Não chame de mota, são triciclos

Redacción Circula Seguro

14 de Fevereiro de 2022

Conduzir uma mota de duas rodas nem sempre é fácil: o condutor está mais exposto, mais vulnerável, tem de dominar as curvas, controlar a estabilidade, etc. Por isso, as motas de três rodas foram concebidas para oferecer uma alternativa, por um lado, aos utilizadores que já tinham motas, mas que procuravam segurança extra e, por outro lado, às pessoas que queriam deixar de conduzir automóveis para passar para a praticidade das motas.

Estabilidade e aderência

As principais vantagens das motas de três rodas incluem uma maior estabilidade e uma melhor aderência à estrada. Para além, este tipo de mota tem normalmente um sistema que bloqueia o eixo dianteiro e o faz ficar de pé por si só, para que não tenha de baixar o pé para segurar o veículo durante uma paragem. No entanto, sendo mais pesadas, são também menos manobráveis, mais volumosas e significativamente mais caras que as motas tradicionais.

Outras desvantagens: são mais pesadas, portanto, consomem mais combustível e são mais caras de manter, bem como as avarias mais caras: têm sistemas que carecem de duas rodas, como a sofisticada suspensão dianteira que permite inclinar a mota ao mover as rodas, e que se bloqueia automaticamente.

As grandes capitais europeias como Paris, onde a calçada de pedra e o mau tempo se juntam, estão abarrotadas deste tipo de motas, nas que os condutores procuram segurança e estabilidade.

Não é uma mota, é um triciclo

As motas de três rodas podem ser conduzidas com carta de condução, independentemente da sua capacidade de motor e do tempo de condução. No entanto, os condutores que procuram uma alternativa ao automóvel para viagens urbanas, devem ter em conta que não estão tecnicamente consideradas como motas, mas sim como triciclos. Por isso, não podem circular na faixa dos autocarros, nem estacionar nas áreas de estacionamento para veículos de duas rodas. Na prática, muitos utilizadores estacionam nestes espaços, mesmo sem poder fazê-lo, mas devem saber que por lei qualquer agente de segurança poderia sancionar este comportamento.

Não deixar de prestar atenção

De qualquer forma, apesar de que a segurança que oferecem seja notável, devem ser conduzidos com cautela e não pecar de excesso de confiança. O mau tempo e as adversidades do trânsito são os mesmos, independentemente do número de rodas do veículo. Para que não deixe de prestar atenção, convidamos a informar-se sobre todas as recomendações de segurança a ter em conta ao conduzir um destes veículos.

O segmento está a crescer ao ponto de que já há disponíveis inclusive modelos de quatro rodas, o que acrescenta de segurança e estabilidade extra, mas logicamente, significa também peso extra, o que prejudica a sua agilidade e aumenta o seu preço.

Etiquetas

Mais smart