Luvas no verão? De mota, sim!

Redacción Circula Seguro

13 August, 2021

Com a chegada das altas temperaturas, muitos motociclistas têm a tentação de guardar as luvas na mochila. Mas, este é um grande erro. Para além do capacete, lembre-se que por muito calor que esteja, é obrigatório, as luvas para mota são um dos acessórios de segurança mais importantes no verão, já que não apenas protegem de danos graves no caso de queda, mas também evitam os efeitos nocivos do sol.

Tecidos mais finos

O couro ou tecido é frequentemente utilizado para fazer estas luvas, mas ao contrário dos modelos convencionais, o tecido é bem mais fino e leve. O principal objetivo deste elemento de proteção é evitar que o suor se acumule nas mãos, pelo que normalmente têm perfurações para permitir a ventilação. Isto não significa que a segurança esteja comprometida, pois normalmente, incluem vários pontos de reforço nas áreas mais fracas.

Em geral, os materiais das luvas para verão permitem um tacto perfeito e uma sensibilidade dos controlos. Porém, ultimamente, um tipo de luva para os meses mais quentes que deixa os dedos expostos está a ser cada vez mais comum. É importante salientar que este tipo de design não oferece uma proteção total, pois as pontas dos dedos e outras partes podem sofrer abrasão no caso de queda. Lembre-se também que quanto mais fino for o material das luvas, menos resistência a queimaduras e arranhões.

Luvas longas ou curtas?

Quanto ao punho das luvas, para o verão é melhor usar escolher curta, especialmente para percursos urbanos de baixa velocidade, que deixam um pouco mais de ventilação. Mas, não podemos esquecer que numa queda um dos pontos das mãos que mais atrito pode suportar é a extremidade lateral do punho. Se a nossa queda for lenta, por derrapagem, quase até o último momento não soltamos o guiador da mota e lateralmente as suas pontas e, portanto, os lados do nosso punho são os elementos que começam a derrapar. Para uma viagem longa as velocidades mais elevadas, é aconselhável optar por luvas longas.

Luvas longas ou curtas, é importante que as luvas tenham proteção nos nós dos dedos, nas palmas das mãos e nas costuras. Os elementos em kevlar ou fibra de carbono nas costuras protegem no caso de derrapagem e apoio da palma da mão no chão. Isto é o que acontece em muitas quedas de MotoGP: os pilotos derrapam durante muitos metros com as mãos nessa posição, como se estivessem sentados sem sofrer qualquer queimadura.

É melhor solta que apertada

Em caso de tempestado de verão, lembre-se que estas luvas não têm GoreTex ou tecidos impermeáveis. Podemos usar luvas exteriores finas e impermeáveis. Quanto ao tamanho das luvas, é sempre mais aconselhável que sejam um pouco mais soltas que muito apertadas. Mesmo no verão é bom ter algum espaço entre a ponta dos dedos e o tecido. Mas, as luvas são principalmente medidas pela sua largura, para que a mão se ajuste bem, seja confortável e tenha a sensibilidade necessária para sentir os controlos da mota.

No caso de dúvida, é aconselhável confiar nas marcas com qualidade extra nos processos de fabrico ou, por outro lado, o preço também pode ser uma indicação das condições das luvas.

Lembre-se: no verão e de mota, tenha sempre as luvas à mão!

--

Uma iniciativa da: