Embate iminente na estrada: O que fazer para reduzir riscos e danos

Ines Carmo

7 January, 2021

Como agir perante um embate com um obstáculo? Quando entramos no carro, não o fazemos a pensar se vamos encontrar uma situação com risco de acidente. Ainda que o perigo exista sempre, em muitos casos não somos nós a causa: Desde obstáculos na estrada, como mercadorias caídas, árvores ou pedras resvaladas, materiais de construção ou até animais soltos. Claro, também os outros utilizadores da estrada, como veículos de todo o tipo, mas também ciclistas ou peões.

De acordo com a DGT espanhola, as colisões frontais são o segundo tipo de acidente rodoviário mais frequente em Espanha (23% em 2019), enquanto que as fronto-laterais são o terceiro (12% em 2019). As lesões podem variar muito, dependendo das circunstâncias do impacto, mas o efeito de chicote lateral na cervical e os traumatismos cranianos são os mais frequentes e também os mais graves. Uma vez conscientes de que o risco existe, e de que vale a pena extremar todas as precauções, vamos ver neste artigo o que podemos fazer para minimizar os efeitos de um acidente por impacto na estrada.

O que podemos fazer, enquanto condutores para evitar ou reduzir o embate num acidente?

embate

Um acidente na estrada influencia, claro, a nossa própria habilidade ao volante, pelo que não é demais relembrar algumas recomendações que podem ser a chave para evitar ou não o impacto.

  • Moderar a velocidade, reduzirá a distância de travagem.
  • Mantener-se atento à estrada e ao que nela acontece aumentará a capacidade de reação.
  • Evitar distrações, sobretudo o telemóvel, que diminuirá a capacidade de reação.
  • Evitar consumir álcool ou drogas, pois multiplicam as probabilidades de acidente por nossa responsabilidade
  • Levar sempre o cinto de segurança colocado será determinante em caso de embate.

Também influenciará a manutenção geral do nosso veículo, especialmente o dos pneus, o estado dos pisos e a pressão correta. Se o veículo estiver em perfeitas condições, os sistemas de segurança poderão funcionar de forma ótima.

Que postura adotar para reduzir os danos no choque?

embate

Quer seja condutor ou passageiro, importa saber como deve estar sentado. Isto pode evitar muitas lesões se sofrer um acidente.

  • Altura média do banco, que nos permita ter boa visibilidade da estrada e do painel de instrumentos. Permitirá também que o cinto de segurança nos segure melhor.
  • Distância do banco aos pedais que nos permita ter as pernas ligeiramente fletidas e pisar a embraiagem com facilidade. Em caso de embate as ancas sofrem menos.
  • Costas do banco retas mas ligeiramente para atrás, que nos permitam ter as costas e a cabeça apoiadas. Se formos muito para trás, podemos escapar do cinto de segurança.
  • Posição do volante que nos permita segurá-lo com ambas as mãos, tendo os braços ligeiramente fletidos, que nos permita usá-lo com facilidade.

Como devemos agir, quando há risco de embate?

Como já vimos, há muitos obstáculos que podemos encontrar na estrada e as circunstâncias podem ser muito diferentes. De toda a maneira existem duas máximas comuns a qualquer caso em que esteja em risco de impacto:

  • Evitar as guinadas: devemos sempre manobrar com suavidade, mantendo as duas mãos no volante para ter sempre o controlo da direção do carro. As guinadas bruscas geram alterações no peso e na inércia do nosso veículo e podem comprometer a estabilidade do mesmo e a aderência dos pneus.
  • Travar com segurança: O movimento dos pedais também deve ser suave e progressivo, tentando sempre antecipar-se ao emabate. Se vir que não somos capazes de desviar do obstáculo ou que podemos travar a tempo, devemos travar de emergência, pisando a fundo os pedais do travão e da embraiagem.

Qual a forma mais segura de se esquivar a um obstáculo na estrada?

embate

Esta deve ser a nossa primeira opção sempre e quando pudermos realizá-la com total segurança. Isto quer dizer, evitando guinadas e qualquer outro risco para nós e para os outros utilizadores da estrada. A decisão de se esquivar ou não de um obstáculo dependerá de muitos fatores e só o condutor poderá tomá-la no momento.

  1. Olhar para o lugar para onde queremos virar e não para o obstáculo.
  2. Travar a fundo, se o carro tiver sistema ABS (obrigatório desde 2004).
  3. Relaxar a pressão sobre o travão, tanto para desbloquear as rodas (se o carro não tiver ABS) e para ganhar controlo da direção.
  4. Virar o volante entre um quarto e meia volta.
  5. Depois de passar pelo obstáculo, voltar à via de forma suave.

Como último passo, há que considerar a possibilidade de parar e avisar as entidades responsáveis sobre a presença do obstáculo que acabamos de ver.

Como realizar uma travagem de emergência perante el risco de bater

embate

Pode acontecer que, frente al obstáculo, seja muito difícil ou impossível esquivar-se ao obstáculo com segurança. Ou porque vamos a uma velocidade muito elevada ou porque existem outros obstáculos (como outros veículos) na faixa que queremos invadir. Neste caso, devemos fazer uma travagem de emergência.

Para executá-la com a máxima eficiência, a grande regra de ouro é pisar a fundo tanto o tavão como o de embraiagem.  Desta forma o motor «desliga-se» das rodas e evitamos que se transmita a força que as faz girar. Assim ajudaremos os travões a parar o veículo e a diminuir a distância de travagem.

Como atuar se for embater com um obstáculo

Se não conseguiu esquivar-se com segurança ao obstáculo e vê que a travagem de emergência não será suficiente, devemos preparar-se para o impacto. A maior parte das vezes vai tratar-se de um objeto pequeno, onde deve fazer o seguinte:

  1. Na medida do possível, acender os quatro piscas para alertar possíveis veículos atrás de nós
  2. Reduzir a velocidade ao máximo possível, mas evitando a travagem brusca.
  3. Segurar firmemente o volante para não perder a direção após o impacto.
  4. Conduzir o veículo em linha reta, evitando as guinadas.
  5. Finalmente estacione o veículo para ver os possíveis danos e avisar as entidades responsáveis sobre a presença do obstáculo.

Como agir e salvar-se após um embate

Também é possível que o embate seja com um objeto de maior tamanho, como uma árvore ou um poste caído, uma rocha resvalada sobre a estrada ou, no pior dos casos, outro veículo. Neste caso, devemos, a todo o custo, evitá-lo, ou realizar uma travagem de emergência, pois um acidente assim pode ter consequências fatais, de acordo com a velocidade. Se o impacto for iminente e inevitável, há também algumas regras para minimizar, na medida do possível as consequências do acidente:

  1. Recolher os braços para não os ter de fora da janela, pois em caso de impacto podemos sofrer amputações.
  2. Afastar-se da porta, se o impacto vier desse lado, para evitar receber toda a força.
  3. Apoiar-se bem no banco, tanto as costas como a nuca, para este nos proteja melhor e para que o cinto de segurança tenha menos folga.
  4. Não esticar os braços contra o volante ou tabliê, pois é um gesto reflexo que nos coloca numa má posição e pode provocar lesões nas extremidades.
  5. Cobrir a cara com os braços e segurar o pescoço com as mãos, pode proteger-nos do impacto do airbag assim como de possíveis cortes pela rutura do para-brisas.

Embate e atropelo de animais na estrada

embate

Se encontrar um animal solto na estrada:

  1. Na medida do possível, trataremos de afugenta-lo com a buzina, nunca com os máximos porque ficará encandeado e paralisado.
  2. Se estiver em movimento, tente perceber a trajetória e desviar-se em segurança pelo lado contrário.
  3. Se for impossível evitar o impacto com o animal, atuaremos como se fosse um objeto pequeno, segurando firmemente o volante e mantendo a trajetória reta.
  4. Se o animal for grande, como uma vaca ou um javali, é preciso evitar o impacto frontal, ou que este entre pelo para-brisas.

Como vemos, não são poucas as precauções que podemos tomar para evitar um embate ou, pelo menos minimizar as suas consequências. O que nos resta é ter o nosso veículo em perfeitas condições de manutenção, e confiar na nossa própria capacidade para nos protegermos. Há que ter em conta que todos os elementos de um veículo, desde o volante até aos vidros, estão desenhados e fabricados para o pior dos casos: o impacto.

Imagens | iStock: darvalNorasit KaewsaiPete_Flyer Unsplash/paje victoria | PxHere

--

Uma iniciativa da: