Evite o «dooring»: entre e saia do carro de forma segura

Ines Carmo

7 May, 2020

Ainda que muitos condutores o odeiem, o estacionamento em linha é mais útil do que as outras formas de estacionar, já que nos dá maior visibilidade quando saímos de novo para a estrada, do que quando estacionamos em espinha (sobretudo se o fizermos de frente). No entanto, ao entrar ou sair do carro, podemos causar algum acidente se não abrirmos a porta do veículo com cuidado. É o fenómeno conhecido como «dooring».


No Reino Unido, a associação ciclista Cycling UK e a empresa de ride-hailing Uber lançaram uma campanha apelativa. O objetivo é prevenir a sociedade para os perigos do «dooring» e consciencializar a população sobre a necessidade de realizar esta manobra com cuidado. Aproveitamos a ocasião para propor soluções.

Dooring: o perigo de estacionar em linha

dooring

O estacionamento em linha é sem dúvida a forma que mais problemas causa ao condutor, mas não só porque a sua execução requer mais manobras do que as outras. Ao estacionar o carro desta forma, quase sempre somos obrigados a invadir a via para entrar ou sair do carro, com a falta de segurança que isso pode pressupor. E é um problema como que nos podemos deparar tanto se formos o condutor como se formos algum dos passageiros.

Antes de mais é preciso deixar claro que manter a porta aberta para a estrada se pode considerar obstrução da mesma. Por isso, se um carro embater no seu enquanto abre a porta ou a deixa aberta, a culpa recairá quase sempre em si. Só estará desculpado caso se demonstre que o outro condutor estava a infringir expressamente alguma norma: circular em marcha-atrás, surgir pela esquerda num cruzamento, não respeitar um semáforo, invadir a faixa contrária…

Por outro lado, entrar e, sobretudo, sair do carro, são ações que não estão livres de perigo. Na vizinha Espanha, morrem a cada ano, 150 pessoas abalroada ao entrar ou sair do seu veículo. Nestes números não estão incluídos os numerosos ciclistas que embatem numa porta aberta repentinamente. Mas a associação Cycling UK assegura que no Reino Unido são mais de 60 os ciclistas que por ano falecem ou ficam gravemente feridos por «dooring».

A Manobra Holandesa para abrir a porta do carro

A campanha conjunta da Cycling UK e da Uber chama-se “Teach the Reach”, uma clara alusão à técnica conhecida como “Dutch Reach” ou “Manobra Holandesa”. Consiste em abrir a porta com a mão contrária à da nossa porta (se somos o condutor, é a direita). É uma forma que se torna mais incómoda para nós: abrindo com a mão mais afastada do puxador da porta (em vez de usar a esquerda como fazemos habitualmente), obrigamo-nos a voltar o corpo e olhar de frente para a traseira do nosso veículo.

A Manobra Holandesa recebe o nome porque esta é a forma de abrir a porta exigida nos exames de condução dos Países Baixos e, assim, é mais habitual nos condutores desse país. Contudo, sem ser nesse país, este movimento não é assim tão conhecido, motivo pelo qual se lançou esta campanha. De acordo com os inquéritos da Cycling UK apenas 12% dos britânicos conheciam esta técnica pelo nome, enquanto que para 22% “Dutch Reach” soava a cerveja holandesa, para 19% era uma forma de saudação e para 15% uma posição de yoga.

A campanha centra-se num vídeo de realidade virtual que nos coloca no assento de um passageiro de um veículo. Nessa posição somos testemunhas de um grave acidente de «dooring» provocado pela nossa condutora a um ciclista. A campanha foi partilhada com mais de 5 milhões de utilizadores da Uber no Reino Unido e com os seus mais de 600 mil condutores registados. Além disso, de cada vez que fazemos uma viagem, a app da plataforma envia-nos um alerta que nos recorda da necessidade de utilizar a Manobra Holandesa.

https://www.youtube.com/watch?v=WeM984dk220&feature=emb_logo

Passos para entrar e sair do carro em segurança

Se é o condutor, siga sempre estes passos de maneira quase metódica, como o resto dos passos que lhe ensinaram nas aulas de condução. São coisas muito simples, mas que podem evitar-lhe mais do que um problema sério.

  1. Se vê que o estacionamento é em linha, tente fazê-lo sempre que pode do lado esquerdo da via. Assim, assegura que sai pelo lado do passeio e não invade a estrada.
  2. Se não consegue estacionar no lado esquerdo (o que acontecerá na maioria das vezes), olhe para trás pelos espelhos retrovisores para comprovar que não vem nenhum veículo. Isto é especialmente importante se houver trânsito próximo da linha de estacionamento ou se acha que pode haver ciclistas ou patinadores na área.
  3. Abra a porta cuidadosamente. Normalmente, se a visibilidade for boa, basta uma pequena abertura para alertar os possíveis condutores da sua intenção de sair. Em nenhum momento deixe de olhar pelo espelho retrovisor e, em todo o caso, utilize a Manobra Holandesa para ter visibilidade direta para a parte traseira do seu veículo.
  4. Por último, uma vez comprovado que pode abrir a porta e sair do veículo em segurança, faça-o o mais rapidamente possível (com firmeza, mas nunca atirando a porta para fora) e fechando-a de seguida..

Como devem entrar e sair os passageiros do carro.

Os passageiros, tanto o que vai à frente como os que possam ir atrás, deveriam seguir uma metodologia semelhante, pois eles também não estão isentos de culpa caso haja algum acidente por abrir a porta fra de tempo.

  1. Esperar que o veículo esteja completamente parado (no caso de o condutor desejar realizar apenas uma paragem sem desligar o motor).
  2. Tratar de sair pela porta que dá para o passeio sempre que seja possível, incluindo se estiverem no lado contrário do banco traseiro, devem deslocar-se pelo interior do carro.
  3. Se não for possível sair para o passeio e tiver de sair pela porta que dá para a estrada, a pessoa que estiver sentada do no banco do pendura pode fazer uso do espelho retrovisor direito chegando-se um pouco para a frente. Os que estejam sentados no banco traseiro e não possam fazer uso dos espelhos retrovisores, como condutor, pode ser você a indicar-lhes qual o momento oportuno.
  4. Independentemente do que dissemos antes, os passageiros deveriam adoptar a mesma metolologia da Manobra Holandesa, abrir a porta cuidadosamente e tratar de sair, deixando a porta aberta o menor tempo possível.

Como devemos colocar e retirar os bebés do carro

A coisa pode complicar-se mais ainda quando contamos com bebés que temos que sentar e prender à cadeirinha, ou com menores que só temos que ajudar a colocar o cinto de segurança.

No primeiro caso, devemos sempre aceder à cadeirinha do lado do passeio, para poder colocar o bebé como deve ser e sem pressa. No segundo, devemos educar os nossos menores a entrar sempre pelo lado mais seguro, abrindo-lhes a porta correta e ajudando-os a entrar e a colocar o cinto.

No pior dos casos, se tivermos de aceder ao banco traseiro mais próximo da estrada, tentaremos, na medida do possível, chegar lá pelo lado oposto, ou até mesmo desde a nossa posição no banco frontal. O objetivo, como sempre, é evitar abrir a porta que dá para a estrada ou mantê-la aberta o menor tempo possível.

Dispositivos para evitar ser atropelado

Em 2015 foi premiado no Salão Internacional da Mobilidade Segura um dispositivo criado por um médico de Múrcia (Espanha) para sinalizar a nossa intenção de abrir a porta

https://www.laopiniondemurcia.es/comunidad/2015/10/09/murciano-crea-nueva-senal-prevenir/682999.html

pelo lado da estrada. Ainda que esteja pensada a sua utilização para situações de emergência nas quais nos vemos obrigados a parar na berma de uma estrada ou autoestrada, o seu uso é aplicável no caso de estacionar em linha numa via urbana.

Trata-se de uma baliza horizontal de material refletor que colocado na chapa do carro através de um íman, indica aos condutores que se aproximem do nosso veículo que existe um obstáculo e que devem afastar-se e ganhar uma distância de segurança para o evitar. O indicador deve ser guardado no interior do carro (geralmente no encosto de cabeça do pendura) e deve colocar-se sem sair do carro, acedendo ao exterior pela janela.

A pesar de estar especialmente pensado para os corpos de segurança e de emergência na estrada que se expõem diariamente ao perigo de ser atropelados ao parar na berma para atender às urgências, o seu uso para particulares está já igualmente recomendado em Espanha por instituições como a DGT ou a Protecção Civil, podendo adquirir modelos desde os 18 euros.

Imagens | Flickr / Sofía Salom, iStock / monkeybusinessimages, iStock/kzenon, iStock/IPGGutenbergUKLtd , Wikipedia/VinnyR,  Jody Steliga

Fonte: CirculaSeguro.com

--

Uma iniciativa da: