O que sabe sobre as jantes do seu carro?

Ricardo Carvalho

8 June, 2020

Qual é a missão das jantes num automóvel? Trazem algo mais do que apenas a componente estética? No Circula Seguro respondemos-lhe a tudo isto e muito mais sobre jantes de automóvel.

Desde as primeiras rodas utilizadas pelas carroças e carruagens até às jantes que atualmente são utilizadas pelos automóveis que vão sendo lançados no mercado, passaram-se muitos anos. A evolução é uma constante e, neste particular, também não pára. Atualmente, a maioria dos automóveis novos (e não só) estão equipados com jantes em produzidas em materiais mais leves de forma a ajudar a diminuir o peso total do veículo e, por conseguinte, reduzindo o consumo de combustível e as emissões de poluentes.

Praticamente todos os fabricantes introduzem nos seus modelos jantes em alumínio ou chamadas de jantes em liga leve, mas ainda há casos em que as jantes que vêm de série são de aço convencional, sendo apenas tapadas com um embelezador de roda para ficar mais apelativo.

Já não é uma prática muito comum, mas ainda há quem mude as jantes do carro por outras que gostam mais ou para ter um pneu mais fino ou mais largo. Assim, é preciso ter em conta vários aspeto para que depois não surjam problemas. As principais funções de uma jante em liga leve são duas: por um lado a vertente estética, pois tornam o automóvel um pouco mais desportivo, e por outro lado a missão de uma jante é básica… refrigerar os travões e todo o sistema de travagem, pois fazem com que o ar seja canalizado pelo interior da roda e refrigere tudo o que são pastilhas e discos.

Por isso, quando trocamos as jantes do nosso carro, temos de assegurar que o perímetro da roda é igual ao da jante de série, pois se não for desta forma, teremos problemas na inspeção ou numa simples operação stop.

Têm de estar homologadas ou seja, podemos colocar diferentes modelos de jantes, mas têm sempre de respeitar as medidas do pneu que o fabricante destinou para aquele modelo e que consta do DUA (Documento Único Automóvel). Se fizermos um averbamento ao DUA, podemos reduzir a altura do pneu, colocando um de perfil mais baixo e montar jantes maiores.

No entanto, convém frisar que um pneu de perfil mais baixo tem tendência para se deformar menos, fazendo com que a banda de rolamento tenha menor contacto com o asfalto. Este tipo de pneu é mais consentâneo com modelos desportivos, logo mais apetrechados para andar rápido.

É preciso também destacar que nem tudo são vantagens ao montar jantes em liga leve mais desportivas e maiores. Se há menos borracha ou se esta é menos alta, as irrgegularidades do terreno e os buracos e lombas vão ser mais evidentes quando passamos por cima deles, tornando-se menos confortável e correndo-se o risco do próprio pneu rebentar.
Montar uma jante maior, significa que a largura do pneu também ser maior, por isso o consumo de combustível vai aumentar, uma vez que há maior superfície de contacto e maior rolamento entre o pneu e o asfalto. Em caso de chuva são também mais propensos ao aquaplaning, sendo ainda mais caros na hora de os substituir.

Quanto maior forem as jantes e mais larga, maior será o seu peso, ainda que sendo em liga leve. Se a jante pesar seis quilos, as forças giratórias vão fazer com que pese 20 quilos em andamento ou seja, multiplicado pelas quatro, o excesso de peso rondara os 80 kg.

As jantes podem ser produzidas nos seguintes materiais:

Jantes em aço

Têm a vantagem de serem mais económicas e resistente ao buracos nas estradas e são menos sensíveis à sujidade, todavia também precisam de ser limpas, porque as pastilhas e os discos produzem sempre sujidade.
Pelo contrário, são menos vistosas que as de liga leve e têm um desenho mais fechado, o ue provoca que a refrigeração dos travões seja pior. Outro problema do qual podem padecer é a possível deformação lateral e vertical, que pode causar vibrações na condução.

Jantes em liga leve

São jantes que se preocupam com a componente estética e com o baixo peso, o que se traduz num melhor comportamento do veículo em estrada. Este tipo de jantes permite poupar entre 10 a 12 kg no total em comparação com uma jantes em aço montadas no veículo.
Podem sofrer de corrosão, provocando fugas de ar pelos pneus. São mais delicadas prante impactos e pancadas, sendo mais complicadas de reparar. São ainda mais caras e mais propensas a serem roubadas devido ao seu valor.

Jantes em carbono

São caras e muito leves. Todavia são mais utilizadas em competição. Em carros do dia-a-dia são utilizadas jantes em liga leve com componentes em carbono.

Fotos: Pixabay

--

Uma iniciativa da: