Os cuidados a ter na compra de um carro usado

Ricardo Carvalho

13 July, 2020

Em tempos de pandemia, os portugueses estão a comprar muitos carros usados. É um negócio que tem crescido nesta fase, despois de dois meses parado. Assim, o Circula Seguro deixa-lhe algumas dicas para avaliar um automóvel nestas condições com todo o cuidado. Comprou um usado? Não se preocupe. Siga o menú que lhe aconselhamos e fique descansado.

Boa parte dos automóveis com mais de cinco anos que circulam em Portugal não são preventivamente assistidos. Por outras palavras, não recebem revisões mecânicas adequadas e os seus proprietários só visitam a oficina quando surge uma avaria. As causas são variadas, mas a principal e mais preocupante prende-se com a crise económica que o país atravessa, por cauda desta situação de pandemia.
O elevado custo da manutenção ao critério da oficina também espanta muita gente. Assim, nada melhor do que saber o que queremos para o nosso carro.

Em matéria de custos, convém esclarecer que não existem revisões gratuitas dignas desse nome, nem automóveis que funcionem eternamente sem precisarem de ir à oficina, pelo menos uma vez por ano. Conclusão: é sempre preciso gastar algum dinheiro. Assim, para a maior parte dos casos em que o carro já não está na oficina e o utilizador se desvinculou do concessionário ou simplesmente comprou o carro em segunda mão e não faz a mínima ídeia de qual é o plano de assistência, o ideal é seguir a nossa lista de verificações. Todas as que aconselhamos e que são acessíveis a qualquer um não ficam especialmente caras se mandadas executar numa oficina. As verificações mensais estão de certeza ao seu alcance. Quanto às anuais, fica ao seu critério, fazê-las ou mandá-las executar.
Fique a saber que o preço de uma mudança de óleo depende quase exclusivamente do tipo de óleo. O filtro costuma fica abaixo dos 20 euros e uma mudança de óleo de travões ronda os 15/20 euros numa oficina rápida. Seja o seu carro um Mercedes-Benz Classe S com seis meses ou um Fiat Punto com 15 anos, precisará sempre de manutenção.

Estado dos pneus

Não se limite a olhar de longe para as rodas ou a dar-lhes um pontapé. Aproxime-se de um pneu de cada vez. Observe-o com cuidado e atenção. Procure sinais de impactos, rasgões, inchaços ou fendas. Tudo isto pode provocar um colapso do pneu em autoestrada. Veja se não está demasiado gasto. Tenha em atenção que um pneu com o trilho fundo não é necessariamente um pneu novo. A borracha envelhece, perde elasticidade e deforma-se com o tempo. Cuidado com os pneus de automóveis que ficam parados longos períodos de tempo.

Nível do fluído dos travões

Sob o capô, geralmente próximo da divisória do habitáculo, está um pequeno depósito que comporta o chamado óleo dos travões. Observe se está num nível seguro. É normal que vá baixando com o tempo, mas devagar, à medida que se gastam as pastilhas ou os calços dos travões.

Nível de água dos esguicho – com detergente

Por uma questão de segurança, convém estar sempre em condições de lavar bem os vidros.

Detetar fugas de óleo sob o motor

Uma pequena fuga de óleo não é grave, desde que não seja suficiente para pingar o chão. Pior será se for liquido da refrigeração ou óleo dos travões. O ideal é estar atento ao chão da garagem.

Pressão dos pneus

Só quando o pneu está quase com metade da pressão recomendada é que se nota a olho nu. Vá à estação de serviço verificar a pressão de cada roda. Veja qual é a pressão indicada para o seu carro. Normalmente a tabela está no livro de instruções, no interior de um dos pilares ou na tampa do depósito de combustível.

Nível de óleo do motor

Ainda há quem confunda o controlo do nível do óleo com a troca de óleo. Mesmo que tenha óleo novo, não garante que o carro não gaste óleo. Tem d certificar-se com frequência de que há óleo suficiente no motor. Os motores novos costumam gastar óleo. Os velho também, mas por motivos piores. Esteja atento.

Nível do liquido da refrigeração

É a chamada “água do radiador”. Nos carro mais antigos ganha o tom de chocolate, o que não é bom sinal porque se deve a ferrugem no motor. Se é o caso do seu, substitua o liquido numa oficina, mas nunca por água da torneira.

Estado das lâmpadas

Nada mais natural do que ter uma qualquer lâmpada traseira fundida sem o saber. Por isso, faça vistorias frequentes a estas áreas.

O que deve ser verificado e quando deve ser verificado

Uma vez por mês
– Estado e pressão dos pneus
– Nível do óleo do motor
– Nível de refrigerante do motor
– Nível de água do esguicho
– Fugas sob o carro

Uma vez por ano (ou 10 mil km)
– Substituir o óleo e o filtro de óleo do motor
– Substituir o filtro de ar do motor
– Verificar estados das velas e substituir se necessário
– Verificar estado das pastilhas, discos de travão, calços e tambores (atrás)
– Verificar estado das escovas limpa pára-brisas e substituí-las se necessário
– Verificar estado da bateria

A cada dois anos (ou 30 mil km)
– Óleo dos travões (substituir)
– Líquido da refrigeração (substituir)
– Filtro de combustível (substituir)
– Correias do motor (verificar na oficina)
– Tubagens do motor (verificar)
– Flexíveis do circuito de travagem (verificar visualmente)
– Foles da transmissão (verificar visualmente)
– Óleo da caixa de velocidades automática (verificar nível em oficina)
– Alinhamento da direção (verificar em oficina)
– Mudar filtro do habitáculo

Fotos: Pixabay

--

Uma iniciativa da: