Duarte Paulo

2 March, 2021

Como é que se posicionam, em termos de segurança, os modelos 100% elétricos cada vez mais presentes no mercado?

Num ano em que foram implementadas as maiores mudanças nos testes de colisão da EuroNCAP, desde a sua fundação em 1996, descubra aqui que modelo se destacou na segurança.

Contextualização

A revista britânica “What car?” fez uma parceria com a também britanica “Thatcham Research”, o único centro de pesquisa financiado por seguradoras, mas “sem fins lucrativos”, do Reino Unido. O objetivo era analisar os dados de teste de segurança dos novos modelos de forma a determinar que modelo se poderia classificar como o melhor em termos de segurança.

“What car?” é a maior referencia de compra de carros do Reino Unido e tem ajudado os compradores a tomar decisões de compra por mais de 40 anos. Os testes por eles realizados são amplamente considerados como a fonte mais confiável de conselhos sobre carros novos. Fazem também análises confiáveis sobre todos os novos avanços tecnológicos. Levam ainda em consideração a análises dos leitores de forma a otimizar os conselhos sobre a compra de carros.

Para conhecimento, e por uma questão de contextualização, a “Thatcham Research”, fruto da sua missão, ocupa uma posição única para fornecer uma visão holística dos benefícios ou deficiências das tecnologias atuais em veículos novos. É a entidade britânica responsável pelo fornecimento de dados às seguradoras que o usam para definir o agrupamento de seguros de automóveis.

Como complemento, é ainda reconhecida devido à sua pesquisa estar na vanguarda da segurança, proteção e reparação de veículos. A “Thatcham Research” realiza pesquisas e testes para segurança de automóveis e sistemas de proteção de veículos, onde se inclui treino e ensino de técnicas para mecânicos.

Segurança testada nos modelos em contenda

O modelo espanhol alcançou um lugar de relevo neste teste à segurança.

Agora, depois de contextualizados e reconhecida a idoneidade dos intervenientes, passemos aos concorrentes ao “Prémio de Segurança 2021” atribuído por esta parceria. Além de testar as novidades que a cada ano surgem no mercado automóvel, este prémio é considerado como um bom patamar de definição de “hierarquias” de segurança de novos modelos.

Nesta edição de 2021 foram participantes todos os modelos novos que a revista testou em 2020. Tendo por base as classificações de segurança foi definido um Top5. Neste lote estão, por ordem alfabética, o Kia Sorento, o Mazda MX-30, o Seat Leon, o Toyota Yaris e o Volkswagen ID.3.

Todos os modelos são novidades no mercado, mesmo que sejam evoluções de modelos já conhecidos das respetivas marcas. Estes modelos trazem avanços e inovações que deixam os seus antecedentes desatualizados. No caso da Mazda e do Volkswagen são as primeiras abordagens 100% elétricas das respetivas marcas. A responsabilidade que lhes recai sobre os “ombros” é grande.

A renovação do modelo nipónico trouxe mais valias em termos de segurança.

Após a análise dos parâmetros de segurança demonstrados pelos diferentes modelos, chegaram ao Top3 os seguintes modelos (novamente por ordem alfabética):
Seat Leon
Toyota Yaris
Volkswagen ID.3

”And the winner is…”

Chegou, viu e venceu!

De acordo com a análise desta parceria foi declarado como vencedor do “Prémio de Segurança 2021”, o Volkswagen ID.3. O primeiro modelo 100% elétrico da marca alemã, percursor da sua nova linha de veículos elétricos criados de raiz. A Volkswagen foi elogiada pelo esforço que fez para garantir que o ID.3 seja estruturalmente muito seguro e equipado com a mais recente tecnologia de segurança ativa como padrão.

O ID.3 obteve a classificação máxima de cinco estrelas do Euro NCAP. Este é um feito impressionante num ano em que os testes foram mais difíceis do que nunca. Entre as mudanças nos testes de colisão está um novo modelo de barreira móvel progressiva deformável que substituiu a barreira estática, usada desde 1997 (apesar de melhorada em 2015).

Tanto antes como agora as estruturas são embatidas de forma parcial e descentrada, o denominado “offset 40”. É a tipologia de colisão em que apenas 40% da parte dianteira colide com outro objeto. Foi o modelo encontrado para simular de forma mais pragmática o que sucede na vida real, por exemplo, num embate no frontal entre dois carros.

No entanto a inovação é que agora o carro no teste de colisão e a barreira deslocam-se um em direção ao outro a 50 km/h e o impacto é examinado para avaliar quanto dano um carro causa a outro veículo e seus ocupantes durante a colisão. Com 30% dos mortos em colisões laterais do lado oposto ao do impacto, os testes agora também medem o impacto nas pessoas do outro lado do carro.

Mais segurança ativa

O novo elétrico da Volkswagen também teve um bom desempenho nos testes dos sistemas de segurança ativa. Estes visam, em primeiro lugar, evitar a ocorrência de colisões. Como equipamento padrão, possui um sistema de travagem automática de emergência (AEB) que é capaz de evitar colisões numa variedade de situações. Entre elas inclui-se quando o ID.3 está se aproximando de outros carros ou virando no caminho dum veículo que se aproxima. Também ajuda os condutores a evitarem ciclistas e peões, tanto na lateral quanto na frente do carro.

Matthew Avery, diretor de pesquisa da “Thatcham Research”, que também realiza os testes de segurança para Euro NCAP no Reino Unido, comentou: “É particularmente gratificante ver um carro totalmente elétrico com um desempenho tão forte oriundo dum fabricante tradicional.”

Este especialista prossegue “Como parte da nova linha de família de ID, com o ID.4 ao virar da esquina, este é um carro que representa o futuro automobilístico da marca e, portanto, será um veículo popular nas nossas estradas.” Assim, Avery considera que “A Volkswagen merece elogios por priorizar a segurança com seu primeiro carro totalmente elétrico. Isso é um bom presságio para o futuro da segurança no trânsito”.

Fonte | What Car?
Fotos | Volkswagen, Seat, Toyota

--

Uma iniciativa da: