Prevenção de atropelamentos: conheça o Active Cyclist Detection

Ines Carmo

26 March, 2021

O recente atropelamento que Fernando Alonso sofreu enquanto treinava de bicicleta é apenas mais uma demonstração da vulnerabilidade dos ciclistas na estrada. A necessidade de acabar com atitudes irresponsáveis e de colocar em prática medidas de proteção para evitar que os ciclistas sejam atropelados é urgente. Embora felizmente o piloto das Astúrias tenha sofrido apenas pequenas lesões, a notícia teve um forte impacto. Este caso dá-nos conta da gravidade de uma circunstância que, infelizmente, ocorre com frequência.

Morre um ciclista por semana em Espanha

atropelamento

A utilização da bicicleta está no auge – ainda mais depois do confinamento – e o interesse nas novas tendências de mobilidade sustentável aumentam. O gosto pelo ciclismo cresce à medida que vemos que o espaço de circulação, dentro e fora da cidade, permanece o mesmo. É por isso que todos os anos se lamentam mais de meia centena de mortes.

Em 2018, a tendência de queda foi interrompida, com o número de ciclistas falecidos a chegar a um máximo de 58 mortes.

Na última década, e embora o número de 120 mortes em 1999 tenha sido reduzido para metade, ainda estamos com dados arrepiantes. Mais de 400 pessoas morreram nos últimos dez anos enquanto circulavam de bicicleta e os acidentes (com feridos e mortos) duplicaram. De 1.082 em 2009 para 2.013 em 2015.

Principais causas de atropelamentos de ciclistas

Como mencionámos, o aumento da mobilidade das bicicletas tem sido uma tendência que carece de medidas e estratégias institucionais. Com o aumento dos utilizadores também houve um crescimento na curva de acidentes. Desde 2009, o número de ciclistas acidentados cresceu exponencialmente de 3.469 para 7.186 no pico de 2015. E quais são as principais causas disso?

  • A presença anedótica de campanhas de conscientização e formação para ciclistas e condutores: Tanto a responsabilidade do ciclista quanto a adaptação e cautela do motorista são indispensáveis. Para isso, é necessário incutir valores de condução e respeito na estrada
  • A velocidade é obviamente fundamental: há uma desproporção na velocidade de circulação de um veículo e da bicicleta, o que causa um conflito. Essa vulnerabilidade do ciclista é reforçada pela conceção autocêntrica da estrada. Com essa ideia, a bicicleta é considerada pouco mais do que “uma espécie invasora” no asfalto.
  • A noite e a manhã dos fins de semana é uma combinação letal: A DGT quer combater o condutor drogado ou bêbedo para evitar os atropelamentos de ciclistas que ocorrem aos fins de semana. Grupos amantes de bicicletas que saem logo pela manhã coincidem com condutores a regressar de uma noite de excessos, álcool e drogas.
  • Falta de cuidado nas ultrapassagens: esta é a manobra mais perigosa e a que mais produz acidentes. Avançar respeitando o metro e meio de distância é um mantra que devemos ter incorporado há muito tempo na nossa condução.

atropelamento

Active Cyclist Detection: um novo sistema de prevenção de atropelamentos

Na ausência de ferramentas úteis para a proteção desse coletivo vulnerável, a Fundação Mapfre e a Fundação Michelin decidiram dar visibilidade a um novo projeto. A INSEGSA é uma empresa de engenharia especializada em prevenção de riscos laborais. Recentemente, apresentou à sociedade o prototipo vencedor dos III Premios Fundación CNAE de Inovação. O evento aconteceu na cidade de Cáceres, Trujillo, e foi presidido pelo próprio presidente da câmara e membros do INSEGSA.

Este protótipo é uma ferramenta para alertar os motoristas sobre a presença de ciclistas na estrada. Active Cyclist Detection “procura melhorar a segurança rodoviária e reduzir a snistralidade de ciclistas” nas palavras de Raúl Gómez, chefe do projeto. A ferramenta consiste em uma alça indutiva no pavimento que, reconhecendo a passagem de um ciclista, envia um impulso elétrico. Este é recebido pelo sinal vertical para alertar para manter a distância de segurança de 1,5 metros com um pictograma luminoso e intermitente. Além disso, ao lado do sinal, uma sequência de luzes LED colocadas paralelamente à pista é iluminada. O objetivo é ajudar os condutores a evitar ultrapassar o espaço reservado para a bicicleta

Respeito e consciencialização, as chaves para a sobrevivência

O respeito por grupos vulneráveis e a sensibilização para uma problemática recorrente são dois dos aspetos importantes do sistema Active Cyclist Detection” da INSEGSA. Aqui queremos lembrar que esses acidentes recordam ciclistas e motociclistas mais do que nunca para a importância de se equiparem com as proteções corretas, para nunca andar sem capacete e conduzir na defensiva, fazendo-se ver. Tecnologia ao serviço da segurança rodoviária, para evitar novos atropelamentos de ciclistas

Fonte: CirculaSeguro.com

Imagens | Fundación CNAE iStock lolostock

--

Uma iniciativa da: