Europa combate o perigo dos ângulos mortos

Redacción Circula Seguro

19 November, 2021

O que são os ângulos mortos? São áreas em torno de um veículo que não podem ser vistas pelo condutor, quer a olhar diretamente para fora ou indiretamente através dos espelhos retrovisores ou outros dispositivos.

A Comissão Europeia estima que aproximadamente 400 vítimas fatais por ano podem ser atribuídas aos ângulos mortos. Por isso, a UE está a trabalhar para introduzir gradualmente sistemas que ajudem a reduzir este perigo até julho de 2022.
Mas antes desta data, muitas grandes cidades com uma maior concentraçã de grandes veículos já deram o primeiro passo para implementar as suas próprias medidas.

A cidade de Londres

No caso de Londres, o número de acidentes na capital britânica é o dobro do que no resto do país. A combinação de um campo de visão limitado, ruas estreitas e um grande número de utentes das estradas levou as autoridades da área metropolitana de Londres a introduzir a licença obrigatória DVS (Direct Vision Standard) para veículos pesados, que classifica todos os veículos de acordo com um sistema de estrelas, que varia de 0 (condutor do veículo com pouca ou limitada visibilidade) a 5 (condutor do veículo com excelente visibilidade). A não posse da licença pode resultar numa coima elevada para os proprietários de camiões. A licença é sempre obrigatória para todos os veículos com mais de 12 toneladas, independentemente do país em que o camião está registado.

Alemanha, Áustria e França

Há outras cidades que estão a introduzir leis e regulamentos para melhorar a segurança rodoviária. Na Alemanha e na Áustria, o uso de um sistema de controlo do ângulo morto é agora fortemente recomendado. Para além, desde 1 de julho de 2020, os sistemas de controlo do ângulo morto são obrigatórios para os veículos recentemente matriculados de maior comprimento e peso (LHV), e este regulamento será em breve ampliado. Desde o início deste ano, a França exige aos proprietários de camiões que equipem os seus veículos com três adesivos de aviso que informam os outros utentes das estradas dos ângulos mortos dos veículos.

O caso de Espanha

No caso de Espanha, desde outubro passado, este novo sinal tem sido voluntário e afeta a:

  • Veículos de transporte de passageiros com mais de 9 lugares, incluindo o condutor, (M2 -autocarros- e M3 -autocarros-)
  • Veículos de transporte de mercadorias das categorias N1 -comerciais ligeiros-, N2 e N3 -camiões rígidos-
  • Veículos de transporte de resíduos no âmbito urbano (N2 e N3)

Por outro lado, não pode ser utilizado em veículos agrícolas e florestais, de operações de manutenção no inverno, veículos de intervenção dos serviços de gestão e manutenção rodoviária e veículos a motor e rebocados em que seja estruturalmente impossível a colocação de marcções laterais ou traseiras.

Portugal

Por enquanto, a utilização deste sinal não chegou a Portugal onde a GNR (Guarda Nacional Republicana) recomendou recentemente aos condutores a utilização de espelhos de grande ângulo para eliminar o ângulo morto. Em qualquer caso, dada a preocupação da CE em combater este tipo de contratempo, não é de estranhar que o regulamento esteja a tornar-se mais rigoroso nesta matéria.

--

Uma iniciativa da: