problema.

Por isso, se tivermos algum tempo sem utilizar a cadeirinha, é aconselhável rever o estado dela em aspetos como o seu posicionamento, pontos de ancoragem ou os materiais. Há que ter presente que as cadeirinhas para crianças têm validade.

Em tempos de corona virus, é importante, além disso, prestar atenção à higiene e limpeza dos SRI. É preciso ter atenção à escolha dos productos que se usem, pois não podemos esquecer a maior sensibilidade de bebés e crianças à toxicidade de alguns químicos. Na dúvida, água e sabão podem ajudar-nos a manter desinfetados os SRI sem assumir nenhum risco.

E as máscaras?

Niños con mascarilla

Um dos grandes temas da crise sanitária está relacionado com a utilização das máscaras. A Fundación MAPFRE recorda que as autoridades recomendam que o condutor e a criança (maior de 6 anos) utilize máscara. São instrumentos que contribuem para diminuir os contágios, que se podem dar-se em determinadas situações. As máscaras são obrigatórias em espaços fechados e em espaços abertos quando a distância de segurança não é garantida.

Em qualquer caso, o uso da máscara tem de ser combinado com as normas básicas de higiene, como a lavagem frequente das mãos, o distanciamento social ou evitar tocar na cara, na medida do possível. São alterações sociais que se irão integrando na normalidade futura e que devem ser incutidas na educação rodoviária e das crianças, na altura de sair de casa com eles.

Fonte: www.CirculaSeguro.com

Imagens | iStock/Oleg Elkov, iStock/Sinenkiy e iStock/NikolaBarbutov

--

Uma iniciativa da: