Cuidado com o efeito manada: Não se deixe levar pelos outros condutores

Duarte Paulo

22 December, 2020

 

Devido ao efeito de manada pode deixar-se levar pelos outros condutores e ultrapassar os limites legais

O efeito manada é um tipo de comportamento de grupo que ocorre muito em todos os tipos de estradas. Consiste em adaptar a velocidade de um veículo não à exigida pela estrada, mas à dos restantes veículos que nela circulam. Este comportamento de rebanho põe em risco a vida de todos ao circularem acima do limite máximo decretado para aquela estrada.

Distrações ao volante, sem se aperceber da velocidade a que pode conduzir, ou a pressão dos outros condutores são fatores que condicionam o surgimento desse efeito de manada. Evitá-lo é possível graças à informação, aos sistemas automatizados, ou ao saber do perigo que representa circular muito rápido.

Qual é o efeito manada na estrada?

O efeito manada consiste em combinar a velocidade de um veículo com a de outros que viajam na mesma estrada. De certa forma, ocorre quando imita os veículos à sua frente e também os dos lados. Na maioria das vezes, ocorre inconscientemente, sem que o automobilista se aperceba. Quando um conjunto de veículos viaja a uma velocidade reduzida e outro o ultrapassa, ele tende a desacelerar. Pelo contrário, e aqui está o problema com esse efeito, os condutores podem ser influenciados negativamente e condicionados a andar mais rápido do que deveriam.

O pior resultado do efeito manada ocorre nestes casos, quando um condutor aumenta sua velocidade acima do limite máximo da estrada, apenas porque os veículos ao redor também o fizeram. Isso acontece com muita frequência, muitas vezes por se distrair ou por não saber a velocidade máxima específica para aquela estrada.

Isto está intimamente relacionado com o efeito de arrasto, ou efeito “bandwagon” (Heurística de Bandwagon, ou efeito de adesão, é uma tendência cognitiva no qual um indivíduo faz ou toma decisões porque um grande número de pessoas o faz). Basicamente um comportamento social em que as pessoas não questionam criticamente as suas ações, com base no facto de que, como os outros o fazem, não deve ser mau. Mas nos casos que ocorrem em estrada, o efeito não é tão voluntário. O subconsciente desempenha um papel essencial.

Por que esse efeito ocorre?

A maioria das hipóteses sugere que é um mecanismo de imitação social. Se todos os outros estiverem fazendo algo, é provável que você também o faça. Nem considerará o fato de estar acelerando mais que o normal ou colocando outras pessoas em perigo.

O efeito é muito semelhante ao experimentado num elevador: a maior parte das pessoas tenderá a olhar na direção que a maioria está olhando. Esse tipo de comportamento gregário está muito enraizado no cérebro humano e determina, em certa medida, o que faremos de acordo com o que os outros fazem. Até certo ponto, é uma resposta evolucionária muito útil. Mas não em termos de segurança na estrada.

Como acontece com o elevador, às vezes o efeito de manada na estrada não é sutil e também pode ser iniciado com alguma “pressão” do grupo. Por exemplo, um veículo viajando na velocidade recomendada vê muitos dos veículos atrás dele se aproximando rapidamente, travando, desviando-se e passando por ele em alta velocidade. Essa pressão pode levá-lo a acelerar.

O principal problema com o efeito de manada na condução é o perigo que representa para todos. Lembre-se de que a velocidade é um dos principais fatores na gravidade dos danos sofridos num acidente. À medida que acelera, o dano potencial aumenta. Existe uma maneira de evitar o efeito manada?

Como evitar

efecto manada

O efeito de manada acontece especialmente na falta de cumprimento do limite de velocidade

Existem alguns passos para evitar o efeito de manada ou, pelo menos, aliviá-lo até certo ponto. O primeiro começa por estar ciente da velocidade máxima da estrada. Ou seja, saiba a todo momento qual é o limite de velocidade a que pode circular em determinado ponto. Isso permitirá que saiba quando está conduzindo acima do limite permitido legalmente.

Uma vez que esta informação seja conhecida, é importante controlar visualmente o velocímetro de forma regular. Assim como é recomendável verificar os espelhos a cada poucos segundos, vale a pena dar uma olhada no painel de instrumentos em cada “ronda” visual que é feita. Isso evitará exageros de forma desatenta.

Também ajuda muito saber as coimas por conduzir mais rápido do que deveria. Exceder a velocidade da estrada envolve multas entre os 60 e os 2.500 euros. Pode perder pontos na carta sendo ainda passível da aplicação da sanção acessória de inibição de conduzir. Estar ciente desses custos, e possíveis perdas, funciona como um incentivo para evitar os excessos.

Além disso, existem sistemas auxiliares à condução que ajudam a eliminar completamente o efeito manada, com foco no controlo de velocidade de cruzeiro. Esse automatismo evita precisamente o problema do arrasto social porque a velocidade é fixada num valor ou num intervalo. Se integrada num sistema de controle de cruzeiro inteligente, esta ferramenta ajuda a conduzir ainda com mais segurança.

Finalmente, é importante ignorar a pressão na estrada daqueles condutores que não cumprem as regras de trânsito. Se um automobilista quiser exagerar, fá-lo por sua conta e risco, deixe-o passar noutra faixa. Se você circula corretamente, não é obrigado a deixar um veículo passar só porque ele quer ultrapassar o limite imposto para essa estrada.

Original | M. Martinez Euklidiadas

Fotos | iStock/Celli07iStock/Ekaterina Bondaretc

--

Uma iniciativa da: