Como contribuir para a segurança rodoviária

Conhecimento e respeito pelas regras de transito são essenciais para contribuir para a segurança rodoviária

O conceito de segurança rodoviária prende-se com a prevenção de acidentes de viação. Tem como objetivo final proteger a vida e bem-estar físico das pessoas, assim como os bens, tanto os particulares como os públicos.

A segurança rodoviária engloba métodos e medidas que visam reduzir o risco de acidentes na rede viária de determinado país ou região. Desta forma pretende-se diminuir o número de pessoas feridas ou mortas nestes incidentes. Descubra como pode contribuir para a segurança rodoviária.As pessoas que são “abrangidas” incluem-se os condutores, peões, motociclistas e ciclistas. Fazem parte ainda os passageiros, quer de veículos particulares como de transporte público, como por exemplo autocarros e elétricos. A melhor prática de segurança viária tem o seu foco na prevenção de acidentes, como a prática duma condução defensiva.

Mas é necessário levar em consideração diversos fatores, para começar a falibilidade, tanto dos veículos como dos seres humanos. Existe o risco de qualquer um falhar. Antigamente os paradigmas apontavam simplesmente para informar da leis e normas, tomando como certo a obediência dos utilizadores às mesmas.

Alterações comportamentais

O acumular da experiencia permitiu aos especialistas indicar diversos fatores que atentam contra a segurança rodoviária. As distrações a bordo são atualmente o principal motivo. O uso dos smartphones, não só para efetuar chamadas mas também para enviar SMS e outras comunicações, em especial pelas redes sociais, destaca-se neste campo. A inclusão de diversos sistemas de infotainment a bordo também está a desviar a atenção dos condutores da estrada.

Outros motivos relevantes são o excesso de confiança ao volante, que leva a exageros. A própria comodidade e facilidade de utilização dos veículos atuais permitem alcançar altas velocidades praticamente sem que o condutor se aperceba da velocidade real. Por vezes a velocidade a que circula já é muito acima do legalmente permitido e o condutor não se dá conta desse fato.

A ingestão de substâncias alteradoras do comportamento e das capacidades também está em alta. Desde o consumo de substâncias psicotrópicas ao álcool. Dentro das drogas, quer sejam legais ou ilegais, podem provocar de diferentes formas de alterações. Estas podem ser de caráter estimulante, depressivo ou unicamente perturbador. A medicação também pode alterar a capacidade de conduzir, leia a bula.

Contribua para a segurança rodoviária

Como se percebe, pelos múltiplos fatores, a segurança rodoviária absoluta é uma utopia. Dito isto o escalpelizar dos principais motivos tem como propósito reduzir a probabilidade de se envolver num acidente. Pois, em última instância, ninguém quer engrossar as malfadadas estatísticas portuguesas da (falta) segurança rodoviária.

A melhor forma de contribuir para a segurança rodoviária é seguir as indicações dos sinais e cumprir as regras

Assim podemos concluir que a segurança rodoviária depende um pouco das condições físicas da via e do mobiliário urbano, mas muito das atitudes e comportamentos dos utilizadores da via pública. Em primeiro lugar todos tem que estar na “mesma página” no que toca às leis e regras. Por exemplo, quando nos deparamos com indivíduos vindos de países onde se conduz à esquerda é notória a dificuldade inicial de adaptação. Ou então oriundos de locais onde as regras não são levadas em conta.

E não esquecer os conselhos “tradicionais”

Além dos fatores já mencionados acima, temos de destacar o excesso de velocidade. Em caso de acidente a velocidade aumenta expoencialmente os danos, tanto físicos como materiais. Por mais que se anuncie novas campanhas para que se reduzam os excessos de velocidade, a efetividade das medidas só será real se a abordagem for pragmática. Esta deverá ser enquadrada com o contexto do local, a tipologia de via e do tipo de veículo. Após ter reunido esses parametros será necessário actuar com a limitação da capacidade do veículo circular acima do estabelecido legalmente.

A condução imprudente e desrepeitosa também prolifera, com ultrapassagens mal calculadas, desrespeito pelas passadeiras e pelos sinais. Algo que também se nota cada vez mais é a fadiga. Talvez seja só devido  ao aumento da idade média da população portuguesa, mas o fato é que cada vez mais são relatados acidentes onde o fator que é apurado como causador é o cansaço. Se seguir os cuidados mencionados acima saberá como contribuir para a segurança rodoviária.

Fotos | SofiLayla, Anne Burgess,