Novos radares em Portugal

Redacción Circula Seguro

19 November, 2021

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançaram recentemente a campanha de Segurança Rodoviária “Viajar sem pressa” destinada a alertar os condutores sobre os riscos do excesso de velocidade, uma vez que esta é uma das principais causas de acidentes de trânsito e responsável por mais de 50% das infrações.

Os números são muito claros: Por exemplo, num atropelamento, a probabilidade de mortes aumenta à medida que a velocidade a que os veículos viajam aumenta. Se um veículo viaja a 30 quilómetros por hora, a probabilidade de um atropelamento fatal é de 10%. Ao aumentar a velocidade para 50 km/h, a probabilidade aumenta para 80%. A 70 km/h, a probabilidade de um atropelamento fatal é de 100%.

Localização

Este é apenas um exemplo de como a velocidade se torna o pior fator em jogo quando ocorrem acidentes rodoviários. Precisamente por isso, os radares de trânsito tornam-se uma ferramenta muito útil para nos recordar a necessidade absoluta de tirar o pé do acelerador. Para sua informação, a localização dos radares de trânsito móveis em Portugal é publicada mensalmente.

“Quem avisa …”

Podes encontrar esta informação no sítio web da PSP (Polícia de Segurança Pública), especificamente na secção “Quem avisa …” onde publica a data, hora e local onde irá instalar os seus cinemómetros durante cada mês. Desta forma, os condutores podem saber exatamente onde devem ser mais cuidadosos. Cuidado, porque a PSP não inclui todos os radares móveis em funcionamento em Portugal, mas inclui uma boa parte deles, principalmente, os situados nos lanços mais perigosos.

Trinta novos radares

Para além, deve saber que a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) instalará trinta novos radares, dez dos quais medirão a velocidade média a que os veículos circulam num determinado lanço de estrada. O reforço da Rede de Inspeção Automática de Velocidade (SINCRO) já tinha sido anunciado há um ano, mas foi apenas este verão que a compra foi autorizada pelo Governo. Atualmente, existem 40 radares: 30 comprados em 2016, distribuídos por 50 cabines, e dez integrados no ano passado. O Governo calcula que a compra de novos radares de velocidade, prevista para o próximo ano, terá um impacto nas receitas de cerca de 13 milhões de euros, de acordo com o projeto do Orçamento Geral do Estado para 2022.

O investimento em sistemas de tecnologias de informação e comunicação implica também o desenvolvimento do Sistema de Infrações Administrativas de Trânsito (SCOT+), que gera uma poupança de cerca de 2,4 milhões de euros, através da desmaterialização do procedimento administrativo.

Etiquetas

dados
--

Uma iniciativa da: