Reciclar pneus ou como saldar uma dívida com o meio ambiente

Ines Carmo

11 March, 2021

A reciclagem de pneus usados tornou-se um assunto que a indústria não pode se dar ao luxo de suspender. Evitar poluição residual e apostar na reciclagem de todos os pneus é a nova missão de empresas como a Michelin.

O fabricante francês decidiu que chegou a hora de dar um novo passo e lançou-se na construção da sua primeira fábrica de reciclagem de pneus. Dessa forma, querem garantir que 80% dos pneus que produzem sejam reciclados em 2048.

Uma das fontes de poluição mais preocupantes

Nos últimos anos, quando falamos de poluição derivada do transporte, concentramo-nos normalmente nas emissões provenientes dos tubos de escape. Ainda que estas sejam más e causem problemas graves de saúde, sobretudo em ambientes urbanos, não são as únicas.

Os pneus também têm associadas algumas emissões semelhantes por desgaste. É o que o diz o estudo Emissions Dynamics. Uma das preocupações com o meio ambiente mais relevantes é o que fazer com os pneus quando acaba a sua vida útil.

Não é em vão que a União Europeia os categoriza como resíduos tóxicos e perigosos. O problema reside no seu armazenamento final e tratamento como resíduo. É lamentável que nos aterros a situação seja complicada para os pneus. Sem mencionar os danos ambientais se estes arderem (de forma acidental ou provocada) ou a segregação de líquidos lixiviados.

Reciclar pneus começa na produção

reciclar pneus

O problema com a degradação residual dos pneus tem a ver com os materiais com os quais são feitos. A presença de metais e, sobretudo, de petróleo entre os seus ingredientes torna-os resíduos nocivos. Em média, cerca de 32 litros de petróleo são usados para a produção de um pneu, chegando a 100 litros para pneus de camiões.

Por que dizemos que a reciclagem de pneus começa na produção? Porque dependendo dos seus elementos, será mais acessível e simples. É por isso que a Michelin está s focar o seu compromisso em projetos como o de Movin’on. Trata-se de introduzir materiais sustentáveis na fase de produção e facilitar sua reciclagem.

O que fazer com os materiais poluentes dos pneus?

Esta questão está no centro da iniciativa da fabricante de pneus gaulês para criar a sua primeira fábrica de reciclagem de pneus no Chile. A Michelin vai colaborar com a Enviro. Esta é uma empresa sueca que encontrou “uma tecnologia especial para recuperar a fuligem, o óleo, o aço e o gás no processo de reciclagem de pneus usados”.

A Michelin escolheu Antofagasta, no Chile, como a localização do complexo. Em números, permitirá que até 30.000 toneladas métricas de pneus de máquinas de obras sejam reciclados por ano. Isso representa 60% dos pneus que se tornam resíduos neste país a cada ano. A Michelin espera que ela esteja em andamento em 2023, graças a um investimento de cerca de 25 milhões de euros.

Como será a reciclagem de pneus?

reciclar pneus

A fábrica Michelin e Enviro vai servir como referência global nesta área. As empresas pretendem aplicar um modelo de economia circular. Deste modo, a recolha de pneus usados em si será gerida pelo complexo.

Uma vez na fábrica, o método de reciclagem começa com corte e processamento. Para este último, será utilizada a já citada tecnologia Enviro, que gera novos materiais reutilizáveis de alta qualidade, como fuligem, óleo de pirólise, gás ou aço e permite a recuperação completa do pneu.

Depois disso, o destino dos materiais reciclados dos pneus será bifurcado. A grande maioria (90%), será utilizada para produtos feitos de borracha: pneus, mecanismos anti-vibração ou correias transportadoras.

O restante dos materiais terá uma aplicação cada vez mais pedidas dentro dos parâmetros de sustentabilidade: servirá para a geração de energia para a própria instalação.

Reciclagem e mobilidade

Embora mais promissora e inovadora, esta não é a única aplicação que conhecemos em termos de reciclagem de pneus. Em Espanha, vimos o exemplo de como os pneus são recuperados para conversão em rails, como no caso do guardarrail Segurvital, desenvolvido pela espanhola Inoxmar Entreacerox. Outro exemplo é o da empresa Gomavial, que recupera os pneus para transformá-los em sinais de trânsito.

Como podemos ver, a reciclagem tornou-se em algo que não podemos prescindir. Afeta diretamente a sustentabilidade no transporte, assunto obrigatório que já faz parte da segurança viária. Outros desafios, como baterias de carros elétricos ou, em geral, o de todos os elementos do veículo, serão adicionados à reciclagem de pneus.

Fonte: CirculaSeguro.com

Imagens | Michelin, iStock/blyjak e iStock/Anetlanda

--

Uma iniciativa da: