Pneus: 25 coisas que deve saber

Ines Carmo

16 July, 2020

Os pneus são, talvez, a parte mais importante de um veículo. Seguramente não é o elemento mais caro, complexo ou avançado, mas pode ser determinante para uma condução segura. Ao fim e ao cabo, é o único elemento do veículo que está em contacto com a estrada. Por isso, passámos em revista os artigos publicados no Circula Seguro sobre pneus e extraímos as 25 chaves que deve conhecer sobre os «sapatos» do carro.

Como é um pneu: partes, componentes, desenhos, inscrições…

Dizemos que num veículo há elementos mais caros e complexos que um pneu, mas isso não quer dizer que as «borrachas» sejam apenas um simples componente que tem de encher. Para saber como cuidar deles ou como utilizá-los corretamente, primeiro devemos saber de que partes e componentes são formados e o que podemos encontrar neles.

  1. Um pneu tem entre 12 e 15 elementos, entre borrachas, partes metálicas e têxteis….
  2. Os pneus são compostos por borracha natural e borracha sintética. Cada tipo tem diferentes qualidades, são produtos que se complementam e não se substituem.
  3. O desenho deve ter um mínimo de 1,6 mm de profundidade. Se tiver menos que isso, pode ser multado.
  4. Na lateral podemos encontrar inscrições com vários números. Estes indicam-nos dados como as medidas, a carga ou a velocidade máxima, o ano de fabrico…
  5. Os pneus não têm data de validade, no entanto, é recomendado substitui-los após dez anos do seu fabrico, independentemente do seu uso.
  6. Recomenda-se revê-lo anualmente num especialista a partir do 5 ano de uso.
  7. etiqueta ecológica informa sobre a resistência à rodagem, a capacidade de travagem em molhado e o ruído de rodagem.

Mais informações sobre estes e outros componentes dos pneus nos seguintes artigos:

Pneus com certificação de inverno, sabe o que são?

Balanço dos primeiros cinco anos da etiqueta dos pneus

Os pneus têm prazo de validade?

Conselhos para evitar o desgaste dos pneumáticos e prolongar a sua vida

pneus

Uma vez que já sabemos como é um pneu e por que elementos é composto, podemos abordar que aspetos podem influenciar o seu desgaste e como devemos atuar para melhorar a sua manutenção.  Para tal, podemos seguir os seguintes conselhos:

  1. Usar a pressão correta e modificá-la em função da carga
  2. Aligeirar a carga o máximo possível, evitando transformar o seu carro numa despensa
  3. Rever a direção do veículo e o estado dos amortecedores
  4. Conduzir de forma eficiente, suave e relaxada
  5. Estacionar evitando bermas e rotações de volante com o carro parado
  6. Evitar os caminhos de terra na medida do possível e limpar os pneumáticos quando estão sujos
  7. Guardar pneus adicionais num lugar fresco, seco e limpo de porcarias
  8. Ao trocá-los, substitui-los adequadamente seguindo as indicações do fabricante e do veículo.
  9. Após a substituição, fazer uma calibragem

 

Pode ler mais sobre estes e outros conselhos nos seguintes artigos:

Sabe armazenar pneus corretamente?

Como o calor e as altas temperaturas afetam os pneus do seu carro

Michelin dá conselhos sobre como prolongar a vida útil dos seus pneus

Como é que o clima e a temperatura afeta os seus pneumáticos

pneus

Ao ser o elemento do carro que está em contacto com o asfalto, o estado da estrada influenciará de maneira direta o pneu. Por isso, saber como é que as condições climatéricas afetam os pneus é chave para entender o comportamento dos mesmos segundo as diferentes épocas do ano.

  1. Os índices mais altos de sinistralidade acontecem entre os meses de dezembro e fevereiro, em parte por haver uma menor aderência dos pneus
  2. Não só pode haver falta de aderência devido a chuva intensa, mas também quando caem as primeiras gotas, quando se misturam com o pó e os óleos do solo.
  3. O piso do pneu é que permite a saída da água ou da neve, por isso é especialmente importante nos meses de inverno vigiar o seu bom estado.
  4. Com a presença de neve, o que é normalmente recomendável é utilizar correntes, que podem ser metálicas ou têxteis.
  5. Independentemente da presença ou não de chuva ou neve, existem pneus “de inverno”que contam com melhores prestações nesta estação. Também podem ser substitutos das correntes.
  6. No entanto, apesar do nome, é recomendável usar os pneus “de inverno” depois do outono, especialmente quando as temperaturas baixam ao redor dos 7 graus.
  7. Também são especialmente recomendáveis nas províncias mais frias da metade norte peninsular e aquelas que contam com zonas de montanha.
  8. A alternativa aos pneus “de inverno” e “de verão” é a utilização de pneus all season, ainda que não costumem oferecer as melhores prestações quer de um ou de outro tipo
  9. A Michelin tem o CrossClimate, um pneu de verão com catalogação de pneu de inverno.

 

Fonte: CirculaSeguro.com

--

Uma iniciativa da: