Quais as principais causas de acidentes rodoviários nas estradas nacionais?

Ricardo Carvalho

7 December, 2020

O número de pessoas que morrem nas estradas, vítimas de acidentes rodoviários, é um número negro que as autoridades estão empenhadas em reduzir.


Os números da sinistralidade rodoviária não enganam. Se tivermos por base os acidentes registados em 2018 (34235), houve menos 0,5% de acidentes do que em 2017. No entanto, estes são números longe dos 29867 acidentes registados em 2012 (melhor valor deste século).

Por outro lado, e de acordo com o Instituto Nacional de Estatística, em 2018 houve um aumento significativo do número de mortes em acidentes de viação (+11,7%) em comparação com 2017, com 704 vítimas mortais a lamentar.

Outro factor relevante: em 2018, 3,4% dos condutores envolvidos em acidentes apresentavam uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5.

Ter mais informação, possibilita a cada condutor e peão uma perspetiva mais abrangente sobre como tornar a via pública mais segura para todos.

Saiba quais as principais causas dos acidentes rodoviários nas estradas portuguesas:

1. Excesso de velocidade: são vários os condutores que aceleram diariamente mais do que os limites impostos por lei. A pressa causada pela rotina diária, o stress, entre outras, são razões mais do que suficientes para os condutores excederem a velocidade e perderem o controlo do veículo.

2. Conduzir sem cinto de segurança: Apesar do uso ser obrigatório, são muitos os que negligenciam a sua colocação, principalmente no banco traseiro.

3. Conduzir com uma só mão no volante: Pode parecer inofensivo, mas conduzir apenas com uma das mãos no volante pode levar à perda do controlo do veículo.

4. Mudança repentina de faixa de rodagem: Com a pressa, o condutor pode mudar de faixa ou fazer manobras mais bruscas sem se aperceber do veículo que o precede. É importante conduzir com serenidade, calculando sempre os imprevistos.

5. Conduzir colado ao veículo da frente: Para prevenir colisões e acidentes, é recomendável manter sempre uma distância segura dos outros carros que seguem na mesma estrada.

6. Uso do telemóvel: Atender, falar ou escrever no telefone enquanto conduz, mesmo utilizando o sistema de alta-voz, reduz a concentração do condutor.

7. Cansaço, fadiga e sono: Conduzir com sono e cansado é uma combinação extremamente perigosa, pois reduz o tempo de resposta, além de correr o risco de se despistar.

8. Consumo bebidas alcoólicas: O álcool diminui a percepção do perigo, retarda os reflexos, provoca sonolência e coloca em risco a vida do condutor e dos outros utilizadores da via.

9. Não observar a estrada: Conduzir sem prestar atenção às caraterísticas da via, como curvas, número de faixas de rodagem, tipos de pavimentação e lombas, pode levar a acidentes.

10. Falta de manutenção do veículo: Pneus gastos, travões em más condições, direção desalinhada e suspensões sem amortecimento podem tornar-se muito perigosos na condução. É muito importante ter as manutenções do veículo em dia.

Fonte: ANSR

 

--

Uma iniciativa da: