Grupos de ciclistas: o desafio de conviver em segurança

Duarte Paulo

27 April, 2021

Nesta altura do século XXI são poucos os que desconhecem que a utilização da estrada não é exclusiva a um único tipo de veículo. Hoje, mais do que nunca, convivem peões, veículos de transporte de passageiros ou de mercadorias, motociclos, automóveis e ciclistas. Em especial estes dois últimos grupos experimentaram um relacionamento particular que evolui ao longo dos anos.

Nós nos perguntamos o que acontece hoje quando vários (ou muitos) ciclistas circulam em grupo. Como devem se comportar e quais regras que devem seguir? E que atitude os veículos motorizados devem ter para respeitar a marcha dos grupos de ciclistas?

Embora saibamos que, mais do que nunca, que a estrada é compartilhada, as perguntas anteriores ainda têm respostas diferentes dependendo se são respondidas pelo condutor dum veículo ou por um ciclista. Dada a vulnerabilidade do ciclista e, infelizmente, do seu alto índice de acidentes, é relevante continuar apostando no reforço da convivência.

Onde costumam pedalar os grupos de ciclistas

Grupo de ciclistas

O desejo do uso da bicicleta é difícil de medir. Porém, nos últimos meses, o setor vem garantindo um “boom” que tem esvaziado estabelecimentos e stocks. De maneira geral, a prática do ciclismo como lazer está se tornando cada vez mais popular em diversos países pelo mundo fora.

Essa prática é a que explica a maior parte da proliferação de ciclistas em grupos. Estes utilizadores de bicicletas desejam na sua essência praticar este desporto em conjunto. Os ciclistas abundam onde o clima é mais ameno. Outro local onde ocorre com frequência é em zonas onde existem grandes concentrações populacionais e nas estradas que as circundam. É muito comum em espaços naturais.

Por que os ciclistas andam em grupo?

Essa questão apela, diretamente, ao entendimento externo dos restantes condutores. Na verdade, o peso social da “reunião” dos ciclistas é primordial, mas não é tudo.

O fato de circular em grupo permite distribuir os esforços entre os membros do mesmo. Em outras palavras, é menos cansativo andar em grupo (a menos que você termine no grupo errado devido ao seu nível físico) do que andar sozinho. A vantagem permite circular mais tempo e em percursos muito mais longos. E é que, além disso, são mais suportáveis e, em caso de avaria ou emergência, sempre há apoio externo.

Como os ciclistas devem circular em grupo?

Pedalar em grupo exige do ciclista uma atenção específica, é algo diferente de fazê-lo sozinho. Diego Pablo Sevilla falou-nos disso a nível profissional. A atenção do ciclista é um valor essencial nesses casos: manter a posição no grupo exige habilidade específica para evitar tocar na roda de quem o precede, mas também não pode se afastar muito. Desta forma é imprescindível manter um ritmo homogêneo, identico aos dos restante integrantes do grupo.

Apesar de a visibilidade ser maior por parte dos restantes condutores, esta não deve ser subestimada. Por este motivo, recomenda-se a utilização de sistemas de iluminação específicos que garantam a sua identificação.

Da mesma forma, a sinalização torna-se essencial. Não estamos falando apenas das manobras que afetam os demais veículos, mas circulam no mesmo grupo. É conveniente a comunicação entre os membros para alertar sobre possíveis eventualidades, marcos na estrada e as consequências perigosas para o ciclista do mau estado da estrada.

Como um veículo deve passar por um grupo de ciclistas

Adelantamiento de ciclistas

Os ciclistas têm o mesmo direito de circular nas vias públicas que qualquer outro veículo. Na presença de um grupo de ciclistas, a condução deve ser adaptada para garantir a segurança.

Para começar, um grupo de ciclistas normalmente viajará a uma velocidade mais lenta do que um carro, então você deve ter paciência e ajustar a sua velocidade. É muito perigoso pressionar os ciclistas aproximando-se em excesso da sua traseira, acelerando, usando a buzina e, em geral, exibindo uma condução agressiva. Como pode ser visto, a primeira recomendação é manter uma atitude respeitosa.

Se falamos de distâncias, é aconselhável respeitar ao máximo um espaço suficiente no que diz respeito aos ciclistas. Ao ultrapassá-los, lembramos a necessidade de respeitar uma distância mínima de 1,5 metros. Se formos em frente, devemos evitar:

– Ultrapassar os ciclistas ao viajar em estradas interurbanas com uma linha contínua.
– Ultrapassagem numa estrada interurbana de duplo sentido, se outro ciclista, ou ciclistas, estiverem vindo no sentido contrário.

Como pedalar com um grupo de ciclistas em uma rotunda

O que acontece se um grupo de ciclistas entrar na rotunda? O grupo deve sair se outro veículo se aproximar para entrar no mesmo? A verdade é que não.

Imagen

Como podemos ver, a segurança dos ciclistas depende do respeito mútuo que o ciclista proporciona ao meio ambiente. Esta máxima se aplica ainda mais, se possível, quando encontramos um grupo de ciclistas.

Original | Jaime Ramos
Fotos | iStock/brueviStock/JaysonPhotographyiStock/canbalci e iStock/Duncan_Andison

--

Posts Relacionados

Editores

Uma iniciativa da: